transformamos a vida de milhares de jovens através da educação.

Everton Sabú
Fundador

Junte-se a Nós nesta missão!

5 principais erros ao se começar um negócio

Abrir uma empresa pode ser o sonho de muita gente, mas alguns empreendedores acabam cometendo erros pela falta de informação ou de planejamento. Segundo dados do Sebrae, cerca de 30% das empresas abertas no Brasil fecham antes de completarem dois anos. E é claro, nós queremos que você tenha muito sucesso no seu empreendimento. Então, fique atento às nossas dicas para não cair nessa armadilha.

  1. PLANEJE-SE

O planejamento é essencial em todas as fases da vida de um ser humano, e claro, no mundo dos negócios também, afinal, é necessário definir aonde se espera chegar e quais os recursos exigidos ao longo do caminho. O grande número de empresas que fecham antes de seus primeiros dois anos está muito relacionado à falta de planejamento.

  1. CONHEÇA VERDADEIRAMENTE O RAMO EM QUE DESEJA ATUAR

Muitos são os segmentos disponíveis no mercado. Alguns empreendedores acabam pesquisando superficialmente sobre cada um deles antes de tomar a decisão da área onde investir. Esse é um erro muito grave. Sem conhecer a fundo o ramo em que se deseja investir, como será possível perceber as verdadeiras oportunidades para abrir uma empresa?

  1. FAÇA UM PLANO DE NEGÓCIO

O plano de negócios é uma ferramenta fundamental. Ele pode ajudar na definição de quais serão os recursos materiais, financeiros e humanos utilizados no empreendimento e como ele deverá ser visto pelos clientes em médio e longo prazo. Muitos empreendedores deixam de fazer um plano de negócios e acabam por fracassar. Não precisa ser um documento enorme, mas o empreendedor tem que saber o conceito do negócio, a vantagem competitiva em relação aos concorrentes e em quais regiões tem mais ou menos compradores, por exemplo. Aqui no nosso blog temos um post com dicas fundamentais de como criar o seu plano, e ainda, um ebook gratuito que disponibilizamos para você aprofundar seus conhecimentos sobre a ferramenta.

  1. SAIBA QUAL É O SEU DIFERENCIAL

É sempre importante pesquisar a concorrência antes de abrir um negócio. E isso inclui avaliar maneiras de melhorar o seu serviço. É essencial compreender o que seu negócio tem a oferecer de diferente. Coloque-se no lugar de seu possível consumidor e responda a pergunta “Por que eu fecharia com essa empresa e não com outras?’.”Caso você não saiba responder a pergunta, comece a pensar em um possível diferencial para poder se destacar dos concorrentes.

  1. NÃO MISTURE OS GASTOS PESSOAIS COM OS DA EMPRESA

Esse é um erro incrivelmente comum e que tem levado muitas empresas à falência, misturar as finanças pessoais com as da empresa pode ser perigoso. Outro erro é colocar dinheiro do próprio bolso para cobrir gastos da empresa. Lembre-se, a empresa precisa de recursos para se manter, adquirir novos estoques, quitar a folha de pagamento e investir em infraestrutura e em novidades para os seus clientes. Usar o dinheiro indevidamente pode ocasionar o fracasso do negócio.

Pode parecer difícil seguir todos esses passos. Por isso, hoje já existem opções de negócios que já entregam a empresa funcionando e faturando. Como é o caso da franquia JUMPER!

Quando você compra uma escola da rede, recebe a estrutura completa, com ambientes montados e em pleno funcionamento. Além disso, a metodologia de ensino é desenvolvida da melhor forma, com materiais didáticos de qualidade e estratégias de captação de alunos. Não é exigido que o investidor tenha formação na área de educação para abrir uma unidade. Você recebe o negócio em ponto de equilíbrio, sem precisar se preocupar com a implantação.

Everton Sabú, diretor da franquia, destaca que: “O empreendedor deve ter consciência de que o negócio já foi testado e o dono da marca já passou por várias experiências quanto à melhor forma de operar e de fazer a gestão do empreendimento. Desde o primeiro dia de operação ele recebe todo apoio e acompanhamento da franqueadora”.

Já pensou em investir na área que mais cresce no Brasil? Para mais informações, baixe nosso modelo de negócios!

5 dicas de como ser produtivo no mercado de trabalho

Ser uma pessoa produtiva pode parecer difícil, já que normalmente, quando se fala em “ser produtivo” se pensa em executar várias funções ao mesmo tempo. E é exatamente aí que pode estar o problema. Se não houver um bom planejamento e disciplina, você terá dificuldades em continuar trazendo bons resultados para a sua empresa.

Por isso, preparamos uma lista com dicas para alavancar a sua produtividade. Elas terão impacto diretamente na gestão do seu tempo e desempenho pessoal, pode testar e conferir! Vamos lá?

  1. PLANEJE SEU DIA

Crie o hábito de reservar 10 minutos no final do expediente, ou antes de dormir, para planejar o dia seguinte. Organize suas tarefas por ordem de prioridade, procurando deixar as mais difíceis, no topo da sua lista. Conforme o dia passa e as atividades são eliminadas, o dia melhora, e você terá uma agenda mais leve. O importante é que você não fique perdido com tantos afazeres e saiba delimitar quanto tempo precisa para fechar cada ação do dia. Assim, poderá dormir mais tranquilo sabendo que não irá se esquecer de suas tarefas.

  1. MANTENHA-SE ORGANIZADO

Zelar pela organização faz com que as tarefas sejam mais fáceis de serem identificadas e realizadas. Lembre-se que ser produtivo não é apenas fazer diversas coisas em pouco tempo. Mas fazê-las de forma que tragam resultados e retornos positivos. Durante o dia, muitas distrações podem afetar o nosso desempenho no trabalho, como: redes sociais, telefone, conversas paralelas, entre outros. Essas ações podem prejudicar o seu período de trabalho. Tente focar no que é importante, logo você perceberá que seu tempo será mais produtivo.

