transformamos a vida de milhares de jovens através da educação.

Everton Sabú
Fundador

Junte-se a Nós nesta missão!

Como conciliar trabalho e família? Confira nossas 5 dicas

Você já teve a sensação de que o tempo passou rápido demais? Na nossa rotina atual, esse não é um sentimento incomum. Com tantas responsabilidades, muitas vezes é difícil conciliar trabalho e família.

Essa é uma questão geradora de angústia para muitas pessoas, que não conseguem fazer com que o sucesso profissional e familiar andem juntos. Se esse é o seu caso, saiba que é possível aumentar essa harmonia, seja você o funcionário de uma empresa ou mesmo dono do seu próprio negócio.

Quer saber como fazer isso? Veja as nossas dicas!

1. Organize sua rotina

O primeiro passo para ter um dia a dia mais tranquilo e sentir que sua semana rendeu, é organizá-la. Para se dividir entre trabalho e família, o planejamento é fundamental. Procure ter uma boa gestão do tempo quando estiver na empresa. Planeje suas ações e concentre-se em cumprir as metas durante o horário comercial, para evitar horas extras.

Em casa, também é possível se organizar para garantir melhor aproveitamento das horas. Analise a rotina da família e veja o que pode ser mudado, para que vocês passem menos tempo resolvendo problemas e possam relaxar mais juntos.

2. Saiba a hora de parar de trabalhar

No mercado de trabalho atual, esse pode ser um desafio para muitos profissionais. Com a competitividade em alta e as metas cada vez maiores, a tendência é que o brasileiro trabalhe sempre mais. Entretanto, saber a hora de parar é fundamental para quem quer ter sucesso também nas outras áreas da vida.

A palavra-chave sempre será o equilíbrio! Trabalhar demais pode trazer malefícios para a sua saúde, sua vida social e, claro, sua relação familiar. Descansar, cuidar de si mesmo e se divertir com as pessoas que amamos são aspectos fundamentais na vida de todos nós.

Sabemos que muitas vezes a empresa precisa de maior dedicação e pode ser necessário fazer hora extra, mas os limites precisam ser respeitados. Não se sobrecarregue e não exija compreensão excessiva dos seus familiares. Se a carga no trabalho estiver prejudicando sua saúde e suas relações, é hora de rever suas escolhas.

3. Utilize as vantagens da tecnologia

É possível se fazer presente em casa mesmo no horário de trabalho, basta aceitar a ajuda da tecnologia. Se você não puder almoçar com a sua família, aproveite esse horário para fazer ligações. Telefonar para sua esposa, filhos ou pais por alguns minutos por dia pode fazer muita diferença na qualidade da relação de vocês.

Durante outros intervalos do trabalho você também pode entrar em contato com seus familiares. Mandar uma mensagem ou fazer uma ligação rápida não vai atrapalhar seu rendimento na empresa.

A tecnologia não é útil apenas para facilitar a comunicação. Também existem opções para ajudar o seu dia a ser mais organizado e render mais. Os aplicativos de agenda, por exemplo, permitem que você programe os compromissos e receba alerta para se lembrar de tudo que foi combinado.

Além disso, há aplicativos que podem dar ideias de programas divertidos para fazer em família. Dessa forma, vocês perdem menos tempo decidindo o que fazer e conseguem aumentar os momentos de lazer juntos.

Para quem trabalha de forma autônoma ou tem a própria empresa, a tecnologia também serve para reduzir seu tempo no trabalho. Reuniões com clientes e pedidos a fornecedores podem ser resolvidos via internet ou telefone, evitando deslocamentos e aumentando o seu tempo em casa.

 

perfil-empreendedor

 

4. Valorize sua família

Não será possível conciliar trabalho e família enquanto o primeiro for prioridade absoluta, em detrimento do segundo. É preciso ter clareza de que a relação familiar é importante e que deve ser tratada com tanta seriedade quanto o trabalho. Do contrário, você sempre dedicará mais tempo à empresa e possivelmente desmarcará muitos compromissos familiares.

Lembre-se de que isso não é saudável. Para ser um bom profissional, você também precisa estar bem consigo mesmo e com quem você ama. Por isso, quando estiver com a sua família, procure se desligar totalmente do trabalho. O tempo de lazer e felicidade são positivos até mesmo para a empresa, pois aumentam sua disposição e produtividade.

Quem gere o próprio negócio provavelmente vai sentir mais dificuldade em distanciar-se do trabalho, por isso a organização da rotina foi nossa primeira dica. Você precisa coordenar a sua rotina de forma que os encontros com a família estejam planejados e ela seja prioridade absoluta nessas oportunidades. Se você só consegue separar poucas horas por dia, ou apenas o fim de semana, é importante que nessa hora as obrigações profissionais sejam postas de lado.

Preze por fazer refeições juntos e conversar toda noite, compartilhando o que aconteceu no dia de cada um e fortificando os laços afetivos. Nas folgas e fins de semana, façam programas que todos gostem. Esses são dias para se divertirem juntos. Fazer passeios e viagens é muito interessante, mas também é possível ter bons momentos em casa, sem gastar muito.

5. Delegue tarefas

Para fazer com que trabalho e família andem juntos, é preciso mais tempo, certo? Como o dia não pode ter mais do que 24 horas, você precisa otimizar a sua agenda. Uma dica é passar a delegar mais — e isso pode ser feito tanto na empresa quanto em casa!

No trabalho, é preciso reconhecer que há colegas com quem você pode contar. Observe se a sua carga horária é excessiva e analise quais atividades podem ser realizadas por outras pessoas ou, pelo menos, com a ajuda delas.

Em casa, vale a mesma ideia. Sua família é a sua equipe e vocês podem se ajudar. Para aproveitar melhor o tempo, divida as tarefas domésticas entre todos. Se a limpeza da casa requer muito de vocês, há a opção de contratar uma diarista. Delegue também o planejamento das atividades que vocês farão no fim de semana. Assim, quando chegar o dia, já está tudo organizado e vocês podem curtir.

Garantir momentos de qualidade na empresa e em casa não é impossível, mas requer organização e compromisso. Para conciliar trabalho e família, siga as nossas dicas! Você consegue ser um bom profissional e, ao mesmo tempo, investir no relacionamento com as pessoas que você ama.

Gostou desse texto? Para receber mais dicas como essas, curta nossa página no Facebook!

Qual o melhor momento para o empreendedor tirar férias?

O sonho de ter seu próprio negócio se realizou e sua rotina agora é tomada por grandes decisões e muito trabalho, certo? Sabemos que se dedicar a uma empresa que é sua faz todo esforço valer a pena, mas é preciso também conhecer os limites e saber a hora de parar um pouco.

