transformamos a vida de milhares de jovens através da educação.

Everton Sabú
Fundador

Junte-se a Nós nesta missão!

5 principais erros ao se começar um negócio

Abrir uma empresa pode ser o sonho de muita gente, mas alguns empreendedores acabam cometendo erros pela falta de informação ou de planejamento. Segundo dados do Sebrae, cerca de 30% das empresas abertas no Brasil fecham antes de completarem dois anos. E é claro, nós queremos que você tenha muito sucesso no seu empreendimento. Então, fique atento às nossas dicas para não cair nessa armadilha.

  1. PLANEJE-SE

O planejamento é essencial em todas as fases da vida de um ser humano, e claro, no mundo dos negócios também, afinal, é necessário definir aonde se espera chegar e quais os recursos exigidos ao longo do caminho. O grande número de empresas que fecham antes de seus primeiros dois anos está muito relacionado à falta de planejamento.

  1. CONHEÇA VERDADEIRAMENTE O RAMO EM QUE DESEJA ATUAR

Muitos são os segmentos disponíveis no mercado. Alguns empreendedores acabam pesquisando superficialmente sobre cada um deles antes de tomar a decisão da área onde investir. Esse é um erro muito grave. Sem conhecer a fundo o ramo em que se deseja investir, como será possível perceber as verdadeiras oportunidades para abrir uma empresa?

  1. FAÇA UM PLANO DE NEGÓCIO

O plano de negócios é uma ferramenta fundamental. Ele pode ajudar na definição de quais serão os recursos materiais, financeiros e humanos utilizados no empreendimento e como ele deverá ser visto pelos clientes em médio e longo prazo. Muitos empreendedores deixam de fazer um plano de negócios e acabam por fracassar. Não precisa ser um documento enorme, mas o empreendedor tem que saber o conceito do negócio, a vantagem competitiva em relação aos concorrentes e em quais regiões tem mais ou menos compradores, por exemplo. Aqui no nosso blog temos um post com dicas fundamentais de como criar o seu plano, e ainda, um ebook gratuito que disponibilizamos para você aprofundar seus conhecimentos sobre a ferramenta.

  1. SAIBA QUAL É O SEU DIFERENCIAL

É sempre importante pesquisar a concorrência antes de abrir um negócio. E isso inclui avaliar maneiras de melhorar o seu serviço. É essencial compreender o que seu negócio tem a oferecer de diferente. Coloque-se no lugar de seu possível consumidor e responda a pergunta “Por que eu fecharia com essa empresa e não com outras?’.”Caso você não saiba responder a pergunta, comece a pensar em um possível diferencial para poder se destacar dos concorrentes.

  1. NÃO MISTURE OS GASTOS PESSOAIS COM OS DA EMPRESA

Esse é um erro incrivelmente comum e que tem levado muitas empresas à falência, misturar as finanças pessoais com as da empresa pode ser perigoso. Outro erro é colocar dinheiro do próprio bolso para cobrir gastos da empresa. Lembre-se, a empresa precisa de recursos para se manter, adquirir novos estoques, quitar a folha de pagamento e investir em infraestrutura e em novidades para os seus clientes. Usar o dinheiro indevidamente pode ocasionar o fracasso do negócio.

Pode parecer difícil seguir todos esses passos. Por isso, hoje já existem opções de negócios que já entregam a empresa funcionando e faturando. Como é o caso da franquia JUMPER!

Quando você compra uma escola da rede, recebe a estrutura completa, com ambientes montados e em pleno funcionamento. Além disso, a metodologia de ensino é desenvolvida da melhor forma, com materiais didáticos de qualidade e estratégias de captação de alunos. Não é exigido que o investidor tenha formação na área de educação para abrir uma unidade. Você recebe o negócio em ponto de equilíbrio, sem precisar se preocupar com a implantação.

Everton Sabú, diretor da franquia, destaca que: “O empreendedor deve ter consciência de que o negócio já foi testado e o dono da marca já passou por várias experiências quanto à melhor forma de operar e de fazer a gestão do empreendimento. Desde o primeiro dia de operação ele recebe todo apoio e acompanhamento da franqueadora”.

Já pensou em investir na área que mais cresce no Brasil? Para mais informações, baixe nosso modelo de negócios!

5 dicas de como ser produtivo no mercado de trabalho

Ser uma pessoa produtiva pode parecer difícil, já que normalmente, quando se fala em “ser produtivo” se pensa em executar várias funções ao mesmo tempo. E é exatamente aí que pode estar o problema. Se não houver um bom planejamento e disciplina, você terá dificuldades em continuar trazendo bons resultados para a sua empresa.

Por isso, preparamos uma lista com dicas para alavancar a sua produtividade. Elas terão impacto diretamente na gestão do seu tempo e desempenho pessoal, pode testar e conferir! Vamos lá?

  1. PLANEJE SEU DIA

Crie o hábito de reservar 10 minutos no final do expediente, ou antes de dormir, para planejar o dia seguinte. Organize suas tarefas por ordem de prioridade, procurando deixar as mais difíceis, no topo da sua lista. Conforme o dia passa e as atividades são eliminadas, o dia melhora, e você terá uma agenda mais leve. O importante é que você não fique perdido com tantos afazeres e saiba delimitar quanto tempo precisa para fechar cada ação do dia. Assim, poderá dormir mais tranquilo sabendo que não irá se esquecer de suas tarefas.

  1. MANTENHA-SE ORGANIZADO

Zelar pela organização faz com que as tarefas sejam mais fáceis de serem identificadas e realizadas. Lembre-se que ser produtivo não é apenas fazer diversas coisas em pouco tempo. Mas fazê-las de forma que tragam resultados e retornos positivos. Durante o dia, muitas distrações podem afetar o nosso desempenho no trabalho, como: redes sociais, telefone, conversas paralelas, entre outros. Essas ações podem prejudicar o seu período de trabalho. Tente focar no que é importante, logo você perceberá que seu tempo será mais produtivo.

  1. SE CONCENTRE

Se você possui tarefas que exijam um alto nível de concentração, mantenha o foco em realizá-las uma de cada vez. Não caia na cilada de achar que fazer várias coisas ao mesmo tempo vai aumentar a sua produtividade. Mantenha o foco.S e você fizer uma coisa de cada vez, a atenção em cada tarefa será maior, aumentando assim a qualidade dos resultados e reduzindo o tempo necessário para realizá-las.