  1. SE CONCENTRE

Se você possui tarefas que exijam um alto nível de concentração, mantenha o foco em realizá-las uma de cada vez. Não caia na cilada de achar que fazer várias coisas ao mesmo tempo vai aumentar a sua produtividade. Mantenha o foco.S e você fizer uma coisa de cada vez, a atenção em cada tarefa será maior, aumentando assim a qualidade dos resultados e reduzindo o tempo necessário para realizá-las.

  1. FAÇA PAUSAS PROGRAMADAS

Sabemos que a sua meta é se tornar uma pessoa mais produtiva, mas não podemos esquecer que o nosso corpo e cérebro precisam de momentos de descanso para recarregar as nossas energias e não perder a capacidade de produzir ao longo do dia. A dica é programar pausas de cinco ou dez minutos por hora e utilizá-las para caminhar um pouco, ou tomar um cafezinho, por exemplo. Outra coisa muito importante é ter um bom sono. Lembre-se que não é apenas a quantidade de horas dormidas que importa, mas a qualidade do seu sono. Assim você poderá acordar disposto a cumprir as tarefas do seu dia.

  1. CRIE METAS E MONITORE OS SEUS RESULTADOS

Você nunca irá para frente se não souber exatamente aonde quer chegar. Por isso, é importante criar metas, assim você se sentirá constantemente motivado e focado a ser mais produtivo. Para chegar a esse objetivo, você precisará propor a si mesmo (a) novas posturas e monitorar os seus resultados mês a mês. Assim, você saberá se está indo no caminho certo ou se há algo no seu planejamento que não está funcionando como deveria.

Gostou das nossas dicas? Baixe então a nossa planilha de produtividade e otimize o seu tempo!

Seja seu próprio chefe em 2019 – 10 ideias de negócios lucrativos

Com as mudanças do mercado e atual cenário econômico do país, tem sido freqüente o número de pessoas abrindo as suas próprias empresas. Essa tendência de empreender tem crescido cada vez mais, e pensando nisso, separamos 10 ideias de negócios com alta lucratividade para você que deseja ser seu próprio chefe em 2019.

GASTRONOMIA

Hoje em dia, existem diversos tipos de restaurantes, que podem agradar todo tipo de gosto e bolso. Uma tendência que vem crescendo nessa área, são os espaços gastronômicos dos segmentos vegetariano e vegano. Normalmente, nessa categoria, o público-alvo são pessoas que tem uma filosofia de vida diferenciada. Então para apostar neste mercado, você precisa aprofundar seus conhecimentos sobre o estilo de vida que estas pessoas levam e criar um cardápio atrativo.

COMIDA CASEIRA

Outro exemplo, dentro dessa categoria gastronômica, são as famosas marmitas fitness. Pensando em praticidade e alimentação saudável, essa é uma forma de negócio que está ganhando destaque no mercado. As porções são congeladas e após alguns minutos no micro-ondas estão prontas para o consumo. A personalização é a grande sacada deste tipo de produto, pois o cliente pode escolher o seu cardápio e criar as opções de kits diários e semanais.

ARTESANATO

Se você é uma pessoa com habilidades manuais, saiba que nessa área existem vários tipos de empreendimento, como por exemplo, o artesanato a partir de produtos reciclados. Pensando na importância de preservar o meio ambiente, essa é uma excelente forma de empreender. Alguns exemplos de produtos são: cadernos, blocos de notas e agendas feitas com papel reciclado. Toda a decoração também pode ser feita com materiais reaproveitados. Colocando esse negócio em prática, você pode aperfeiçoar suas habilidades e ainda ajudar a preservar o meio ambiente.

MODA

Sem dúvidas, a internet é um ótimo lugar para divulgar um negócio. Por isso, um empreendimento que tem crescido muito é a criação de brechós online, principalmente em redes sociais como o Instagram e o Facebook. Reaproveitar o velho ao invés de comprar algo novo é um conceito que combina muito com os momentos de crise econômica.

BELEZA

Se você é daquelas pessoas que ama maquiagem e acha que tem talento para isso, essa pode ser uma opção muito rentável. A maquiagem feita em domicílio é uma das principais inovações vistas no ramo da beleza atualmente. Além da comodidade para o cliente, a flexibilidade de horários para o atendimento é algo favorável para quem investe nesse negócio.

CERVEJA ARTESANAL

Assim como os alimentos fitness e gourmet estão na moda, as cervejarias artesanais têm chamado atenção dos consumidores. Segundo o Sebrae, o surgimento das microcervejarias fez com que a bebida mais consumida no país deixasse de ser apenas refrescante e ganhasse qualificação gastronômica, ampliando as oportunidades de negócio.

CONSERTOS E REFORMAS

Da mesma forma que o brechó, esse é outro exemplo de como encontrar formas para reaproveitar o velho. Peças novas e descoladas podem surgir através das reformas e customizações de roupas. Além de econômico, existe o apelo sustentável da ação. E não é apenas a reforma no vestuário, o conserto de eletrodomésticos também pode ser interessante.

ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO

Já demos alguns exemplos de prestadores de serviços, mas existe um novo tipo de empreendimento que vem crescendo nesse ramo, que é o pet care. Essa é pra quem gosta de animais de estimação, pois o profissional pode fazer desde a limpeza do ambiente e alimentação do bichinho, até mesmo adestramento, atendimentos veterinários e recreação.

MÚSICA

Se tem algo que nunca sai de moda, isso é o mercado musical. Se você tem domínio sobre algum instrumento, uma boa opção é dar aulas particulares. Além de você poder atingir um público de diversas idades e estilos, existe a opção de dar aula na casa do aluno. Assim você pode organizar seus horários da melhor forma e aprimorar o seu talento.