Muitos empreendedores não se permitem tirar uns dias de folga para relaxar longe do trabalho. Algo que era um direito quando estavam no regime CLT, vira um privilégio, às vezes carregado de sentimento de culpa.

Mas não precisa ser assim. É muito importante o empreendedor tirar férias, para a saúde dele e da empresa. A sobrecarga de trabalho pode ser exaustiva e acarretar na diminuição da produtividade. Uns dias de descanso deixarão você relaxado e motivado para o trabalho.

Está convencido da importância, mas não sabe como fazer para ficar uns dias longe da empresa? Veja nossas dicas práticas e programe sua folga!

Quando sair de férias?

Essa certamente é uma grande dúvida que surge na hora do empreendedor tirar férias. Se a empresa depende de você, como estabelecer a melhor data de saída? Isso é possível, basta conhecer seu negócio.

Todo empreendimento tem períodos de maior e menor demanda. Alguns são bem claros e não deixam dúvidas. Quem administra um hotel, por exemplo, não pode pensar em viajar de férias na alta estação ou tirar dias de folga nos feriados. Para quem tem uma livraria, a época de volta às aulas exige sua presença diária, já em uma sorveteria, o movimento será bem maior durante o verão.

Se a sua empresa não está em nenhum desses exemplos e você não analisou ainda a sazonalidade dela, faça isso. Observe a movimentação financeira e veja em que épocas o movimento é menor. Esse é o período ideal para você se programar melhor e conseguir tirar uns dias de férias. Afinal, as demandas diminuem e fica mais fácil delegar suas tarefas para os funcionários.

Quanto tempo elas devem durar?

Quem trabalha com carteira assinada costuma tirar trinta dias de férias seguidos, sem preocupações. Para um empreendedor, essa tarefa é praticamente impossível. O ideal, para que você consiga de fato relaxar sabendo que sua empresa está bem, é fatiar suas férias em períodos menores.

Antes de decidir por quantos dias você sairá, é preciso pensar na maturidade do seu negócio. Se a empresa tem menos de três anos, ela provavelmente ainda depende muito da sua presença, assim, tirar uma semana de folga por vez pode ser a melhor opção. Em empresas mais consolidadas, que já caminham com uma independência maior, o proprietário consegue estar distante por até quinze dias seguidos.

Além disso, o tempo das suas férias depende também do seu nível de exaustão. Se o trabalho está exigindo muito e você não tem se sentido bem, poucos dias podem não ser suficientes para recarregar suas energias.

O que deve ser feito antes do empreendedor tirar férias?

Para quem tem o próprio negócio, aproveitar uns dias de folga é um trabalho e tanto. Antes de ir curtir seu descanso, muitas coisas precisam ser organizadas para que a empresa, e você, estejam bem nesse período.

Organização da rotina

Seu empreendimento precisa continuar funcionando enquanto você estiver fora, por isso, cada atividade que você exerce deve ser planejada antes das férias começarem. Se existir um sócio ou um gerente, sua função pode ser temporariamente absorvida por ele.

Caso você administre sozinho, é possível organizar as tarefas entre os funcionários. Prefira delegar ações importantes para os mais experientes e confiáveis da equipe. Verifique a necessidade de treinar alguém para alguma tarefa mais específica e certifique-se de que ela foi compreendida.

Comunicação com clientes e fornecedores

O bom relacionamento com os clientes e com outras empresas é fundamental para o seu negócio. Assim, fazer um comunicado sobre suas férias é interessante para que tudo corra bem durante esse período.

Entre em contato com os fornecedores e já deixe os dias de folga combinados, identificando o funcionário que irá substituir você. Além disso, avise aos clientes — pode ser diretamente, ou por mensagens afixadas na loja ou enviadas por e-mail.

Planejamento financeiro

Essa é outra questão fundamental antes que você tire seus dias de folga. Lembre-se que você está saindo de férias como pessoa física, e não jurídica. Logo, os custos não devem ser repassados para a empresa.

Você precisa se planejar para esse período com o que recebe no pró-labore e na divisão de lucros. Tirar dinheiro do caixa para viajar ou fazer passeios pessoais não é uma maneira interessante de gerir seu negócio. As finanças devem ser bem separadas, para que o seu período de férias não cause dificuldades administrativas.

É possível relaxar nas férias?

Com tantos detalhes para resolver antes do empreendedor tirar férias, você pode estar se perguntando se vai mesmo conseguir relaxar. Sim, é possível descansar o corpo e a mente e voltar para o trabalho mais tranquilo.

Os benefícios da folga não são apenas para o seu bem-estar e saúde, mas também para o funcionamento da empresa. Depois de alguns dias longe, você vai voltar mais motivado e com novas ideias. Além disso, o período de férias pode ser usado também para estudar, fazer cursos e participar de eventos, como feiras de negócios.

Claro, isso sem deixar de lado a necessidade de descanso. Mudar o foco do trabalho é essencial para você se sentir relaxado e feliz. Fazer uma viagem em família é uma ótima ideia para aproveitar as férias. Nesses momentos, evite preocupações com a empresa e não fique buscando trabalho no celular ou computador. Seus familiares certamente sentem falta de passar mais tempo com você desde que abriu a empresa, portanto, aproveite os dias de folga com eles.

Ao tirar suas primeiras férias na empresa, é normal ficar ansioso e inseguro. Com o tempo, você se organiza melhor e sente mais confiança na equipe. Além disso, os benefícios do descanso vão te convencer de que é fundamental o empreendedor tirar férias. Aproveite as suas!

Que tal acompanhar nossos textos e ficar sempre bem informado sobre o mundo dos negócios? Siga nossos perfis nas redes sociais! Estamos no Facebook, Instagram, LinkedIn e Twitter.

Trabalho, carreira e profissão: qual a diferença?

Você sabe a diferença entre trabalho, carreira e profissão? Apesar de, geralmente, utilizarmos os três como sinônimos, cada um tem o seu próprio significado. Duas pessoas, por exemplo, podem ter a mesma profissão e seguir carreiras bem distintas.

Ficou confuso? Neste post, explicaremos o conceito de cada um dos termos e ainda daremos dicas para ajudar no planejamento do seu futuro profissional. Continue lendo!

O que é trabalho?

Uma atividade ou conjunto de atividades exercidas por uma pessoa ou um coletivo em prol de um objetivo. Essa é a definição de trabalho. Em uma empresa, por exemplo, é o esforço realizado pelos funcionários de uma organização para desenvolver o negócio. É por meio do trabalho que os indivíduos conseguem se realizar profissionalmente e constroem sua carreira.

Também, é importante diferenciar o conceito de trabalho da definição de emprego, que é uma parte mais burocrática na relação entre o empregado e o empregador. Nele, é celebrado um contrato que determina uma compensação monetária pelas atividades realizadas pelo funcionário. Ou seja, em um emprego, você recebe pelo seu trabalho.