  1. FAÇA PAUSAS PROGRAMADAS

Sabemos que a sua meta é se tornar uma pessoa mais produtiva, mas não podemos esquecer que o nosso corpo e cérebro precisam de momentos de descanso para recarregar as nossas energias e não perder a capacidade de produzir ao longo do dia. A dica é programar pausas de cinco ou dez minutos por hora e utilizá-las para caminhar um pouco, ou tomar um cafezinho, por exemplo. Outra coisa muito importante é ter um bom sono. Lembre-se que não é apenas a quantidade de horas dormidas que importa, mas a qualidade do seu sono. Assim você poderá acordar disposto a cumprir as tarefas do seu dia.

  1. CRIE METAS E MONITORE OS SEUS RESULTADOS

Você nunca irá para frente se não souber exatamente aonde quer chegar. Por isso, é importante criar metas, assim você se sentirá constantemente motivado e focado a ser mais produtivo. Para chegar a esse objetivo, você precisará propor a si mesmo (a) novas posturas e monitorar os seus resultados mês a mês. Assim, você saberá se está indo no caminho certo ou se há algo no seu planejamento que não está funcionando como deveria.

Gostou das nossas dicas? Baixe então a nossa planilha de produtividade e otimize o seu tempo!

5 dicas para começar seu negócio do zero

Listamos passos essenciais para você começar a sua empresa

 

  1. PESQUISE SOBRE O MERCADO

Todas as decisões relacionadas a um novo empreendimento podem conter um certo grau de incerteza. Por isso, é necessário que exista uma pesquisa de mercado. Ela tem o objetivo de orientar o empreendedor nas estratégias a serem tomadas. Defina qual será o seu público-alvo. Perceba a estratégia dos possíveis concorrentes e observe pontos fortes e fracos. Analise os fornecedores e as empresas que fornecerão produtos e serviços, caso seja preciso no seu negócio. As informações obtidas por meio da pesquisa são muito valiosas. São esses dados que permitem ao gestor adotar estratégias para aumentar as chances de sucesso da empresa.

  1. CONHEÇA O SEU CLIENTE

Um bom começo, é conhecer muito bem os seus clientes. Você já estabeleceu qual será o seu público-alvo, então agora precisará de informações como: faixa etária, poder aquisitivo e escolaridade, esses são alguns exemplos de informações a serem pesquisadas. Saber seus interesses e comportamentos, também são fatores importantes. A partir desses dados você poderá pensar melhor sobre os métodos mais adequados para seus negócios e como rentabilizar toda a sua operação.

  1. FAÇA UM PLANEJAMENTO FINANCEIRO

Começar um negócio, pode parecer complicado, mas com um bom planejamento, tudo pode dar certo. Em momentos de incerteza econômica, é essencial que o empreendedor organize todos os processos gerenciais do negócio. É importante ter equilíbrio entre as necessidades e demandas com os recursos disponíveis. A função de um plano é otimizar ações para que os objetivos sejam alcançados, além de poder criar metas e estratégias. Lá na frente, você poderá conferir quais foram as melhores decisões tomadas, e ter um feedback preciso.

É importante saber qual será o seu investimento inicial, custos e despesas. Analisando os indicadores obtidos por meio desses controles, é possível também, ter uma maior percepção sobre futuras alterações nos seus gastos, como por exemplo, a redução do estoque de materiais ou mercadorias. Fique consciente dos seus gastos, e saiba controlar o seu dinheiro, assim, você terá um capital de giro e tudo irá fluir bem.

  1. SE PRECISO, FAÇA UM FINANCIAMENTO

Se após todo o planejamento, você achar que talvez não tenha o capital necessário para abrir o seu negócio, uma solução, pode ser o financiamento. Assim, você terá um contrato com uma instituição financeira, que disponibilizará recursos para ajudar no seu empreendimento. Tenha uma gestão financeira organizada, pois alguns itens são básicos para que os recursos sejam liberados para sua empresa. Além de informações sobre o negócio, e os sócios, caso haja na empresa, não poderá faltar um bom plano de negócio com informações sobre como você pretende utilizar o dinheiro.

  1. TENHA OBJETIVOS E METAS

Os objetivos dão descrições concretas para onde ir, e devem ser estratégicos e abrangentes.  Vislumbrar como e onde você quer estar daqui a 5 anos, por exemplo, é um bom começo. Escrever um texto sobre isso costuma ser um ótimo exercício. A partir daí, será possível estabelecer metas a curto e médio prazo, que nortearão suas ações no presente.

As metas são temporais, ou seja, têm prazos específicos para acontecerem. Quando as metas são atingidas, você consegue alcançar os seus objetivos. Por exemplo, você quer tornar sua empresa conhecida no mercado, esse é o seu objetivo. Então, suas metas serão criar meios de comunicação entre sua corporação e o público-alvo, além de investir em um marketing eficaz.

Basicamente, o objetivo é o que você quer alcançar, e as metas estipulam os passos e prazos para a realização do objetivo. Independentemente da área de atuação, todos precisam estabelecer metas e objetivos, pois são eles que fazem com que haja motivação diária para realizar os feitos necessários, e assim, vê-los concretizados.

ACHOU COMPLICADO E AINDA NÃO SABE QUAL NEGÓCIO COMEÇAR?

Atualmente, o mercado de franchising vem crescendo gradativamente no país, em especial, as franquias de educação, que se destacam por terem movimentado bilhões no ano passado, segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising).

Nesse promissor modelo de empreendimento, uma empresa que se destaca pelo seu tempo no mercado e grande renome, é a JUMPER! Franchising. A franqueadora é dirigida pelo empresário e economista, Everton Sabú, que além de administrar o negócio, dá aulas de consultoria e treinamentos de gestão para os seus franqueados, assim eles garantem maior segurança em gerir suas escolas.

Quando a pessoa se torna um franqueado da JUMPER!, recebe a estrutura completa da escola, com ambientes montados e em pleno funcionamento. Além disso, a metodologia de ensino é desenvolvida da melhor forma, com materiais didáticos de qualidade e estratégias de captação de alunos. A franqueadora não exige que o investidor tenha alguma formação na área de educação para abrir uma unidade, apenas vontade de empreender. Ou seja, o investidor recebe o negócio pronto sem precisar se preocupar com nada.

Sabú comenta que o crescimento das escolas acontece devido à segurança que esse tipo de franquia apresenta. “O empreendedor deve ter consciência de que o negócio já foi testado e o dono da marca já passou por várias experiências quanto à melhor forma de operar e de fazer a gestão do empreendimento. Desde o primeiro dia de operação ele recebe todo apoio e acompanhamento da franqueadora” destaca o diretor.