EDUCAÇÃO

Um modelo de negócio que cresce fortemente no país, são as franquias no ramo de educação. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), as franqueadoras deste setor movimentaram bilhões no ano passado, mostrando a força desse segmento no mercado.  O economista e diretor da Jumper! Profissões e Idiomas, Everton Sabú, comenta que a pessoa que deseja empreender nessa área, não precisa ter experiência no ramo, e que o crescimento das escolas acontece devido à segurança que esse tipo de franquia apresenta. “O empreendedor deve ter consciência de que o negócio já foi testado e o dono da marca já passou por várias experiências quanto à melhor forma de operar e de fazer a gestão do empreendimento. Desde o primeiro dia de operação ele recebe todo apoio e acompanhamento da franqueadora” destaca Everton.

O mercado de trabalho tem exigido qualificação profissional e uma segunda língua dos profissionais. Atualmente, estima-se que o mercado de educação tem movimentado mais de R$ 134 bilhões ao ano. Só o ensino de idiomas fatura mais de R$ 35 bilhões. É importante ressaltar que, de acordo com pesquisas de empresas do setor, só 3% da população brasileira é fluente em outra língua, mostrando que há uma grande lacuna a ser preenchida e aproveitada por escolas e instituições que atuam nesse segmento.

Gostou das dicas? Agora é só escolher o ramo de negócios que tem mais a ver com você, e dar o primeiro passo rumo a sua independência financeira!

JUMPER! Canoinhas reinaugura em novo espaço

Escola atual terá maior estrutura e cursos diferenciados

 

Canoinhas, 07 de fevereiro de 2019 – A escola de cursos profissionalizantes e idiomas JUMPER! Canoinhas irá reinaugurar sua escola em uma estrutura moderna e confortável, com aproximadamente 800 m², a maior escola da região.

O novo ambiente,conta com dois pavimentos e 11 salas de aula e está situado na rua Eugênio de Souza, nº 532, esquina com a rua Francisco de Paula Pereira.Segundo o proprietário da unidade, Robson Calixto, o novo ponto é uma das melhores localizações da cidade, e comemora: “Creio que poderemos dobrar nosso potencial dentro desta nova estrutura, oferecendo mais vagas em nossas turmas e mais comodidade aos nossos alunos”.

Robson que é franqueado da rede JUMPER! há 10 anos, tinha sua escola anteriormente em um espaço de aproximadamente 200 m² na rua Vidal Ramos, e viu a necessidade de ampliar o local, após o crescimento do número de matrículas, e frente às mudanças positivas da rede, que está inovando em sua metodologia de ensino e nos programas de incentivo ao estudo.

O local escolhido tem grande fluxo de pessoas e englobará além das matérias de idiomas e negócios, formações na área industrial como: mecânica de motos e carros, elétrica e uma das novidades da unidade,o curso de solda.

Na área administrativa, as classes contarão com salas temáticas, a fim de incentivar os alunos a ter maior experiência com o meio a ser estudado, e a colocar em prática o assunto desenvolvido em sala de aula.O lançamento do workshop gratuito “Como ser um Youtuber de Sucesso”, também contribuiu para o crescimento exponencial do número de alunos da escola. “O treinamento é um grande atrativo para os adolescentes da região, visto que a profissão de Youtuber foi regulamentada, e a formação oferecida além de ser gratuita, traz boas bases para quem deseja ter sucesso na Internet”, afirma Robson.

A escola oferece hoje mais de 500 cursos em sete áreas diferentes: administração, negócios, preparatório, idiomas, beleza, saúde e industrial. O carro chefe da escola é o pacote Formatec, onde o aluno pode escolher até três formações diferentes e realizá-las simultaneamente. “O Formatec prepara os adolescentes para saírem profissionais completos e aptos para o mercado de trabalho. Nossa missão é promover o desenvolvimento pessoal e profissional dos nossos alunos, e é uma grande satisfação para nós, quando eles conseguem se posicionar no mercado de trabalho, geralmente em excelentes empresas, e aptos para colocarem em prática tudo o que aprenderam”, acrescenta Calixto.

A reinauguração será nesta sexta-feira, dia 08, a partir das 10 horas. Nesta grande festa, haverá brinquedos infláveis para as crianças, muito chimarrão e tererê e a distribuição de algodão doce e pipoca! E ainda, descontos exclusivos e presentes para quem for conhecer o novo espaço.

 

 

 

6 dicas imperdíveis para encontrar o negócio ideal para você

Constituir uma empresa de sucesso é o sonho de muitos empreendedores. Abrir o negócio ideal é uma possibilidade tentadora e, ao mesmo tempo, uma tarefa que exige coragem e força de vontade.

Não basta apenas motivação, até porque estamos falando de um investimento que vai exigir conhecimentos técnicos, atitudes de liderança e inovação, além de demandar custos iniciais com infraestrutura e mercadorias, por exemplo.

Como nós sabemos, sobreviver no mercado atual exige jogo de cintura e persistência. Diante disso, para que tudo dê certo e saia conforme o esperado é preciso investir em um planejamento adequado e gerenciamento eficiente.

Pensando nisso, a seguir, vamos apresentar algumas dicas de como você pode escolher o negócio ideal para o seu perfil, levando em conta a situação do mercado, os seus objetivos, e como deve ser feita a sua escolha. Está curioso? Continue a leitura!

1. Entenda o seu perfil

Antes de se aventurar no ramo do empreendedorismo e encontrar o negócio ideal, é preciso conhecer as suas preferências e afinidades pessoais. Por isso, é importante considerar a sua personalidade na hora de definir o tipo de negócio e o ramo em que pretende atuar. Conheça os perfis mais comuns de um empreendedor.

Realizador-Empreendedor

Perfil ideal para profissionais do ramo da inovação. Assumem riscos e tendem a ser mais competitivos. Gostam de praticidade e seu trabalho se baseia na estipulação de metas e objetivos que precisam ser alcançados, ao passo que evitam regras.