Qual é a definição de profissão?

Quando falamos de profissão, estamos nos referindo ao tipo de trabalho que você decidiu fazer. Para isso, é preciso duas coisas principais: estudo e prática. Ao escolher uma profissão, geralmente, a pessoa determina uma área de atividade em que passará um bom tempo trabalhando e se especializando.

Ter uma profissão permite que você conquiste espaço no mercado de trabalho e tenha uma ocupação que gere renda para suprir suas necessidades. Normalmente, para exercer uma profissão, é necessário adquirir conhecimentos específicos a partir — principalmente — de cursos técnicos ou superiores, assim como vivência naquele campo. Advogado, médico, administrador e professor são alguns exemplos de profissões.

O que é carreira?

Já a carreira é o caminho que você decidiu trilhar em sua vida profissional. Isso envolve suas metas e também os desejos para o futuro. Aqui, é importante frisar que, a partir de uma profissão, é possível seguir diferentes carreiras.

Alguém que fez um curso superior de Administração, por exemplo, pode escolher trabalhar na gestão de uma organização internacional ou seguir a área acadêmica e se tornar professor universitário. Além dessas possibilidades, pode ainda voltar seus conhecimentos para abertura de uma empresa, por exemplo.

A carreira que você vai seguir dependerá do estilo de vida e do tipo de atuação que você deseja ter. Não é obrigatório desenvolver uma trajetória na sua área de formação inicial, é possível, inclusive, mudar de carreira e fazer um novo plano mesmo depois dos 30 anos.

Para direcionar sua carreira, pense no que você pretende conquistar a longo prazo. Reflita quais são suas motivações e o que lhe traria um sentido de crescimento e realização. A partir dos seus interesses e habilidades, você conseguirá definir um plano para sua carreira e manter o foco nas suas metas profissionais.

 

perfil-empreendedor

 

Dicas para fazer um planejamento de carreira

De maneira simples, o planejamento de carreira é um conjunto de objetivos estipulados a partir de uma análise das oportunidades, que incluem refletir sobre o que já foi conquistado até o momento e o que ainda pode ser alcançado.

Para isso, é importante fazer uma reflexão profunda sobre si mesmo e estabelecer metas bem definidas que servirão como um guia para o seu crescimento profissional. Assim, você aumenta as chances de sucesso no campo em que deseja atuar. Confira abaixo 5 sugestões para fazer um plano de carreira eficiente!

1. Conheça seu perfil

Não dá para criar um planejamento sem se conhecer. Invista em autoconhecimento e descubra quais são os seus pontos fortes e fracos. Entenda quais são os seus desejos e perceba quem você é e quem você gostaria de ser daqui a alguns anos. Reflita sobre o seu perfil profissional.

Quais são as suas características? Você tem um perfil empreendedor? Gosta da liderança ou prefere ficar nos bastidores da equipe? Quais são suas principais competências e aptidões? A compreensão de quem você é e o que deseja é fundamental para criar o seu plano de carreira.

2. Defina objetivos

O que você espera do seu futuro profissional? Essa pergunta vai servir de base para começar a planejar sua trajetória no mercado de trabalho. Se você já conhece suas características e sabe onde quer chegar, é hora de determinar seus objetivos.

No entanto, para evitar insatisfação, estabeleça metas realistas e bem definidas. Pense, também, de que forma você pode alcançar os seus objetivos e não esqueça de fazer uma revisão periódica desses propósitos. Às vezes, surgem oportunidades que não imaginávamos e pode ser que daqui a um tempo eles não façam mais sentido. Ainda assim, esses objetivos servem como um guia e lhe ajudarão a continuar focado no que você deseja.

3. Estabeleça prazos

Não basta definir objetivos, você também precisa estipular prazos para conquistá-los. Então, estabeleça datas para a realização de cada meta do seu planejamento. Considere o tempo necessário para alcançá-los e reflita sobre o que você precisará para completar cada etapa.

Para começar, veja quais objetivos só dependem de você e foque suas ações neles. As metas que dependem de outras pessoas podem ser mais difíceis de se tornar realidade, mas não desanime!

4. Adquira habilidades

Agora que você já sabe o que quer, o passo a seguir é descobrir o que é preciso para chegar lá. Quais são as competências necessárias? Existe alguma habilidade que você precisa melhorar? Tem alguma capacidade que ainda precisa adquirir? Falta conhecimento em gestão ou em comunicação? Não sabe alguma ferramenta específica?

Identifique o que precisa aprender e desenvolva as habilidades que são importantes para alcançar o seu sonho. Assim, você estará mais perto de fazer o seu planejamento se tornar realidade.

5. Tenha paciência

Em todo percurso existem obstáculos a serem transpassados. Por isso, mantenha a calma se as coisas não saírem como o esperado. Foque em uma meta de cada vez e não deixe de comemorar suas conquistas. Lembre, também, que fracassos são comuns na carreira de qualquer profissional.

Assim, esteja pronto para os desafios que vão surgir e continue focado no seu plano. Não tenha medo de recomeçar e continuar tentando. Com persistência e um bom planejamento de carreira, é possível atingir os seus objetivos.

Gostou desse texto? Então, assine nossa newsletter e receba conteúdos sobre carreira e profissão diretamente no seu e-mail!

Conheça 5 desafios em ser um empresário

Os desafios em ser empresário podem assustar algumas pessoas, mas como a própria palavra diz, não se tratam de problemas e sim de desafios.

Todos os empresários bem-sucedidos, durante a caminhada, aprenderam a extrair o melhor de cada experiência, transformando esses desafios em oportunidades de crescimento pessoal e empresarial.

Neste texto, falaremos sobre o que é preciso para ser um empresário, quais as compensações e desafios e o que fazer para contorná-los. Confira!

O perfil empreendedor

Várias características podem favorecer o empreendedorismo.

Não existe nenhum impedimento para que qualquer pessoa se torne empresária, entretanto, os indivíduos que têm sucesso como empresários geralmente têm em comum as seguintes características:

  • facilidade para identificar oportunidades;
  • gosto por desafios — ou, no mínimo, não ter medo deles;
  • iniciativa;
  • espírito de liderança;
  • coragem e ousadia;
  • sonho de independência;
  • comprometimento e capacidade de “vestir a camisa”.

Se você não se enxergou completamente na lista acima e acredita que estão faltando algumas dessas qualidades em seu perfil, não se preocupe. As habilidades também podem ser desenvolvidas ou aperfeiçoadas.

Esse aperfeiçoamento pode se dar por meio de:

  • cursos;
  • estudos por conta própria;
  • conselhos;
  • reflexões e a própria experiência do dia a dia.