MAS POR QUE INVESTIR NO MERCADO DE EDUCAÇÃO?

Sabemos que existe uma enorme e preocupante carência na educação brasileira. Há muitas demandas de capacitação e formação pessoal e profissional no Brasil. “Os jovens tendem a procurar por cursos profissionalizantes, para que possam complementar sua formação e se destacar no mercado de trabalho.”, comenta Everton.

Investir em uma rede de idiomas e cursos profissionalizantes é um excelente negócio, pois o serviço é essencial para a população, além disso, o mercado de trabalho tem exigido cada vez mais qualificação profissional e uma segunda língua dos funcionários.

Com isso, podemos concluir que: Investir em uma franquia de educação é um negócio rentável, simples, e com fácil gestão.

Invista já em uma franquia de sucesso. Venha para a JUMPER!

Para mais informações acesse as nossas redes sociais!

Por que é preciso desenvolver resiliência nos negócios? Descubra aqui!

O mercado já é, por si só, um ambiente muito competitivo e com desafios a serem superados. Dessa forma, apenas as empresas que conseguem ultrapassar essa barreira e serem resistentes às adversidades vão conseguir permanecer em pé, executando suas atividades.

Nesse contexto, o gestor deve ter um mindset que o faça enxergar além dos problemas, mantendo o atributo da resiliência nos negócios e fazendo com que os seus propósitos se mantenham firmes para o bem maior da empresa. Desse modo, o empresário poderá ter um controle mais eficiente sobre a ocorrência de situações adversas que podem, porventura, aparecer e comprometer o desempenho do negócio em determinado momento.

Neste artigo, vamos apresentar porque o desenvolvimento da resiliência nos negócios é essencial para mantê-los em pleno funcionamento e como desenvolver essa técnica com eficiência. Confira!

O que é resiliência nos negócios?

A resiliência é o conjunto de pensamentos e ações que fazem com que uma pessoa consiga encarar adversidades e mudanças e superar os pontos negativos desses elementos.

Aplicando esse pensamento com foco empresarial, podemos dizer que, por meio do controle da mentalidade, o empresário ou o gestor do negócio têm forças para conduzir os negócios de forma assertiva e estratégica, indo em direção aos objetivos e agindo em prol do bem comum do empreendimento, mesmo que contratempos aconteçam eventualmente.

Desse modo, um profissional resiliente consegue enxergar vantagens e oportunidades em uma situação negativa, analisando as potenciais soluções e promovendo as mudanças estratégicas necessárias para superar as adversidades. A resiliência é, então, a capacidade de:

  • prever a ocorrência de crises e analisar maneiras de se preparar para elas;
  • agir positivamente diante de uma circunstância desafiadora para os negócios;
  • promover as mudanças para que a empresa continue firme e forte no mercado;
  • manter atividades e habilidades mesmo que a empresa passe por dificuldades;
  • manter também (e principalmente) a missão e a visão da empresa, entre outras competências.

Se o empreendedor não tem resiliência, inevitavelmente o negócio vai passar por adversidades com mais frequência e tem grande probabilidade de não ir para frente. Ou seja, as chances de ter que fechar as portas e amargar falência serão muito altas. Mas você não quer que isso aconteça, certo?

Como ter mais resiliência nos negócios?

Preparamos dicas importantes de como desenvolver (e manter) a habilidade de ser resiliente nos negócios. Confira agora mesmo.

Amplie os conhecimentos

Reunir conhecimento é um fator essencial para desenvolver qualquer empresa. Ele compreende desde estudar as tendências e necessidades do mercado, até as fases de produção e vendas. Nesse sentido, o profissional deve estar sempre aprendendo e se atualizando. O mundo está se transformando em uma velocidade muito rápida e para tanto, os conceitos também vão sendo moldados e desenvolvidos com base nesse progresso.

Assim, quanto mais conhecimento o profissional adquirir, mais criativo, confiante e preparado ele estará para enfrentar o mundo dos negócios e conseguir encarar momentos de crise.

Encontre um propósito

Ter paixão pelo que faz já é meio caminho andado. Identifique um ramo com qual você se identifique e mantenha afinidade com ele. Assim, você consegue desenvolver uma mentalidade focada no objetivo final, que é a melhor maneira de superar adversidades.

Se você, como empresário, não sabe como deve agir e como conduzir sua empresa até onde deve chegar, então qualquer lugar serve. Isso é um grave erro. Um dos propósitos do empreendedorismo é  encontrar o negócio ideal e trabalhar em cima dele, mesmo que passe por dificuldades na gestão.

Determine o objetivo do negócio

Quando você estipula metas claras para a sua gestão e para a sua empresa, torna-se mais fácil planejar o caminho que terá que percorrer para chegar ao ponto final. Dessa maneira, os problemas que surgirem serão considerados meras adversidades do caminho, obstáculos a serem transpostos

Se o gestor tem a capacidade de identificar as áreas de sucesso e as vulnerabilidades, maiores são as chances de acertar ao investir seu tempo, dinheiro e conhecimento,

Seja otimista e autoconfiante

Otimismo significar encarar as adversidades como uma oportunidade de crescimento. Trata-se de uma clara mudança de mindset. Portanto, caso esteja passando por situações complexas e desanimadoras, tente se manter confiante e certo de que achará uma solução para o problema.

Assuma riscos

Tenha coragem para ir alémA ousadia é uma qualidade que torna muitos empresários bem-sucedidos. Portanto, dentro do que considera a margem de segurança, teste seus limites e se reinvente. Descubra o seu diferencial e trabalhe em cima dele.

Lance novos produtos, invista em novas campanhas de marketing, ofereça serviços diversificados. Tudo isso são estratégias para você conquistar novos clientes e melhorar a sua imagem perante o mercado.

Fortaleça o networking

Manter boas relações profissionais e ser sociável é outra maneira de fortalecer a rede de contatos e promover a sua empresa. Tenha sempre (sempre mesmo!) em mente a imagem que quer passar: um empresário firme, motivado e alinhado com os propósitos da empresa.

Por isso, invista nos diálogos com fornecedores, clientes e os próprios empregados. Esse fortalecimento nas relações é uma boa maneira de motivar as partes e, assim, agregar valor ao negócio.