Realístico-Gerencial

Podem ser ótimos administradores. Seguem um planejamento criterioso e gostam de trabalhar de maneira organizada, mantendo a ordem e valores precisos.

Artístico-Imaginativo

Costumam ter sucesso em áreas artísticas como, decoração e moda. A personalidade desses indivíduos está mais ligada à criatividade.

Concreto-Convencional

Perfil ideal para áreas de advocacia, contabilidade e consultoria. Trata-se do modelo tradicional, que prefere trabalhar com estabilidade, seguindo regras claras e tem facilidade em obedecer a rotinas e prazos.

Social-Afetivo

Perfil para quem trabalha diretamente com atendimento ao público, como vendedores. São pessoas que prezam pelo contato humano e servir aos clientes, com gosto pelo trabalho em equipe.

2. Identifique os seus pontos fortes

Gosta de cálculos? Prefere lidar com o público? Tem facilidade em se adaptar à rotina? Todos nós temos algum tipo de habilidade ou talentos que fomos desenvolvendo ao longo do tempo. Trata-se de características marcantes que podem auxiliar o processo de empreendedorismo e podem impulsionar a procura pelo negócio ideal e o crescimento profissional.

Podemos citar como exemplos: organização, facilidade de comunicação, resiliência e perseverança.

3. Conheça as necessidades do mercado

É importante conhecer o que está em alta, ou seja, a tendência que está sendo mais procurada no marcado. Para isso, é essencial entender o consumidor e saber quais são as suas necessidades e anseios.

Preste atenção no seu público e verifique do que ele precisa. Não adianta nada você se empenhar para oferecer determinado produto, se aquilo não tem alta taxa de rotatividade, ou seja, não vai vender. Depois de observar os consumidores, será mais fácil identificar a carência de mercado.

4. Avalie as oportunidades

A verdade é que cada ramo tem suas características e pertence a um mercado, que pode estar muito ou pouco saturado. Seja qual for a sua escolha, é importante prestar atenção para escolher as melhores oportunidades dentro do seu segmento.

Se você quer abrir uma empresa alimentícia, mas percebe que o mercado está saturado, por que não optar por serviço delivery ou, então, um tipo de comida mais diferenciada, como a vegana ou a japonesa?

5. Analise o segmento com o qual tenha afinidade

Escolha uma área que você goste e que tenha alguma familiaridade. Não é necessário ser expert no assunto, mas o ideal é estar disposto a entender como funciona aquele segmento mais de perto e, então, planejar as estratégias que serão colocadas em prática. Assim, você vai ter motivação para prosseguir e as chances alcançar o sucesso serão muito maiores.

Se você gosta de cozinhar, por que não investir em um restaurante? Se você gosta de moda, pense em abrir uma loja de confecção ou venda de roupas.

6. Encontre o modelo de negócio ideal

Definir o seu modelo de negócio consiste em uma das primeiras etapas da jornada empreendedora. No geral, os dois tipos que você pode escolher são: empresa comum ou franquia. Cada opção apresenta suas particularidades. Por isso, é essencial conhecer melhor como funciona cada uma antes de fazer essa escolha.

Empresa comum

O empresário que controla o seu próprio empreendimento, com a ajuda de gerentes. A seguir, confira os principais modelos de empresas mais comuns no país e que são adotadas por pequenos empresários, conforme o faturamento bruto anual. São eles:

  • MEI: o Microempreendedor Individual tem CNPJ e atua sozinho. O seu faturamento anual não pode ultrapassar até R$ 60 mil. Esse negócio se enquadra no regime tributário do Simples Nacional;
  • ME: a Microempresa é uma forma fácil de abrir um negócio, uma vez que adotam o Simples Nacional, e a burocracia é bem menor. O seu faturamento anual deve ser de até R$ 360 mil;
  • EPP: as Empresas de Pequeno Porte devem ter um faturamento anual superior a R$ 360 mil.

Franquia

O empreendedor de uma franquia utiliza a marca de outra empresa já conhecida e que exerce influência no mercado. Nesse sentido, ele terá à sua disposição todo o suporte e assistência para fazer a administração e gestão financeira da sua própria unidade. Podemos citar como exemplos: contratação dos empregados, formas de conduta, fornecimento de mercadoria e equipamentos etc.

Investir em uma franquia pode ser uma excelente opção para o seu negócio. Esse tipo de empreendimento costuma ser muito mais seguro e estável, se comparado com uma empresa comum. Além disso, o modelo envolve troca de informações entre os demais franqueados e ganhos de escala em um sistema colaborativo que abrange outras redes.

Se você está pensando em empreender e busca o negócio ideal, analise todas as dicas que foram apresentadas. A partir daí, elabore um planejamento detalhado e defina estratégias eficientes, de acordo com o tipo jurídico mais adequado aos seus objetivos. A jornada empreendedora é desafiante, mas pode trazer muitos resultados positivos.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira as habilidades que todo empreendedor de sucesso deve praticar!

Jovem Aprendiz, JUMPER! é a nova parceira do Programa

Programa Jovem Aprendiz, rede de escolas é homologada a operar em todo o Brasil

Parceria com a JUMPER! Profissões e Idiomas visa oferecer para as empresas a viabilização do processo de contratação do programa Jovem Aprendiz.

A Lei da Aprendizagem, criada pelo Governo Federal, obriga as empresas de médio e grande porte a disponibilizar em seu quadro de funcionários, uma cota destinada a contratação de jovens aprendizes. Atualmente, com o eSocial as fiscalizações são muito mais rápidas e certeiras, sendo assim, é preciso que empresas estejam em dia com as contratações, para evitar multas do Ministério do Trabalho.