Não subestime a importância de buscar desenvolver-se cada vez mais. Os desafios virão e um empresário precisa estar preparado.

5 desafios em ser um empresário

1. Instabilidade financeira

Um empresário deve estar ciente de que sua renda será flutuante. Não há garantia de entrada de receita, cada dia é uma batalha.

Nos primeiros anos, especialmente, é preciso ter paciência, pois o negócio leva algum tempo até começar a dar lucro e o empresário também precisa de tempo até se acostumar com o padrão de despesas que a empresa demanda.

Existem outros fatores que influenciam na instabilidade dos rendimentos da empresa, entre eles:

  • sazonalidade do mercado (há épocas mais propícias para certos tipos de vendas, assim como há épocas de baixa procura);
  • nível de endividamento da empresa;
  • rotatividade de funcionários (gerando custos com contratações e verbas rescisórias).

Assim, é importante que haja planejamento e muito autocontrole para administrar as finanças de um estabelecimento.

 

perfil-empreendedor

 

2. Legislação e tributos

A constituição formal e jurídica de uma empresa requer uma série de procedimentos iniciais, como:

  • Confecção e averbação dos contratos (estatuto social, contrato de franquia etc.);
  • Registro na Junta Comercial;
  • Expedição de alvarás de funcionamento perante a Prefeitura;
  • Inscrição Estadual;
  • Licença ambiental, se for o caso;
  • Inspeção pelo Corpo de Bombeiros;
  • Contratações de empregados e assinatura de Carteiras de Trabalho;
  • Contratação de contador.

Pesquisas apontam que o Brasil é o 130º país no ranking mundial de facilidade para abrir um negócio. Isso significa que temos um dos processos mais burocráticos do mundo.

Fora a abertura da empresa, o dia o dia também demanda outras providências, como a observação das normas de direito do consumidor e pagamento de tributos.

A legislação tributária brasileira é complexa, o que faz com que muitos se confundam sobre quais impostos precisam pagar e também quanto a forma de cálculo.

No entanto, todas essas providências são fundamentais para que a empresa opere regularmente, evitando autuações administrativas ou processos judiciais.

3. Gestão de pessoas

Falar em empresa é falar em pessoas, afinal, nenhum negócio sobrevive só com uma grande ideia ou um ótimo produto. São necessárias pessoas para fazer com que o produto chegue ao cliente de forma satisfatória.

No ramo da prestação de serviços, a importância dos recursos humanos é ainda maior, pois os serviços são prestados por eles.

A gestão de pessoas é um assunto que não sai da pauta dos consultores empresariais e estudiosos do mundo dos negócios, sendo considerado o grande desafio do século XXI.

Saber administrar talentos e gerenciar pessoas é um dos talentos que um empresário precisa ter — ou adquirir.

Isso não é fácil, pois além de paciência e sensibilidade, requer conhecimentos de gestão, direitos trabalhistas e até um pouco de psicologia.

Porém, esses são alguns dos conhecimentos que mais agregam à vida do empresário, como pessoa e também ao sucesso da empresa.

4. Fusão entre vida profissional e vida pessoal

Quando você é o dono do negócio, fica mais complicado estabelecer uma jornada de trabalho com início e fim. Muitas vezes, é impossível não levar o trabalho para casa ou passar uma noite ou fim de semana sem pensar nas questões da rotina empresarial.

Um empregado tem funções mais definidas dentro de uma empresa, com carga horária e salário determinados. Para o dono do negócio, não há delimitações: é preciso entender um pouco de tudo e não há um expediente predeterminado.

Eventualmente, a vida pessoal do empresário acaba se fundindo com a da empresa.

Isso é muito evidente nos casos de empresas familiares e de empresários que moram no mesmo prédio da empresa, por exemplo. Em geral, nenhum negócio está imune à possibilidade de interferir na vida do seu dono e vice-versa.

Outro grande desafio é não misturar as finanças pessoais com as finanças da empresa. Esse, inclusive, é um dos fatores que mais leva à falência de negócios.

5. Equilíbrio emocional

Como resultado de todos os desafios citados nos itens anteriores, naturalmente, o emocional do empresário também fica afetado.

Geralmente, essa é a parte que menos o preocupa: a prioridade é fazer a empresa funcionar, manter o caixa positivo e a estrutura funcionando. A saúde é geralmente relegada ao segundo plano.

Entretanto, o empresário precisa estar ciente de que caso tenha um problema de saúde, talvez ele não possa contar com o INSS, diferentemente de seus funcionários.

Além disso, não se pode esquecer que o empresário é peça fundamental no funcionamento da empresa e para que ele não venha a faltar, precisa manter seu equilíbrio emocional e evitar consequências negativas para sua saúde.

As compensações

É claro que, além dos desafios, há os louros a serem colhidos.

O êxito financeiro é apenas uma entre tantas compensações que um negócio pode gerar, aliás, ele é apenas a consequência do sucesso em outras áreas.

Uma empresa, quando bem-sucedida, não transforma só a vida do seu dono: ela gera impacto positivo na vida de clientes e funcionários também.

Ao assumir as rédeas de uma empresa, dificilmente um indivíduo volta a querer estar em outra posição. Não que as demais sejam inferiores! Todas as funções são importantes, o mercado não sobreviveria se todos quisessem e pudessem ser líderes.

No entanto, a satisfação de estar à frente de um projeto de sucesso é insubstituível e as recompensas são diretamente proporcionais ao esforço.

Como driblar os desafios

Todo sonho requer alguns sacrifícios e com uma empresa isso não poderia ser diferente: há responsabilidades a serem assumidas, habilidades a serem desenvolvidas, adversidades a serem contornadas… Mas todos esses fatores são oportunidades de crescimento pessoal, que impactam diretamente no crescimento da empresa também.

A chave para driblar os desafios em ser empresário é seguir se aperfeiçoando para desenvolver as habilidades necessárias, como dissemos acima no item sobre o perfil empreendedor. Faça nosso teste para descobrir se você tem perfil empreendedor e continue em busca do seu sonho!

Conheça as características dos principais perfis de empreendedor

Independência financeira, tempo para a família ou liberdade para viajar: quem nunca sonhou com essas regalias, não é mesmo? Contudo, em um trabalho assalariado formal, estes podem ser apenas sonhos distantes. Na vida de quem empreende, porém, se apresentam como realidades palpáveis, cuja execução é possível.

Se você deseja alcançar novos patamares em sua vida profissional, empreender pode ser o melhor caminho. Afinal, ter um negócio próprio, no qual você é seu próprio chefe, permite que certas possibilidades finalmente se concretizem.