Seja mais flexível

A flexibilidade está intimamente ligada à resiliência e à forma de se reinventar. Se algum resultado não saiu como planejado anteriormente, pense em novas maneiras de fazer dar certo. Evite ser radical demais e aprenda a observar o seu redor. Assim, você não deixe passar oportunidades importantes que podem fazer toda a diferença para o seu sucesso.

Use tecnologias como aliadas

As inovações tecnológicas surgiram para otimizar as tarefas nas empresas. Nesse sentido, ser resiliente envolve adotar mecanismos automatizados que vão trazer segurança, eficiência e agilidade aos processos, propiciando resultados positivos para a organização. Podemos citar como exemplos softwares de gestão, sistemas de backup e recuperação, armazenamento em nuvem etc.

Alinhe o negócio

É importante conhecer os pontos fortes e fracos da empresa e do gestor. Portanto, identifique como a empresa deve se portar, a imagem que vai passar para o público, as técnicas de vendas que precisa adotar para ter lucros etc. Trabalhe no sentido de cumprir essas metas necessárias.

Administrar um negócio implica correr riscos e suportar adversidades ao longo do caminho. Os desafios estão inerentes em toda atividade empresarial. Nesse cenário, desenvolver a resiliência nos negócios é a melhor forma de encarar o surgimento de problemas e determinar medidas para que eles sejam solucionados. Portanto, seja inspirado, corajoso e se arrisque. O mercado precisa de empresários resilientes e que não se deixam abater por qualquer crise.

Você já passou por algum problema na empresa e resolveu a questão de maneira resiliente? Deixe um comentário abaixo!

Saiba agora quando é a hora certa de contratar funcionários

Contratar funcionários é um passo muito importante em um negócio que está lucrando e progredindo. Com essa atitude, o gestor consegue gerenciar melhor as suas responsabilidades e aproveitar mais o tempo ao delegar as tarefas para outros colaboradores. Dessa forma, ele pode focar em desenvolver a empresa.

É muito importante que todo empreendedor entenda isso, principalmente os investidores iniciantes que desejam gerir o próprio negócio, mas não sabem como começar. Além disso, o gestor que delega atividades consegue manter um ritmo de trabalho mais escalável e sustentável, vivendo com maior qualidade de vida.

Continue a leitura e entenda o momento ideal de contratar funcionário, além de aprender quais são os processos para realizar esse avanço no seu negócio com eficiência.

Confira as dicas para contratar funcionários

Para atrair e contratar os melhores colaboradores, o gestor tem que seguir alguns passos que nós listamos a seguir. Confira.

Planeje as fases do processo

O planejamento é a chave para o gestor não ultrapassar os limites do orçamento financeiro da empresa. É importante que ele entenda as necessidades e pense nos seguintes pontos:

  • valores e princípios que a empresa acredita;
  • quantos colaboradores recrutar;
  • quais áreas precisam de mais profissionais;
  • descrições e atribuições dos cargos;
  • competências técnicas comportamentais e habilidades necessárias;
  • salários e benefícios.

Foque nas áreas mais importantes

Agora que você já sabe o setor que está mais carente de colaboradores, foque em resolver o problema dele. Por exemplo, se o setor de atendimento de uma escola de inglês estiver precisando de vendedores, você deve providenciar a contratação de um novo funcionário.

Lembre-se de que tempo é dinheiro, então quanto mais cedo você corrigir esse gargalo, mais rápido você resolve o problema. Imagine o impacto que um mau atendimento causa? Longas filas de espera, perda de clientes, sobrecarga de trabalho, estresse entre os colaboradores, ou seja, a produtividade da equipe é minada.

Divulgue nos canais certos

Depois do planejamento, foque na parte de encontrar os melhores portais para divulgar a vaga. Existem portais pagos ou grátis. A escolha está relacionada ao perfil do colaborador ideal que você planejou e a quais canais ele costuma acessar para buscar as vagas.

Não adianta você sair divulgando a oportunidade em vários sites e portais, isso só vai atrapalhar o processo de recrutamento e seleção. Por isso, o ideal é ter uma atitude certeira e escolher os canais mais estratégicos.

Otimize o processo de seleção e entrevistas

O processo de contratação em si já é oneroso. Imagine, então, se o gestor ficar só adiando a vaga? Isso torna tudo mais custoso. Para evitar essa situação, estabeleça um prazo para captar e realizar entrevistas.

Outra dica é elaborar um questionário com antecedência e já programar quais as dinâmicas de grupo serão necessárias. Elas são muito úteis, principalmente para a primeira seleção, na qual você escolhe os perfis que mais se encaixam com os valores do seu negócio.

Treine e acompanhe a performance individual

Após encontrar o candidato ideal, é importante que você acompanhe o desempenho dele e o seu desenvolvimento na execução das tarefas. Você pode fazer isso por meio de planilhas de performance ou ferramentas de gestão, como questionários ou análise 360º.

Além disso, ofereça opções de treinamentos corporativos. Caso seja necessário, oriente quanto às práticas de EPIs, a fim de evitar qualquer acidente de trabalho. Você pode também oferecer premiações de incentivo quando o colaborador atingir metas, por exemplo.

Essas práticas objetivam atrair e manter o funcionário ideal. Embora estejamos em um tempo de alta demanda de pessoas procurando emprego, é importante que o gestor entenda que reter os melhores colaboradores sai mais em conta do que sempre contratar novos funcionários.

Assim sendo, comece por um bom planejamento e descreva e organize cada fase do processo de recrutamento e seleção. A princípio é bom entender quais áreas têm sobrecarregado você e atrapalhado a produtividade do time, depois, mãos à obra!

Gostou do post? Entendeu como contratar funcionário com rapidez e eficiência? Aproveite e confira mais um de nossos artigos: “Por que é essencial classificar corretamente os custos e despesas da franquia?“. Até mais!

Samuel Klein, das Casas Bahia – Histórias inspiradoras

Samuel Klein é o personagem da história motivacional deste post.

Histórias inspiradoras são ótimas ferramentas de motivação. Conhecer a trajetória de empreendedores de sucesso é, mais do que apenas uma curiosidade, mas também um relevante instrumento de aprendizagem. Afinal, ainda melhor do que aprender com os próprios erros é ser capaz de aprender com os erros dos outros.

Se você busca inspiração e precisa de um impulso para arejar sua jornada empreendedora, não deixe de ler o texto até o fim! A seguir, você encontrará detalhes das experiências de Samuel Klein, o criador das Casas Bahia, e entender um pouco mais sobre o legado desse grande gestor. Vamos em frente e boa leitura!