Ao mesmo tempo em que existe essa nova demanda às empresas, existem jovens a procura de adquirir experiência para dar o passo inicial em suas carreiras e que buscam um lugar no mercado de trabalho.  Para atender a procura tanto das empresas, quanto dos jovens, ainda são poucas instituições homologadas pelo Governo para prestar o serviço e atender as exigências do Programa.

A JUMPER! com suas 150 escolas espalhadas em todo o Brasil vai contribuir para suprir essa necessidade.  “Eu sou fruto do Jovem Aprendiz. Meu primeiro emprego foi através do programa, e talvez eu não estivesse onde estou, se não fosse por ele. Por isso, desde que fundei a JUMPER! me preparei e busquei inserir o programa em nossas escolas. Considero essa homologação um marco na história da empresa, e estou muito feliz em poder contribuir através da educação, para o futuro do nosso país”, afirma Everton Sabú, Diretor da rede.

O programa Jovem Aprendiz – Como funciona 

O programa Jovem Aprendiz é um dos maiores programas sociais do Brasil, e é responsável por auxiliar as empresas na contratação de jovens que desejam ingressar no mercado de trabalho dentro do seu quadro de funcionário. O jovem atuará em rotinas administrativas em jornada de trabalho reduzida, e ao mesmo tempo realizará um curso de qualificação profissional, voltado a sua área de atuação dentro da empresa.

Requisitos para ser contratado

  • Ter idade entre 14 e 24 anos
  • Possuir carteira de trabalho
  • Estar cursando ou ter concluído o ensino regular ou superior
  • Ter desempenho escolar superior a média 6.0
  • Desejar entrar no mercado de trabalho
  • Inscrever-se na JUMPER para participar do Processo Seletivo do Programa Jovem Aprendiz, munido de documentação (RG, CPF, Carteira de Trabalho, Comprovante de Matrícula ou Declaração Escolar)

Benefícios:

  • Carteira assinada
  • Benefícios da CLT (férias, 13º salário, etc)
  • Oportunidade de trabalho em grandes empresas
  • Jornada de trabalho reduzida
  • Trabalha quatro dias e estuda um dia em uma das escolas JUMPER!

Jovem Aprendiz, por que contratar?

  • É obrigatório para empresas com acima de sete funcionários
  • Vantagens e incentivos fiscais
  • Recebe jovem treinado e capacitado para assumir responsabilidades
  • Contribui para a inclusão social de jovens carentes no mercado de trabalho

Como contratar?

Esta é a parte mais simples.

O processo seletivo destes jovens poderá ser realizado pela empresa, ou a JUMPER! poderá realizar uma pré-seleção, encontrando os adolescentes que tenham mais relação com o perfil que solicitado e também com as funções que ele terá de executar.

Antes de ser uma obrigação legal, o programa jovem aprendiz também é uma ação social que visa combater o trabalho infantil e oferecer novas oportunidades as adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

Sobre a JUMPER!

A rede de escolas está há mais de 15 anos oferecendo aos seus alunos qualificação e crescimento profissional. São aproximadamente 500 cursos presenciais e online, em diversas áreas de atuação.

Franquia JUMPER Cursos

Nota fiscal eletrônica? Fique por dentro das mudanças

A nota fiscal eletrônica surge como uma auditoria do governo, com a finalidade de acompanhar os processos administrativos realizados na empresa. É uma forma de verificar se o que o empresário compra/vende confere com o quanto que ele declara no imposto de renda.

Você que deseja abrir um negócio de sucesso, precisa ficar por dentro das novidades dessa exigência do governo. Pode ficar tranquilo que explicaremos tudo neste post. Continue a leitura!

Qual o objetivo da nota fiscal eletrônica?

A nota fiscal eletrônica é um documento fiscal que comprova as transações comerciais de uma empresa. Ela descreve os produtos/serviços, a quantidade, os valores, os impostos recolhidos, e a identificação com a Receita Federal por meio da chave de acesso.

Imagine que determinada escola de idiomas e cursos profissionalizantes fecha parceria com uma empresa e ofereça um curso de inglês com 50% de desconto para uma equipe de funcionários. A escola em questão deverá emitir nota fiscal com o valor restante para a empresa parceira declarar os gastos em seus balanços entre receitas e despesas.

O que é NF-e 4.0?

A NF-e 4.0 surge para facilitar a fiscalização e o controle de emissão das notas fiscais em transações de compra e venda de mercadorias/serviços. Antes esse controle era realizado por emissão de notas fiscais de papel.

Esse modelo fiscal está funcionando desde 2017, mas só entrou em vigor em agosto/2018, no qual o antigo layout (NF-e 3.10) foi descontinuado. Essa exigência conta com a criação e padronização de campos e parâmetros obrigatórios.

Dentre as principais alterações destaca-se a criação de campos para inserir o valor do frete, rastreabilidade de produto por lote, obrigatoriedade de informar o meio de pagamento, entre outros aspectos. Confira agora as principais alterações em mais detalhes e fique por dentro de tudo!

Indicador de pagamento

Na nova alteração, é exigido o preenchimento do campo que indica a forma de pagamento (dinheiro, cheque, cartão de crédito, de débito ou vale-alimentação). Ele passa a compor o Grupo de Informações de Pagamento, que tem um campo onde é exigida a informação do valor de troco que influencia no fluxo de caixa.

Rastreabilidade de produto

O Grupo Rastreabilidade de Produto passa a integrar ao novo layout para trazer dados que permitam o controle de venda de produtos regulados pela vigilância sanitária, como medicamentos, bebidas, embalagens, produtos veterinários, itens odontológicos.

Fundo de Combate à Pobreza

O campo de Fundo de Combate à Pobreza passa a ser uma regra de validação no novo modelo. Ele já estava previsto pela Constituição Federal como recebedor de recursos advindo do recolhimento das alíquotas ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

Outro detalhe, é que esse campo deve ser preenchido com o percentual de imposto para transações internas ou entre estados (interestaduais), passível ou não de ST (Substituição Tributária).