Pensando nisso, preparamos este texto com as características de vários perfis de empreendedor. Continue lendo o post para saber qual deles tem mais a ver com você e planeje um novo futuro!

Qualidades que todo empreendedor deve ter

Confira algumas qualidades que fazem parte de muitos empreendedores de sucesso, independentemente do perfil, época ou setor em que atuam.

Iniciativa

De acordo com o dicionário Aulete Digital, o termo “empreender” significa “experimentar, procurar fazer, tomar iniciativa de ação, tarefa, realização etc”.

Ou seja, só empreende algo na vida quem começa alguma coisa. Para que você tenha sucesso em uma empreitada que seja apenas sua, é fundamental que também seja o principal responsável por iniciá-la.

Lembre que ter medo ou insegurança é normal no princípio de qualquer atividade. Portanto, considere que os erros são inerentes a esse processo e não tenha receio de começar.

Visão

Você decidiu iniciar um projeto por conta própria: ótimo! Agora, é preciso pensar no que ele consistirá. De nada adianta apostar em algo que não apresente nenhuma possibilidade concreta de render frutos no futuro.

Por isso, é imprescindível que você tenha visão. E o que isso quer dizer? Primeiramente, que deve existir em seus pensamentos uma capacidade de fazer projeções realistas. Mais do que isso: saber como determinado segmento do comércio ou da indústria se comporta e outras coisas do gênero.

Ser um visionário significa, antes de tudo, conseguir olhar para frente, analisar os detalhes e tirar conclusões proveitosas desses pontos.

Coragem

Muito semelhante à iniciativa, a coragem implica na habilidade de arriscar quando poucos acreditam nas chances apresentadas. Ela é a própria ousadia de quem dá dois passos para frente, quando o recomendado é dar apenas um.

Firmeza

Ser firme é o mesmo que ser consistente: você banca aquilo que decide e lida com suas escolhas a todo custo, pois se vê como responsável por elas.

Além disso, esse traço também se reflete na busca pelos objetivos almejados. É ela quem guia as metas que você propõe e serve como molde para agir do jeito necessário até mesmo nas ocasiões mais complexas ou delicadas.

Decisão

A tomada de decisões é uma ação constante no cotidiano de quem empreende. Pode-se dizer, aliás, que ela é praticamente ininterrupta. Afinal, como o controle está em suas mãos, você sempre precisará escolher o que deve ser feito, como fazer, quem o fará e assim por diante.

Nesse sentido, é preciso saber qual é o momento exato para escolher com mais firmeza e coragem, bem como quando ser moderado e conservador. Decidir corretamente é a chave para que todas as outras características possam fluir bem.

Respeito humano

Engana-se quem pensa que pode passar por cima de outras pessoas. O fato de concentrar as ações e os poderes em suas próprias mãos não lhe dá o direito de ser ríspido ou estúpido com aqueles que estão ao seu lado.

Inclusive, isso também é pouco estratégico para o bom funcionamento de seu negócio. Considere que você depende muito de um bom relacionamento com seus colaboradores, funcionários e fornecedores para que tudo saia exatamente como planejou.

Para exercer uma liderança efetiva, que traga resultados positivos, tente ser carismático sempre que possível e respeite as pessoas. Ter autoridade não é sinônimo de ser arrogante.

Agora que você já sabe quais são algumas das qualidades básicas necessárias para ter sucesso com o seu empreendimento, veja e analise alguns tipos de perfil empreendedor.

Empreendedor criativo

Como já antecipa o próprio título, esse empreendedor se destaca pela visão apurada e pela facilidade que tem para criar coisas novas. Ele lida diretamente com a inovação e não suporta ficar parado em sua zona de conforto.

Ao olhar para um problema, o criativo logo imagina mil soluções possíveis, todas muito diferentes entre si. Seus negócios geralmente são atrelados a coisas nas quais poucas pessoas pensaram. Por conta disso, ele costuma sair na frente de seus concorrentes.

O fato de não se conformar com o básico também o ajuda a conquistar aquilo que almeja por vias incomuns, que surpreendem a todos.

Infelizmente, ele corre o risco de ser mal compreendido na maioria das vezes, mas gosta de pagar para ver aonde suas ideias inovadoras podem levá-lo.

O maior exemplo dessa categoria certamente foi Steve Jobs, fundador da Apple. Falecido em outubro de 2011, ele não se contentava com nada que fosse apenas corriqueiro. Embora não tivesse inventado os computadores, celulares e tocadores de MP3, ele revolucionou a forma de se conceber a tecnologia como um todo.

Empreendedor administrador

Caso você tenha uma grande facilidade para pensar a longo prazo, organizar as ideias e pensar em uma gestão completa e bem estruturada, este é o seu perfil de empreendedor!

O administrador controla todas as ações da empresa com pulsos firmes. Suas decisões sempre levam em conta aquilo que foi planejado à risca. Ele integra os setores e vê os diferentes times com igual importância para o andamento do projeto.

Sua administração colabora para que tudo funcione corretamente: da limpeza até as vendas. Detesta ver algo fora de lugar e persegue os índices de qualidade com absoluta determinação.

Se algo não sair como ele quer, avaliará as métricas que ele mesmo definiu e saberá a forma exata de cobrar sua equipe. Preocupa-se bastante com as finanças e confia nos números para melhorar o que é necessário.

Ele se encaixa muito bem em lugares onde tudo está devidamente definido, pois enxerga os processos internos como engrenagens que precisam de um constante alinhamento.

Dificilmente se deixa levar pelo instinto, o que configura seu maior mérito e, simultaneamente, seu grande defeito.

Empreendedor realizador

Diferentemente do anterior, o empreendedor realizador não se apega muito às ideias ou às organizações para se dar bem em sua trajetória. O que está ao seu alcance, ele concretiza; o que não está, dá um jeito de buscar.

É praticamente impossível de enxergar algo como um empecilho: tudo que aparece como obstáculo ele vê como uma oportunidade de mostrar o seu valor e conseguir aquilo que deseja.

Seus traços mais marcantes são:

  • obstinação;
  • perseverança;
  • confiança;
  • independência.

Ou seja, se você se identifica bastante com mais de uma dessas características, provavelmente se encaixa nesse perfil.

Também é curioso notar que ele é, entre os vários empreendedores, aquele que menos encontra dificuldades em relação à abertura de seu negócio. Até mesmo porque vê na vida um grande empreendimento, no qual as conquistas resultam de uma intensa dedicação.

Tem iniciativa para tudo e não se conforma nem um pouco com uma equipe que não consegue cumprir as metas estabelecidas. Desse modo, seu maior desafio é saber reconhecer que as outras pessoas podem ter métodos distintos para chegar aonde querem.