O começo do empresário: a dificuldade da guerra

Nascido em 1923, na Polônia, Samuel enfrentou grandes impasses desde muito cedo.

Quando tinha apenas 19 anos, durante a Segunda Guerra Mundial, sua família foi separada: ele e o pai foram encaminhados a um campo de concentração e então submetidos a trabalhos forçados. A mãe e os cinco irmãos foram levados a um campo de extermínio — e Klein nunca mais tornou a vê-los.

Mesmo imerso a um contexto tão violento e desconcertante, Samuel tinha em si uma vontade inabalável de viver. Esse ímpeto o levou a fugir do campo de concentração, instalando-se em Munique — onde reencontrou o pai, casou-se com Ana e deu os primeiros passos na área de vendas.

A superação e o empreendedorismo

Em 1951, Klein decidiu tentar a vida na América do Sul. Primeiro, aportou na Bolívia, mas ao perceber que o país também passava por uma guerra civil, mudou-se definitivamente para São Caetano do Sul, em São Paulo.

No início, para prover o sustento da família, Samuel vendia itens de cama, mesa e banho em uma charrete. Batia de porta em porta oferecendo os produtos e, quando o cliente se interessava pela mercadoria, mas não tinha condições de adquirir, oferecia facilidades diferenciadas no pagamento. Nascia, então, o formato embrionário do que seria uma das maiores varejistas do país, as Casas Bahia.

As lições de Samuel Klein

Samuel Klein é um exemplo de persistência e superação. Sua trajetória, mesmo que marcada por episódios tristes e violentos, é uma história absolutamente inspiradora.

Dentre as lições desse empreendedor notável, fica difícil selecionar quais são as mais relevantes. Ainda assim, destacam-se:

  • a determinação, que o impulsionou a superar graves impasses, sempre acreditando que o trabalho duro, norteado pela ética, reservaria resultados engrandecedores (e lucrativos);
  • a generosidade, que o tornou referência em consumo para a classe C, que, ainda que tenha menos condições financeiras, deseja ter acesso a produtos de qualidade;
  • a visão de negócios, que sempre o motivou a buscar soluções atualizadas, coerentes às demandas de consumo, e pertinentes ao público-alvo de sua empresa.

Na prática, Samuel Klein podia ser descrito como um empreendedor completo: era focado, resiliente e tinha um olhar humano sobre as relações que construiu, ainda que comerciais. É por isso que foi capaz de edificar um império, e de continuar prosperando sua marca e patrimônio ao longo dos anos.

As Casas Bahia, de Klein, e o mercado brasileiro

Por fim, e não menos importante, é válido congratular a conquista de Samuel Klein, como resultado justo de seus esforços.

As Casas Bahia é referência em varejo para a classe C, acumulando resultados positivos a cada balanço. Em 2014, quando faleceu, Klein havia deixado um império, mas também um legado.

Uma de suas frases mais emblemáticas, e um excelente fechamento para sua história inspiradora, era: “meu lema é confiar. Confiar no freguês, nos fornecedores, nos funcionários, nos amigos e, principalmente, em mim”.

Saber uma das grandes histórias inspiradoras de empreendedores, foi um sopro de vigor e despertou em você a vontade de fazer mais e melhor? Ótimo, cumprimos nosso propósito! Que tal, agora, compartilhar suas experiências e projetos conosco? Deixe seu comentário no post!

JUMPER! lança ação que leva alunos à Disney

Alunos passarão uma semana em Orlando com tudo pago

Com o objetivo de promover imersão cultural aos seus alunos, a rede de ensino de idiomas e cursos profissionalizantes JUMPER! lançou o projeto Inter Tour, onde o aluno do curso de inglês, ganha um intercâmbio cultural de uma semana nos Estados Unidos.

“Pensando nos alunos, que há tempos nos pedem um intercâmbio, criamos o Inter Tour, que beneficiará principalmente os jovens das classes C e D. Sabemos que não é fácil se planejar financeiramente para fazer uma viagem dessas. Por isso, unimos o útil ao agradável. Nosso aluno vai terminar o curso fluente em inglês, e vai ganhar a experiência de ir para Orlando, passar uma semana conhecendo a cultura local, além de se divertir nos parques da Disney. Vamos proporcionar a realização de um sonho, e uma experiência cultural que marcará para sempre a vida deles”, conta Everton Sabú, diretor da rede de escolas.

Gustavo Tissot, franqueado de uma das unidades JUMPER!, considera o lançamento do Inter Tour, muito mais que um marco na história da rede de escolas, mas principalmente o cumprimento da missão da empresa que é promover o desenvolvimento humano. “Trabalhamos em nosso dia a dia com adolescentes, e muitos deles conhecemos suas histórias, sabemos dos seus sonhos, e suas condições de vida. A maioria não teria esta oportunidade de viajar para o exterior tão cedo. Proporcionar esta experiência para eles será algo muito gratificante para todos nós”, conta.

Segundo Gustavo, a procura por cursos de inglês nunca diminuiu, mas a retenção dos alunos é um dos desafios das escolas de idiomas, principalmente das que tem o público adolescente. “Adolescente costuma ser mais instável, e mudar de ideia com relação aos seus objetivos. O que é absolutamente normal nesta fase, afinal estão buscando e entendendo melhor suas identidades. Por isso, um incentivo para que se mantenham focados é extremamente importante. Acredito que incentivar com a possibilidade de uma viagem incrível, com os colegas de classe e professores, vai fazer com que o aprendizado se torne mais leve, e que seja mais fácil manter a disciplina nos estudos”, afirma.

“Eu ganhei uma motivação extra para cursar e concluir o inglês. Eu sempre tive o sonho de conhecer a Disney, e agora vejo que é possível estar lá. Basta eu não faltar mais as aulas. Estou muito empolgado em saber que daqui alguns anos estarei fluente em inglês e ainda vou poder conhecer pessoalmente o Mickey”, comemora o estudante da unidade JUMPER! Portão – Curitiba-PR, Bruno Grudeski de 17 anos.

Para ganhar a viagem, os alunos precisam ter mais de 12 anos, obter freqüência de no mínimo de 80% nas aulas, e concluir todos os módulos do curso de inglês.