Grupo X-informação do transporte

Nesse novo modelo, houve a alteração do Grupo X-informação do transporte, pelo qual, foram criadas modalidades de frete como, o remetente ou o destinatário sendo responsável pelo envio de produtos.

Código ANVISA

Para o comércio de medicamentos, o código ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deve ser informado, auxiliando a rastreabilidade do transporte.

Em suma, é extremamente importante que o empreendedor entenda sobre a obrigatoriedade fiscal, as alterações do novo modelo. Estar em dia com o fisco garante um negócio sustentável e lucrativo.

Gostou do post sobre o significado, os objetivos e as principais alterações que envolvem a nota fiscal eletrônica? Aproveite e saiba como evitar o fracasso de uma franquia!

Você tem perfil empreendedor?

4 melhores práticas para lidar com clientes inadimplentes

Clientes inadimplentes costumam preocupar os gestores. A ausência de pagamentos programados e o acúmulo de faturas em aberto comprometem o fluxo de caixa e prejudicam os investimentos. Assim, é preciso agir de forma a minimizar as ocorrências e a otimizar os relacionamentos comerciais.

É fundamental entender a importância de se adotar as melhores práticas nas situações em que ocorre inadimplência, optando por uma abordagem eficiente e amigável, de modo que se garanta o sucesso do seu empreendimento.

Se você busca mais informações sobre o assunto, acaba de encontrar o conteúdo certo!  Boa leitura!

Por que adotar estratégias eficazes para lidar com clientes inadimplentes?

A gestão de uma empresa exige uma série de processos e ferramentas. No que se refere à inadimplência, a situação é a mesma, por isso, é preciso definir os procedimentos e contar com recursos capazes de melhorar o desempenho e potencializar os resultados.

Considerando o risco representado por clientes que, por algum motivo, deixam de efetuar o pagamento na data determinada, não se pode negar que há urgência na resolução desse problema. Afinal, a empresa depende da saúde de seu fluxo de caixa para continuar entregando produtos e serviços com qualidade.

Desse modo, em vez de esperar que a situação se agrave, é essencial demonstrar proatividade na contenção dos clientes inadimplentes e na conversão de seus pagamentos em aberto. A sustentabilidade de seu negócio também depende disso!

Quais são as melhores práticas para reduzir a inadimplência?

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre a importância de implementar estratégias eficientes para gerenciar a carteira de clientes, assegurando a saúde financeira da empresa, confira algumas dicas eficazes para lidar com cliente inadimplentes!

1. Mantenha o cadastro de clientes atualizado

As informações básicas, tais como nome completo, endereço, CPF e telefone devem estar atualizadas. Dessa forma, será fácil entrar em contato com o cliente quando preciso, uma vez que as informações necessárias estarão disponíveis.

Esse item também otimiza o tempo gasto nas rotinas de relacionamento e cobrança, garantindo mais eficiência na abordagem e mais precisão na tarefa.

2. Entre em contato antes do vencimento do débito

É recomendável que você não aguarde a data de vencimento da dívida para, só então, entrar em contato com o cliente. Pelo contrário, a melhor forma de minimizar a inadimplência é acioná-lo antes que a fatura vença.

Os lembretes, que podem ser enviados por e-mail ou SMS, por exemplo, são ótimas alternativas para evitar que a pessoa se esqueça do compromisso e influenciam direta e positivamente no montante final de recebimentos.

3. Ofereça formas facilitadas de pagamento

É comum encontrar clientes que estejam enfrentando certas dificuldades para arcar com seus compromissos financeiros. Por isso, é interessante oferecer diferentes formas de pagamento, facilitando a quitação da dívida.

Na prática, você pode disponibilizar descontos na liquidação à vista ou condições estendidas sem aplicar juros sobre juros. Seu cliente, ao perceber os benefícios da proposta, tende a comprometer-se a efetivar o pagamento.

4. Mantenha um histórico do cliente

Por fim, é válido mencionar a importância de contar com um histórico completo do cliente. Ao centralizar todas informações sobre as rotinas de pagamento do consumidor, por exemplo, você tem mais autonomia e segurança para tomar decisões particularizadas.

A facilidade para encontrar e selecionar os dados que precisa sobre os contatos de sua carteira, analisando o relacionamento comercial com critérios transparentes, é imprescindível para minimizar o impacto negativo da inadimplência.

Embora os clientes inadimplentes representem risco à perenidade financeira do negócio, é possível lidar com as faturas pendentes de forma mais efetiva, por meio de processos claros e de ferramentas adequadas. O resultado é uma operação mais produtiva e vantajosa para a empresa..

O conteúdo foi útil para você? Então, aproveite e compartilhe-o em suas redes sociais para que outros gestores também tenham acesso às informações!

Confira 6 dicas para aumentar a qualidade no atendimento ao cliente!

Você já precisou resolver um problema, mas passou horas na linha, em uma ligação, até ser atendido? Se deparou com um sistema lento ou atendentes mal informados? Esses são alguns dos motivos que fazem com que as pessoas queiram desistir de ser cliente de uma empresa.

Uma das melhores estratégias de vendas consiste em fazer um plano de negócios para melhorar a qualidade do atendimento ao cliente. Portanto, as companhias estão investindo cada vez mais nesse segmento, a fim de cultivar e fidelizar os seus consumidores.

Hoje em dia, muitas pessoas buscam recomendações de clientes que conhecem os serviços da empresa para realizar suas compras. Por isso, tenha em mente que essa estratégia é uma boa oportunidade para alavancar as vendas.

Ficou interessado em saber como melhorar o suporte ao consumidor e, consequentemente, aumentar as vendas na sua franquia? Acompanhe este post e confira nossas dicas!