É bastante movido por seus sonhos, já que realizá-los é uma espécie de reafirmação do esforço empreendido. Se dá bem em qualquer área, desde que haja motivação o suficiente.

Empreendedor integrador

Você se lembra das principais qualidades listadas no começo deste texto? O integrador é aquele que mais sabe o quão importante é o respeito humano em um empreendimento. Ele vê no bom relacionamento com os colaboradores a chave para liderar, com eficiência, um grupo de pessoas.

Além disso, tem uma excelente noção sobre como colocá-las em torno de um único objetivo, mostrando para cada uma delas como e porquê fazê-lo.

O corretor Jordan Belfort, retratado por Leonardo DiCaprio no longa-metragem “O Lobo de Wall Street”, tem esse perfil. Fato é que sua ética e uma boa parcela dos meios que ele utilizava são passíveis de crítica. Ainda assim, não deixa de ser um exemplo na gestão de grupos, pois sabia motivá-los muito bem.

O integrador reconhece à distância quando um funcionário passa por problemas. Por isso, tende ser altamente compreensível e acreditar naquilo que as pessoas têm de melhor para oferecer.

Aos poucos, constrói um laço forte com aqueles que estão à sua volta, fazendo com que desponte uma legião de pessoas determinadas e comprometidas a defender seu negócio com unhas e dentes.

Curiosamente, apesar de ser um líder notório, ganha pontos justamente por não centralizar suas decisões. Por saber como delegar responsabilidades e tarefas, também otimiza os processos, ganhando tempo para lidar com as prioridades mais relevantes.

Seu senso coletivo ainda colabora para enxergar de forma igualitária os diferentes times. Em virtude disso, entende com grande facilidade quais são as melhores práticas para integrá-los.

Muitos podem achar que, às vezes, ele não passa de um coadjuvante. Vale salientar que essa impressão só acontece porque ele sabe muito bem quando é a hora de ficar nos bastidores.

 

perfil-empreendedor

 

Empreendedor promotor

Perfil bastante semelhante ao do realizador, porém mais comedido. Para o promotor, tudo para ele é uma questão tática: sua satisfação só vem a partir do momento em que há maneiras definidas de promover seu negócio.

Dessa forma, ele dificilmente dá passos em falso. Assim que possível, as estratégias de marketing, as datas importantes e os eventos estarão todos alinhados e ele fará uma grande ocasião para chamar a atenções dos fornecedores, parceiros e, principalmente, consumidores.

Seu trânsito público merece destaque, já que ele sempre consegue desenrolar uma reunião interessante com figurões importantes da mídia, outros empresários e até gente da política. Nesses casos, evidenciam-se o carisma e as habilidades de comunicação que ele tanto tem.

Vê possibilidades de bons negócios onde ninguém mais consegue enxergar e não tem nenhum receio de apostar. Crê que, com paciência, as coisas aumentarão de tamanho e terão números impressionantes.

Em contrapartida, ele também colabora para que seus parceiros cresçam bastante, pois imediatamente enxerga aquilo que falta para que as empreitadas deles também decolem.

Antenado em tudo que acontece à sua volta, ele encara as relações como oportunidades em potencial. Na ausência destas, se lança em busca de novas, que estejam de acordo com suas vontades empresariais. É especialista em transformar produtos obsoletos em novidades atraentes.

Empreendedor nerd

Bill Gates, fundador da Microsoft, e Mark Zuckerberg, criador do Facebook, são dois exemplos bem-sucedidos desta categoria. O que eles tinham em comum? A engenhosidade de um verdadeiro nerd.

Este esteriótipo é marcado por indivíduos que pensam (muito!) antes de agir. Suas decisões nunca são precipitadas e eles pecam apenas pelo perfeccionismo exagerado.

Se você é aficionado por tecnologia, cultura geek (games, quadrinhos, filmes etc) e inovação, é bem provável que esse seja o seu perfil. Não se esqueça de deixar sua inteligência no comando na hora de abrir um negócio.

Outra “nerdice” recorrente é a capacidade de mergulhar profundamente em um único assunto, a fim de se tornar um perito no tema. Empreendedores nerds criam coisas que só poderiam ser feitas por eles mesmos e por mais ninguém.

Eles se aproximam muito dos criativos, mas com a diferença de que não se arriscam tanto quanto estes. Esse ponto indica, inclusive, qual é o seu grande desafio: executar, tendo em vista que o planejamento sempre é feito com o cuidado e a aplicação necessários.

Também são capazes de descobrir muito por meio de seus estudos. Não têm nenhuma preguiça e encaram com grande prazer a obtenção de pós-graduações, cursos livres e afins, porque o aprimoramento é uma vontade constante.

A paixão por aprender mais também funciona como um motor para que o empreendimento sempre se atualize. Assim, ele nunca fica de fora das tendências tecnológicas e operacionais do momento.

Empreendedor inquieto

Esse é o perfil cujo nome mais deixa claro como ele pensa e age. O empreendedor inquieto não se conforma com nada. Na presença de uma vitória grandiosa, ele só consegue desejar uma próxima, que seja ainda melhor.

Geralmente, os inquietos sofreram com uma crise em sua antiga profissão. Cansados da mesmice e das obrigações costumeiras, resolveram partir para uma nova empreitada, em que pudessem controlar suas próprias ambições.

Eles não se rendem ao mediano: querem aquilo que supera suas próprias expectativas — e elas não são nada baixas.

Este perfil pode até não ser um exímio líder, nem um grande estudioso ou alguém dotado de brilhante criatividade. Contudo, se esforça absurdamente para alcançar a excelência em todos esses aspectos o quanto antes.

Quase nunca se rende a uma conquista: enquanto se move em busca de algo maior, não deixa de olhar para outras questões importantes em seu entorno. Jamais cruzará os braços enquanto não encontrar a solução exata.

Infelizmente, essa jornada multitarefa nem sempre é possível e ele pode se sentir fracassado por isso. Caso você preencha esses requisitos, lembre-se de que reconhecer seus próprios feitos de vez em quando é algo essencial.

Rene Rodrigues, professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas), em entrevista concedida à revista Exame, coloca Sean Parker — fundador do Napster — como um representante nato: “Parker é um exemplo típico da geração Y. Irrequieto, sempre buscando coisas novas”.

Empreendedor trabalhador

Parecidos com aqueles que têm a inquietude dentro de si, os trabalhadores também não deixam nada pela metade e não descansam até que tudo esteja devidamente concluído.

Trabalham duro sempre, seja lá qual for o propósito. Estes empreendedores podem, inclusive, desenvolver problemas de estresse e de saúde por conta da rotina incansável que levam.

Portanto, precisam aprender a moderar um pouco mais. O difícil é convencê-los disso. Se você se identificou com este perfil, é porque tem prazer em ver seu empreendimento crescendo e não mede esforços para ajudar nesse desenvolvimento.