Histórias inspiradoras: Nevaldo Rocha, o dono das lojas Riachuelo

Empreender é superar desafios constantemente, assim como não desanimar com obstáculos e dificuldades que fazem parte desse universo. Para estar sempre motivado a persistir em uma ideia de negócio, é importante manter o foco nas ambições. Histórias inspiradoras podem ser a injeção de ânimo fundamental para quem busca um caminho e não tem mentores na família, por exemplo. A trajetória de Nevaldo Rocha, dono da Riachuelo, é uma das que merecem ser lembradas como referência de superação.

Quer conhecê-la? Então, acompanhe o texto a seguir e saiba mais. Boa leitura!

De menino do sertão a empresário de sucesso

Rocha é natural de Caraúbas, no interior do Rio Grande do Norte (RN). Nascido em uma família humilde, com apenas 12 anos ele viu a necessidade de buscar condições de vida melhores para todos. Foi aí que abandonou a escola e partiu para Natal, a capital do RN, onde conseguiu seu primeiro emprego como vendedor na maior relojoaria da cidade.

O tino empreendedor se manifestou nessa fase: ao perceber que a cidade era um ponto de passagem de pilotos de avião norte-americanos e brasileiros, passou a oferecer seus produtos na base onde eles permaneciam. Deu tão certo que Rocha se destacou. Com a experiência e o patrimônio adquiridos, comprou o estabelecimento do antigo patrão.

Em parceria com um irmão, criou a loja  “A Capital”, em Natal, voltada para o comércio têxtil. Com o sucesso dos negócios, a rede foi ampliada e uma confecção de roupas da marca foi aberta em Recife, a capital de Pernambuco (PE).

Isso demonstra seu olhar empreendedor: em uma época em que o mercado têxtil no Brasil era praticamente inexistente, ele optou não apenas por investir massivamente na área, mas ampliar a presença da marca em capitais importantes.

Depois de mais de 20 anos de atuação no nordeste — e com a maturidade da parceria com os irmãos —, Rocha resolveu alçar voos maiores: comprou a rede de lojas Riachuelo e Wolf e o complexo Guararapes Têxtil. Era o início de uma das maiores redes varejistas do país.

Registro nas páginas da Forbes

Com mais de meio século de atuação, as lojas Riachuelo e o grupo Guararapes tornaram-se um dos maiores conglomerados varejistas da América Latina. A cada ano, mais de 30 unidades são abertas em diferentes localidades — e elas representam mais de 70% do faturamento do grupo.

Além do ramo varejista, fazem parte do grupo empresas como Midway Financeira, Transportadora Casa Verde e Shopping Midway Mall. Ao todo, o complexo tem mais de 40 mil colaboradores diretos e indiretos. Isso torna Rocha, segundo a revista Forbes, um dos bilionários do país.

Inspiração para futuras gerações

Uma característica marcante do empresário — e que foi transmitida para as outras gerações da família que também atuam na empresa — é não se acomodar. Ele mesmo está sempre em busca de inovações e de superar desafios.

Foi com essa garra que sua neta, Marcella Kanner, fez parcerias com Versace, Osklen e outras marcas conhecidas mundialmente. Essa atitude faz que a Riachuelo seja cada vez mais conhecida no exterior e tenha possibilidade de se fazer presente fora do Brasil.

Os bons resultados de parceria alcançados por Marcella foram cultivados durante muitos anos até amadurecerem e virarem exemplos de sucesso. E esse é um ponto importante na vida de todo empreendedor: saber perseverar e ter paciência para alcançar objetivos.

Ensinamentos de sua história

Mais do que uma história inspiradora, a biografia de Rocha traz em si o espírito guerreiro que todo empreendedor deve buscar e manter dentro de si. Em vez de se acomodar enquanto ganhava dinheiro como vendedor de relógios, ele resolveu se superar. E foi esse sentimento de se desafiar que o tornou um grande empresário.

Por mais que o medo de fracassar esteja sempre presente na vida de um empresário, é importante mantê-lo distante. O foco deve ser buscar novas forma de reinventar o próprio negócio. Rocha aproveitou a experiência do primeiro emprego para atuar no mercado têxtil. Depois, passou para o varejo e construiu uma grande empresa.

Dessa história, é possível absorver que toda experiência profissional adquirida ao longo da vida pode influenciar tomadas de decisão futuras. No caso de Rocha, talvez ele não tivesse tido o mesmo sucesso se não tivesse começado a vida como vendedor de relógios.

De funcionário a empreendedor

Para quem é funcionário de uma empresa e sonha em ter o próprio negócio, é importante ter em mente que a bagagem profissional adquirida ao longo dos anos não deve ser desmerecida. Aliás, é justamente por saber que o mundo corporativo não lhe serve mais que os indivíduos passam a buscar maneiras de se reinventar.

Ou seja, antes de abrir um negócio, é preciso planejá-lo: como será feito, quais são as oportunidades que o mercado oferece naquele ramo e quais são as metas de curto, médio e longo prazos. A internet pode ser uma grande aliada, já que há uma quantidade incontável de sites, cursos e vídeos (em plataformas como o YouTube) que podem dar ao empreendedor noções básicas do mundo dos negócios.

Fora o mundo digital, é de suma importância cercar-se de pessoas e energias que engajem o espírito empreendedor de quem vislumbra ter o próprio negócio. A troca de experiência é fundamental para o crescimento de qualquer ser humano e boas relações são sempre uma forma eficaz de adquirir sabedoria.

Além disso, histórias inspiradoras como a de Rocha ajudam jovens empreendedores a terem esperança e otimismo quando houver momentos de dificuldade. Da mesma maneira que o dono da Riachuelo criou um conglomerado de sucesso, que hoje tem décadas de história, há trajetórias de visionários jovens que podem servir de exemplo.

O importante é estar em contato com esse mundo e buscar saber mais sobre empreendedores que já trilharam essa jornada. É o caso, por exemplo, de Luiza Trajano, um dos maiores nomes do varejo brasileiro, que também tem uma trajetória de superação e sucesso.

Já conhecia a história de Nevaldo Rocha? Quer se informar sobre outros empresários em quem se inspirar? Então, continue sua visita aqui no blog e confira a história de Romero Rodrigues.

Conheça as 5 principais feiras de franquias e eventos!

O sistema de franquias de uma empresa é uma prática comum no Brasil e de aumento gradual a cada dia. Essa modalidade de investimento é bem aceita no mercado e ajuda a expandir a marca entre o público.

Mesmo na crise pela qual o país passa, o setor de franquias não parece sofrer muito. Pelo contrário, esse segmento cresce e se inova sempre mais.