1. Capacite sua equipe de atendimento ao cliente

Fazer melhorias no SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente) é essencial. Ele é o cartão de visitas da marca e faz toda a diferença para a divulgação dela. Assim, se o cliente precisa de ajuda ou de orientação, a primeira coisa que ele faz é procurar o suporte de atendimento da companhia.

Quando ele é bem atendido e fica satisfeito com o tratamento que recebeu, há maiores chances de criar mais confiança na empresa e ocorrer a fidelização. Portanto, capacitar e fazer a gestão da equipe é importante.

Para isso, invista em treinamentos frequentes do seu pessoal. Tenha a certeza de que os atendentes saibam interagir com os consumidores, responder dúvidas, solucionar problemas, além de conhecer os serviços e produtos que são disponibilizados pela companhia.

É possível usar mecanismos tecnológicos que ajudam a mensurar a qualidade do serviço e obter algumas estatísticas, como o tempo de espera e as principais reclamações dos consumidores. Isso pode ser usado a favor da empresa como uma maneira de melhorar o atendimento ao cliente e buscar a perfeição.

2. Ofereça uma experiência única

Oferecer um atendimento ao cliente personalizado é uma estratégia para fidelizar o cliente. Assim, é preciso conhecer o perfil de cada consumidor e, a partir daí, traçar a melhor maneira para proporcionar atenção e conforto. Tenha uma comunicação clara e objetiva e adote valores como empatia, paciência e conhecimento.

Isso ajuda a definir as preferências do público e identificar em que parte a empresa deve investir mais, podendo, dessa forma, crescer e melhorar o seu serviço. Descubra, então, qual o melhor meio de contato, se é pelo telefone, e-mail, WhatsApp, dentre outros.

Depois, invista neles para oferecer uma experiência única aos usuários. Essa prática mantém os clientes satisfeitos e é uma excelente maneira para divulgar os seus serviços.

3. Integre os diversos canais de comunicação

Uma boa empresa disponibiliza vários canais de comunicação para os clientes. Podemos citar como exemplos: perfis em redes sociais, telefone, e-mail etc. E para melhorar ainda mais a experiência do consumidor, essas plataformas podem ser integradas. Mas como isso funciona?

Imagine que uma pessoa tenha problemas com um produto e contate o atendimento ao cliente via telefone. O atendente, então, indica o número do protocolo e pede que ele aguarde o recebimento de um e-mail informando maiores detalhes da sua solicitação. Esse e-mail pode nunca chegar ao cliente, o impedindo, desta forma, de resolver o problema.

Por esse motivo, a possibilidade de entrar no site da empresa e ser atendido por chatbots para verificar como anda o procedimento é interessante.

4. Cultive o relacionamento

Conquistar um cliente é um dos principais objetivos das empresas, mas cultivar um relacionamento pode ser dificultoso, ainda que os benefícios sejam muitos. Por isso, preste atenção na forma como o consumidor é tratado.

Esteja atento às necessidades do cliente, fazendo o máximo possível para solucionar cada uma, ofereça um tratamento cordial e dê atenção aos seus problemas. Mesmo após as vendas, você deve cuidar para que ele se mantenha um fiel consumidor da marca.

Para isso, você pode adotar algumas estratégias de marketing, como enviar e-mails promocionais, conteúdos úteis, fazer sorteios em redes sociais etc. Escute seus consumidores e auxilie sempre que solicitado, isso faz com que eles se sintam especiais.

O segredo é estar presente na vida do cliente de maneira sutil. Dessa forma, cuide deles e esteja disponível. Assim, caso precise de algum serviço, a sua marca será a primeira que virá na mente dele. Logo, manter um bom relacionamento é fundamental.

5. Seja transparente

Ser transparente é ter sinceridade e manter uma relação de confiança e proximidade com o cliente, além de apresentar colocações objetivas e passar o máximo de segurança ao consumidor.

Assim, é importante saber reconhecer eventuais falhas e tentar corrigi-las rapidamente. Se o atendente não compreender uma dúvida e não souber como esclarecê-la, é aconselhável informar que entrará em contato em breve. Logo, assim que possível, procure respostas.

6. Colha os feedbacks dos clientes

Colher feedbacks é muito importante para saber quais serviços são bem prestados e devem ser mantidos, além de quais pontos podem ser melhorados. Essa coleta é possível por meio de perguntas aos clientes, no final de uma ligação, por exemplo.

Solicite que eles avaliem o atendimento e atribuam uma nota. Pedir sugestões para implementar melhorias também é uma boa ideia. Essa é uma atitude que ajuda a descobrir as preferências dos clientes, identificar falhas e lacunas e, ainda, a promover o aprimoramento do serviço.

A preocupação em investir no setor de atendimento é um diferencial para as empresas que desejam crescer e se manter no mercado, que está cada vez mais competitivo. Por isso, adotar medidas que buscam estabelecer um relacionamento duradouro com o cliente é essencial.

Além de procurar solucionar os problemas dos consumidores, o responsável pelo atendimento deve passar confiança, credibilidade e se mostrar disposto a esclarecer as dúvidas. Dessa forma, evita a insatisfação e até mesmo a perda deles, que migram para os negócios da concorrência.

Agora que você já sabe como aumentar a qualidade no atendimento ao cliente, que tal aprender a conquistá-lo? Não deixe de ver nosso artigo sobre como conseguir atrair mais consumidores para o seu negócio!

Aprenda com bons exemplos: saiba a importância do benchmarking

A concorrência no mundo dos negócios está sempre acirrada. Por isso, é preciso estar atento às mudanças e inovações que o mercado apresenta. Nesse sentido, o uso do benchmarking tem sido uma importante estratégia utilizada pelas empresas para buscar o aprimoramento constante.

Apesar de ter um conceito muito simples, essa tática requer uma série de cuidados para que seja executada de uma forma eficaz. Neste texto, vamos falar sobre o conceito, seus benefícios e os tipos de benchmarking que sua empresa pode fazer. Confira!