A entrega não cessa em nenhuma hipótese: não existem feriados e compromissos paralelos que sejam capazes de tirar seu rigoroso foco do trabalho.

Não se intimida por volumes extensos de tarefas a serem feitas e adora ter responsabilidade sobre diferentes funções. Acredita que empreender é um processo de construção contínua, que carece de comprometimento total com a causa.

O sucesso, para ele, é uma questão de tempo, já que invariavelmente chegará. É possível vê-lo sentindo mais orgulho por fazer algo do que pelas realizações obtidas anteriormente, porque ele nunca para.

É capaz de ler uma pilha de relatórios, fazer várias reuniões e ainda viajar para o exterior em um mesmo dia. Irrita-se com a falta do que fazer e sempre dá um jeito de se envolver com algo que requer sua disposição acentuada.

O trabalhador não se contenta com apenas administrar ou só fazer as projeções: ele almeja se relacionar com todas as atividades de sua empresa, acompanhá-las de perto, colocar a mão na massa e ainda aperfeiçoá-las.

Empreendedor franqueado

Criou-se, com o passar dos anos, a falsa visão de que ser um franqueado é muito diferente de empreender. Afinal, aderir a uma franquia pressupõe o respeito por determinadas regras e condutas prontas.

No entanto, essa percepção está equivocada. Quem garante isso é Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store e especialista em marketing, em sua coluna no portal UOL.

Em um de seus textos, a autora diz que “um franqueado terá de saber liderar e motivar uma equipe, decidir sobre as atividades do dia a dia, colocar metas individuais, e acompanhar seus resultados e saber sempre onde ainda pode melhorar”.

Dessa maneira, pode-se dizer que este perfil de empreendedor combina, a sua maneira, às qualidades inerentes aos outros perfis, concatenando-as com o intuito de executar um projeto.

Apesar de esse modelo de negócio ter parte de suas proposições — que partem dos franqueadores — já determinadas, é imprescindível que haja criatividade e capacidade administrativa naqueles que se propõem a investir nessa modalidade.

Engana-se, portanto, quem acredita que ter uma franquia é reproduzir algo preestabelecido. Não há como negar, é claro, a importância de entender a proposta, sabendo de suas particularidades. Para fazê-lo, contudo, é fundamental sair do lugar-comum e agregar novos valores ao conceito.

Quem gosta de superação, tem tudo para se encantar com empreendimento desta estirpe. Uma vantagem é a possibilidade de trabalhar com segmentos distintos: educação, alimentos, cosméticos etc.

Outro ponto interessante de ser um franqueado é poder contar com um apoio significativo para se chegar ao sucesso. Geralmente, profissionais competentes são disponibilizados pelas empresas para dar esse suporte.

Além disso, elas representam um investimento relativamente baixo quando comparadas a outros empreendimentos. O retorno, por sua vez, tende a vir rapidamente, fazendo a iniciativa valer a pena em um período curto.

Você e os perfis de empreendedor

Para entender melhor a ligação entre seus objetivos e as categorias listadas acima, basta olhar para as realizações que você já teve na vida. Sejam profissionais, sejam pessoais. O que você empreendeu? Quais ações partiram de seus desejos? O que, de concreto, você já criou? Do que você gosta?

Responder a essas perguntas e procurar outros exemplos de empreendedores realizados lhe ajudará a encontrar seu perfil. Você também pode fazer um teste de empreendedorismo para sabê-lo com maior precisão.

Faça, antes de tudo, um balanço do quanto você está disposto a investir. Vale frisar que esse investimento não está associado apenas ao dinheiro ou outros recursos materiais. Ele também implica em tempo, comprometimento e todos os outros componentes para que algo seu fique pronto.

Caso você reúna qualidades distintas, de moldes diferentes de empreendedorismo, não se preocupe, porque isso está longe de ser uma má notícia! Ser meio nerd e um pouco integrador pode combinar muito bem com uma franquia. Outras práticas recomendadas são:

  • pesquise;
  • coloque suas vocações à prova;
  • converse com quem te conhece bem;
  • siga seus instintos e escute seus sonhos.

Fazendo isso, logo você saberá em qual segmento pode ter mais sucesso.

Não deixe que detalhes ou a falta de convicção sejam fatores impeditivos para a realização de seu empreendimento. Lembre: quem tem uma empresa e é bem-sucedido hoje já passou por inúmeras dificuldades em momentos anteriores.

Esses perfis de empreendedor são guias para que você se situe em busca do controle de sua rotina e de um futuro melhor para a sua família. Inspire-se neles e tente se identificar para deixar seu próprio legado como empresário.

Se você gostou deste texto e quer saber de outras novidades relacionadas ao mundo dos empreendimentos, curta nossa página no Facebook e não perca nenhum detalhe!

 

Independência financeira: 6 passos para conquistar a sua!

Muitos trabalham por extensos períodos e no final do mês surge uma surpresa bem desagradável: o dinheiro não cobrirá todos os compromissos. E, essa dificuldade em manter a saúde financeira, que atinge boa parte da população brasileira, desequilibra o orçamento familiar e afeta a vida profissional também.

Contudo, é possível reverter essa situação a seu favor. Afinal, para manter as contas no azul, basta ter disciplina e, claro, muita organização. Inicialmente, parece uma tarefa difícil; entretanto, com alguns métodos, deixar o saldo positivo pode ser mais simples do que parece.

Gostaria de saber como conquistar a sua independência financeira, fechar o mês tranquilamente e com chances de criar uma poupança expressiva?  Confira, então, 6 superdicas para garantir um padrão de vida invejável!

1. Registre a movimentação financeira

Colocar cada detalhe no papel e anotar toda a movimentação do dinheiro é o primeiro passar para conseguir a autonomia financeira. O mais recomendado, nesse quesito, é registrar tanto as despesas quanto as receitas. Faça uma planilha completa e especifique tudo.

Em relação às despesas, não se esqueça de discriminar o tipo de gasto. Vale desde uma simples compra no mercado, até mesmo o pagamento do aluguel. O intuito, aqui, é ter pleno conhecimento da utilização da verba e, principalmente no que está sendo gasto o seu dinheiro.

São estratégias para entender melhor o fluxo financeiro e fazer os devidos ajustes para eliminar gastos desnecessários. Portanto, tenha o planejamento e a organização como prioridade, o que tornará todo o processo mais transparente e fácil de você acompanhar.

2. Estabeleça metas e planos

Outro aspecto que vai ajudar a economizar algum dinheiro para utilizar com aquilo que você realmente ama é estabelecer metas — tanto a curto, quanto a médio e longo prazo.