Pensando nisso, que tal visitar uma feira de franquias? Se você é empresário, quer transformar seu empreendimento em um negócio promissor ou pretende abrir um, deve começar a se planejar para isso o quanto antes.

Esses eventos são organizados todos os anos com o intuito de apresentar as melhores oportunidades aos investidores, além de ajudarem a entender essas operações e apresentarem técnicas aprimoradas de gestão. Quer saber mais? Acompanhe a leitura!

Quais são as principais feiras de franquias do país?

Neste artigo, vamos apresentar as cinco principais feiras de franquias que acontecem pelo país.

1. ABF (ABF Franchising Expo)

A ABF Franchising Expo é considerada a maior e mais completa feira de franquias do ramo dos negócios, na América Latina. Só no ano passado o evento reuniu mais de 400 marcas.

Ela é uma grande oportunidade para os empresários que querem saber mais sobre os detalhes dessa modalidade e como funcionam as operações de uma empresa franqueada em diversos segmentos, como o alimentício, de educação, informática, beleza, comércio, dentre outros.

A sua programação inclui congressos e debates com os profissionais do setor, desde pequenos empreendedores até fornecedores de grandes multinacionais. O evento acontece no Expo Center Norte, em São Paulo, todos os anos.

2. Expo Franchising ABF Rio

A Expo Franchising ABF Rio é uma das maiores feiras de todo o mundo e acontece na cidade do Rio de Janeiro, mais precisamente no Riocentro. Ela realiza a interação entre investidores e a apresentação de simpósios sobre serviços e marcas, de diversos setores, que querem se tornar franquias.

3. ABF Franchising Expo Nordeste

A ABF Franchising Expo Nordeste é um acontecimento mais regional e leva em consideração a situação econômica daquela localidade. Ela ocorre na cidade de Recife, mais especificamente no Centro de Convenções de Pernambuco. O evento é patrocinado pela Associação Brasileira de Franchising. O seu objetivo é oferecer possibilidades de negócios inovadoras para os empresários e também maiores chances de abertura de novas franquias, a fim de promover suas marcas.

4. Franchising Fair Sudeste

A Franchising Fair Sudeste é sediada na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Ela tem como objetivo trazer todas as novidades do setor de franquias aos empresários de todos os ramos da economia, como alimentação, moda, serviços, vestuários, entre outros. O evento apresenta palestras e orientações específicas de como abrir um negócio de sucesso.

5. Brasil Expo Franquias

A Brasil Expo Franquias é outro exemplo de grande evento conceituado no mundo das franquias. A feira acontece na cidade de Blumenau, em Santa Catarina, geralmente no Shopping Park Europeu.

Ela é o lugar perfeito para conhecer mais sobre o mercado de franchising e as melhores alternativas de investimento. Quem mora no Estado, não deve deixar de participar.

Como aproveitar melhor uma feira de franquias?

Vamos passar algumas dicas para você tirar o máximo de proveito quando for visitar essas feiras e os eventos dentro delas.

Visite com disponibilidade de tempo

Esteja certo de que tem tempo suficiente para conhecer tudo aquilo que deseja. Normalmente, essas feiras oferecem várias interações com os visitantes e você pode levar mais tempo do que havia planejado.

Existem diversas opções de empreendimentos, e você terá a oportunidade única de conhecer melhor o assunto e de conversar com os profissionais do ramo.

Por isso, visite sem pressa. Se puder, reserve o dia inteiro apenas para se dedicar a esse evento.

Vá além dos stands

Esses locais oferecem cursos, alguns gratuitos, de imersão no universo das franquias, com o objetivo de que os visitantes conheçam a fundo sobre essa modalidade e possam investir sem medo.

Por isso, vá além do tradicional oferecido nos stands. Participe, interaja de verdade. Essa atitude é uma ótima chance para esclarecer todas as dúvidas com os especialistas no assunto e vivenciar novas experiências. Quem sabe não surge uma ótima ideia na sua cabeça?

Olhe todos os segmentos

Mesmo que você já seja um empresário e tenha interesse em somente uma determinada área, por que não visitar os demais stands?

Essa é uma ótima ideia, pois você pode conhecer como funcionam os mecanismos dos outros ramos de negócio. Pode até mesmo surgir um interesse em uma marca nova que vai fazer sucesso na sua região com os seus clientes. Por isso, esteja aberto às novidades e não tenha preconceitos. Não fique apenas no seu nicho e vá conhecer tudo.

Pergunte sempre que tiver dúvidas

Essa dica é um pouco óbvia, mas por incrível que pareça, muitos visitantes e até empresários deixam de anotar as suas dúvidas antes ou ficam com vergonha de perguntar sobre aquilo que não sabem.

Deixe isso de lado! Todos que foram visitar o evento querem saber mais e pode ser que tenham a mesma dúvida que você.

Por isso, faça perguntas sobre tudo que achar importante. Saiba como funciona o lado financeiro de determinada marca, as ações de marketing digital, logística, suporte de clientes etc.

Converse com empresários franqueados

Aqui vale aquele conselho: ouça a voz da experiência. Ninguém melhor do que um franqueado para passar conselhos e contar a experiência que ele teve com o negócio. Ele é o empreendedor que conhece todos os trâmites das operações e tem conhecimento do cotidiano da franquia.

Além de dar motivação, a transparência do empresário pode ser fundamental na sua decisão. Assim, conversar com alguém experiente no ramo pode fazer toda a diferença para investir em um negócio promissor e evitar perigos inerentes em qualquer atividade, que poderiam levar ao fracasso e até mesmo à falência.

Não feche negócios na feira

Evite contratar negócios assim de cara. Vá para casa e pense sobre o assunto. Avalie a proposta e pense melhor sobre as oportunidades e os riscos do empreendimento. Veja se tem condições financeiras de arcar com as despesas, se terá um bom retorno de lucro, se a marca é bem aceita na sua região, por exemplo.

Muitas pessoas, no calor da emoção, fecham um contrato e acabam se dando mal depois, com surpresas inesperadas e prejuízos financeiros. Por isso, tome conta do seu dinheiro.

Quando se trata de negócios, conquistar conhecimento nunca é demais. Essa afirmação é ainda mais útil quando falamos de feira de franquias. Afinal, esses eventos são ótimas oportunidades de conhecer tudo o que envolve essa atividade e de tirar todas as suas dúvidas, ficando livre de preocupações. Por isso, não perca essa chance, anote já na sua agenda e aproveite!