Entenda o conceito de benchmarking

Antes de conhecer todas as vantagens de usar essa estratégia, vamos começar nosso texto explicando melhor o conceito de benchmarking. Acompanhe!

O que é?

O benchmarking é um processo de comparação realizado pelas empresas a fim de identificar erros e acertos dos concorrentes. Podem entrar nessa análise os processos de produção, os processos administrativos, a qualidade dos produtos ou serviços prestados e até mesmo as ações de marketing.

Sendo assim, essa prática serve para aprender com as outras empresas, copiando e melhorando o que tem apresentado bons resultados e evitando a incidência dos mesmos erros.

Como ele é feito?

O benchmarking é composto de uma série de ações planejadas e coordenadas. Portanto, é preciso elaborar um plano e traçar uma estratégia. Tudo isso envolve a definição de objetivos e metas, limites, fontes de dados, escolha dos concorrentes a serem analisados e, o mais importante, a análise e utilização das informações obtidas.

Existem diversas formas de coletar as informações, mas tudo dependerá do tipo de benchmarking e dos objetivos que se pretende alcançar.

Por que ele funciona?

O benchmarking funciona porque identifica quais são os melhores processos que vêm sendo praticados no mercado para serem copiados e aprimorados. Além disso, ele também identifica os principais pontos de melhorias e gaps que as empresas concorrentes têm deixado.

Dessa forma, é possível estabelecer uma estratégia de diferenciação, aproveitando os pontos positivos e corrigindo os pontos negativos. Assim, sua empresa mostra mais valor para os clientes e se posiciona à frente da concorrência.

O ponto crucial que define a efetividade dessa técnica é a utilização dos dados, fatos concretos. Sem achismos ou decisões incertas.

Conheça os benefícios do uso dessa técnica

Agora que você já sabe o que é o benchmarking, vamos conhecer seus principais benefícios. Acompanhe!

Melhora no conhecimento interno da empresa

O benchmarking ajuda a empresa a se conhecer melhor. Afinal, ao avaliar o que os concorrentes têm praticado, ela deve fazer uma comparação com suas práticas internas. Dessa forma, ela entende melhor como estão sendo realizados seus processos e quais são os possíveis pontos fortes e pontos de melhoria a serem trabalhados.

Identificação de objetivos e prioridades

Com base nas informações do benchmarking, uma empresa pode descobrir que está focando seus esforços nos objetivos errados e, por isso, não consegue obter os resultados pretendidos. Ao analisar as melhores práticas do mercado, é possível saber se o seu negócio está no caminho certo ou se ele precisa de alguns ajustes de rota.

Conhecimento do meio no qual a empresa está inserida

Muitas empresas acabam perdendo mercado por não acompanharem as mudanças e evoluções do setor. Por meio do benchmarking isso não acontece, visto que pequenas alterações no comportamento geral da concorrência são rapidamente percebidas. Sendo assim, é possível se adequar a tempo e até mesmo se colocar à frente dos concorrentes.

Otimização de processos a partir de bons exemplos

Todo mundo já ouviu falar da expressão “reinventar a roda”. É justamente isso que o benchmarking busca evitar. Para que gastar tempo e dinheiro criando processos que muitas vezes já existem no mercado?

Analisando os processos dos concorrentes, a sua empresa pode aproveitar a base e fazer pequenos ajustes para se adequar à realidade do próprio negócio. Com isso, você aprende com os bons exemplos, poupa investimentos e otimiza seus processos.

Melhoria em relação à concorrência

Todo processo pode ser melhorado. Inclusive aqueles que não foram criados por você. Por isso, conhecendo as práticas adotadas pelas empresas do setor, você pode identificar pontos de melhoria e usá-los para se destacar no mercado. Com isso, você pode apresentar um diferencial aos seus clientes, se posicionar à frente da concorrência e até mesmo aumentar a sua receita.

Saiba quais são os tipos de benchmarking

O benchmarking pode ser de vários tipos, conforme o seu objetivo principal. Vamos conhecer cada um deles a seguir!

Interno

O benchmarking interno consiste na análise dos processos da própria empresa em busca das melhores práticas. É muito utilizado em empresas maiores, que têm mais de uma filial e uma diversidade muito grande de setores.

Dessa forma, cada filial ou setor pode apresentar um processo que se destaque e deva ser replicado para toda a empresa.

Competitivo

O foco do benchmarking competitivo é analisar as práticas da concorrência a fim de superá-las. Ou seja, ele busca entender, principalmente, o que essas empresas têm deixado de entregar para seus clientes.

Podem ser analisados os produtos, serviços e até mesmo o marketing da outra empresa. O importante é entender como ela faz, identificar pontos de melhoria e fazer de uma forma aprimorada.

Funcional

Já o benchmarking funcional busca analisar processos de trabalho que não necessariamente são de empresas diretamente concorrentes. O foco aqui é identificar formas de executar tarefas que possam ser copiadas, independentemente do setor de atuação da empresa.

Colaborativo

O benchmarking colaborativo, como o próprio nome sugere, busca a cooperação entre as empresas. Nesse caso, o foco é a formação de uma parceria entre duas ou mais empresas. Dessa forma, é feita uma troca de informações sobre os processos, que pode ser integral ou parcial. O importante é proporcionar benefícios para todas as empresas envolvidas.

Como vimos, o benchmarking é uma ferramenta muito poderosa. Ela pode fortalecer os processos de uma empresa e ajudá-la a se destacar entre seus concorrentes. Por isso, é importante adotar essa prática e manter a análise constante do mercado.

Além de olhar para fora da empresa, é preciso se atentar para seu interior. Você sabe como fazer para alcançar as metas e os objetivos em uma franquia? Confira a resposta agora mesmo lendo o nosso post sobre o assunto!