Ficou interessado em visitar alguma feira de franquias? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais! Quem sabe algum amigo seu também esteja interessando em conhecer algum desses eventos e você ganhe uma companhia?

Aprenda com bons exemplos: saiba a importância do benchmarking

A concorrência no mundo dos negócios está sempre acirrada. Por isso, é preciso estar atento às mudanças e inovações que o mercado apresenta. Nesse sentido, o uso do benchmarking tem sido uma importante estratégia utilizada pelas empresas para buscar o aprimoramento constante.

Apesar de ter um conceito muito simples, essa tática requer uma série de cuidados para que seja executada de uma forma eficaz. Neste texto, vamos falar sobre o conceito, seus benefícios e os tipos de benchmarking que sua empresa pode fazer. Confira!

Entenda o conceito de benchmarking

Antes de conhecer todas as vantagens de usar essa estratégia, vamos começar nosso texto explicando melhor o conceito de benchmarking. Acompanhe!

O que é?

O benchmarking é um processo de comparação realizado pelas empresas a fim de identificar erros e acertos dos concorrentes. Podem entrar nessa análise os processos de produção, os processos administrativos, a qualidade dos produtos ou serviços prestados e até mesmo as ações de marketing.

Sendo assim, essa prática serve para aprender com as outras empresas, copiando e melhorando o que tem apresentado bons resultados e evitando a incidência dos mesmos erros.

Como ele é feito?

O benchmarking é composto de uma série de ações planejadas e coordenadas. Portanto, é preciso elaborar um plano e traçar uma estratégia. Tudo isso envolve a definição de objetivos e metas, limites, fontes de dados, escolha dos concorrentes a serem analisados e, o mais importante, a análise e utilização das informações obtidas.

Existem diversas formas de coletar as informações, mas tudo dependerá do tipo de benchmarking e dos objetivos que se pretende alcançar.

Por que ele funciona?

O benchmarking funciona porque identifica quais são os melhores processos que vêm sendo praticados no mercado para serem copiados e aprimorados. Além disso, ele também identifica os principais pontos de melhorias e gaps que as empresas concorrentes têm deixado.

Dessa forma, é possível estabelecer uma estratégia de diferenciação, aproveitando os pontos positivos e corrigindo os pontos negativos. Assim, sua empresa mostra mais valor para os clientes e se posiciona à frente da concorrência.

O ponto crucial que define a efetividade dessa técnica é a utilização dos dados, fatos concretos. Sem achismos ou decisões incertas.

Conheça os benefícios do uso dessa técnica

Agora que você já sabe o que é o benchmarking, vamos conhecer seus principais benefícios. Acompanhe!

Melhora no conhecimento interno da empresa

O benchmarking ajuda a empresa a se conhecer melhor. Afinal, ao avaliar o que os concorrentes têm praticado, ela deve fazer uma comparação com suas práticas internas. Dessa forma, ela entende melhor como estão sendo realizados seus processos e quais são os possíveis pontos fortes e pontos de melhoria a serem trabalhados.

Identificação de objetivos e prioridades

Com base nas informações do benchmarking, uma empresa pode descobrir que está focando seus esforços nos objetivos errados e, por isso, não consegue obter os resultados pretendidos. Ao analisar as melhores práticas do mercado, é possível saber se o seu negócio está no caminho certo ou se ele precisa de alguns ajustes de rota.

Conhecimento do meio no qual a empresa está inserida

Muitas empresas acabam perdendo mercado por não acompanharem as mudanças e evoluções do setor. Por meio do benchmarking isso não acontece, visto que pequenas alterações no comportamento geral da concorrência são rapidamente percebidas. Sendo assim, é possível se adequar a tempo e até mesmo se colocar à frente dos concorrentes.

Otimização de processos a partir de bons exemplos

Todo mundo já ouviu falar da expressão “reinventar a roda”. É justamente isso que o benchmarking busca evitar. Para que gastar tempo e dinheiro criando processos que muitas vezes já existem no mercado?

Analisando os processos dos concorrentes, a sua empresa pode aproveitar a base e fazer pequenos ajustes para se adequar à realidade do próprio negócio. Com isso, você aprende com os bons exemplos, poupa investimentos e otimiza seus processos.

Melhoria em relação à concorrência

Todo processo pode ser melhorado. Inclusive aqueles que não foram criados por você. Por isso, conhecendo as práticas adotadas pelas empresas do setor, você pode identificar pontos de melhoria e usá-los para se destacar no mercado. Com isso, você pode apresentar um diferencial aos seus clientes, se posicionar à frente da concorrência e até mesmo aumentar a sua receita.

Saiba quais são os tipos de benchmarking

O benchmarking pode ser de vários tipos, conforme o seu objetivo principal. Vamos conhecer cada um deles a seguir!

Interno

O benchmarking interno consiste na análise dos processos da própria empresa em busca das melhores práticas. É muito utilizado em empresas maiores, que têm mais de uma filial e uma diversidade muito grande de setores.

Dessa forma, cada filial ou setor pode apresentar um processo que se destaque e deva ser replicado para toda a empresa.

Competitivo

O foco do benchmarking competitivo é analisar as práticas da concorrência a fim de superá-las. Ou seja, ele busca entender, principalmente, o que essas empresas têm deixado de entregar para seus clientes.

Podem ser analisados os produtos, serviços e até mesmo o marketing da outra empresa. O importante é entender como ela faz, identificar pontos de melhoria e fazer de uma forma aprimorada.

Funcional

Já o benchmarking funcional busca analisar processos de trabalho que não necessariamente são de empresas diretamente concorrentes. O foco aqui é identificar formas de executar tarefas que possam ser copiadas, independentemente do setor de atuação da empresa.

Colaborativo

O benchmarking colaborativo, como o próprio nome sugere, busca a cooperação entre as empresas. Nesse caso, o foco é a formação de uma parceria entre duas ou mais empresas. Dessa forma, é feita uma troca de informações sobre os processos, que pode ser integral ou parcial. O importante é proporcionar benefícios para todas as empresas envolvidas.

Como vimos, o benchmarking é uma ferramenta muito poderosa. Ela pode fortalecer os processos de uma empresa e ajudá-la a se destacar entre seus concorrentes. Por isso, é importante adotar essa prática e manter a análise constante do mercado.

Além de olhar para fora da empresa, é preciso se atentar para seu interior. Você sabe como fazer para alcançar as metas e os objetivos em uma franquia? Confira a resposta agora mesmo lendo o nosso post sobre o assunto!