Não existe uma regra aqui. O importante é definir bem os seus propósitos para os próximos anos — seja fazer uma viagem para o exterior, seja abrir o seu próprio negócio, tornando-se um empreendedor. Ao determiná-las, saberá que cada sacrifício feito é em prol de um objetivo maior.

No entanto, não é só isso. É preciso também pensar em estratégias capazes de viabilizar as suas metas. Afinal, de nada adianta ter os objetivos bem definidos sem ter uma atitude para torná-los reais, não é mesmo?

A implementação dessas ações vai proporcionar mais motivação para se programar financeiramente. E, logo você perceberá que o seu desejo pode, sim, ser realizado. Sabe aquele sonho que já foi adiado diversas vezes devido a falta de recursos? Pois então, você pode, enfim conseguir colocá-lo em prática.

3. Evite empréstimos

Com o intuito de quitar as contas de uma vez, as pessoas pensam que a solução é realizar outras dívidas. Nesse caso, elas esquecem de analisar as taxas cobradas pelo banco, que normalmente são astronômicas. Ou seja, fuja dos empréstimos.

Se você está endividado, que tal tentar renegociar o valor juntamente ao credor? Empréstimos, em geral, não compensam porque você estará apenas mudando a dívida de lugar. E, ainda com o risco de pagar juros altos.

Renegocie a dívida com parcelas que, de fato, cabem no seu orçamento. Afinal, de nada adianta fazer um compromisso que você não conseguirá honrar.

Vale ressaltar que o empréstimo, muitas vezes, é o principal motivo pelo qual a situação financeira de qualquer indivíduo transforma-se numa bola de neve. Quando  a pessoa percebe, o dinheiro está sendo utilizado simplesmente para pagar multas e juros e a dívida original continua lá.

4. Extermine os cartões de crédito

Claro que se usado corretamente, o cartão de crédito pode ser um grande aliado, visto que o portador tem alguns dias para pagar a conta — isso sem falar na questão da possibilidade de parcelamento.

Mas, quando não há um controle rígido, o uso incorreto dos cartões torna-se no vilão que impede o sonho da estabilidade financeira.

Outro ponto desvantajoso do cartão é que ele pode estimular a pessoa a fazer dívidas, muitas vezes, desnecessárias. O motivo é simples: o dinheiro não está saindo do bolso naquele momento. Porém, quando a fatura chega, a pessoa percebe o estrago feito.

O mais recomendado, nesse contexto, é optar por compras no débito ou à vista. Ainda mais quando a empresa disponibiliza descontos. Deve-se desenvolver essa prática para evitar problemas futuros. Ou seja, se não tem dinheiro, não compra.

5. Adote um estilo de vida equilibrado

Pessoas endividadas, em geral, tentam manter um padrão de vida muito acima do permitido. Em outras palavras, elas vão em restaurantes caros, compram o celular da moda, adquirem roupas para ostentar grifes famosas e andam em automóveis luxuosos.

Entretanto, para manter esse estilo é preciso despender um valor elevado. Contudo, nem sempre o indivíduo tem um salário condizente com a vida que gosta de ostentar.

Talvez seja necessário refletir mais sobre isso, superar o consumismo exacerbado, evitar endividar-se e viver com simplicidade; porém, mais feliz.

O mal da sociedade contemporânea é pensar que a felicidade está nas coisas. De nada adianta usar objetos caros sabendo que não terá dinheiro para pagá-los. Por isso, não caia nesse erro. Saiba administrar bem os seus recursos com sabedoria e equilíbrio.

6. Reserve uma quantia da sua remuneração

Quando alguém quer emagrecer, qual é a atitude mais adequada? Além de malhar e ter uma alimentação balanceada, o ideal é que a quantidade de calorias queimadas no dia a dia seja maior do que as ingeridas, certo?

O raciocínio é o mesmo no mundo das finanças. Para conquistar a tão desejada independência financeira é fundamental gastar menos do que o valor recebido mensalmente. Não tem erro nesse cálculo. Pense nisso!

Faça um planejamento estruturado e certifique-se de guardar uma porcentagem do seu salário. Como já dizia o ditado, de grão em grão, a galinha enche o papo. Isso significa que, em questão de tempo, você conseguirá poupar um montante expressivo.

A conquista da independência financeira acontece por meio de um processo gradual. Não basta, por exemplo, manter as contas em dia e não se programar para poupar recursos. Assim, é preciso seguir à risca todos as etapas, pois cada aspecto está diretamente ligado com o sucesso dessa missão.

Gostou do conteúdo e quer receber mais dicas exclusivas? Então, siga-nos nas redes sociais. Estamos no Facebook, Instagram, LinkedIn e Twitter — nos vemos por lá!

Planilha-de-Controle-Financeiro

Como organizar o tempo no dia a dia? Veja 7 dicas!

Você já teve dúvidas sobre como organizar melhor seu tempo no dia a dia? Às vezes, esse objetivo parece difícil de alcançar em meio a tantos afazeres, não é mesmo?

Porém, com a devida organização, é totalmente possível cuidar do seu tempo para que ele seja utilizado com obrigações, tarefas, hobbies e momentos com familiares e amigos.

Cada um tem uma maneira própria de se organizar, que funciona melhor para seu estilo de vida e personalidade. No entanto, algumas dicas são muito úteis para otimizar a qualidade do seu tempo. Veja a seguir 7 ideias de como organizar o tempo no dia a dia:

1. Crie planejamentos, cronogramas e listas de tarefas

Planeje como você vai usar o seu tempo, anotando tudo o que tem para fazer. Para isso, crie um cronograma ou um planejamento onde você possa colocar todos os seus afazeres com prazos, datas e compromissos. Organize diariamente, semanalmente ou mensalmente, de acordo com sua preferência e necessidade.

Outra possibilidade é fazer listas com suas tarefas e metas. Anote tudo o que precisa ser feito e, para facilitar, divida as atividades em categorias. Por exemplo, separe as obrigações do trabalho das de casa.

Divida os afazeres de acordo com suas prioridades. Destaque o que é urgente do que é mais ou menos importante e leve isso em conta na hora de decidir o que fazer primeiro.

As listas, cronogramas e planejamentos são ótimos recursos, uma vez que te permitem uma melhor visualização das suas tarefas, distribuindo-as de forma organizada de acordo com o seu tempo. Se você preferir usar tecnologia, existem também diversos aplicativos com essas funções.

2. Organize a sua casa e o espaço de trabalho

Arrumar os ambientes em que você passa a maior parte do seu dia faz muita diferença no momento de organizar o tempo no dia a dia. Sabe por quê?

Além de deixar tudo mais prático para você, um ambiente organizado torna as suas atividades diárias bem mais agradáveis!

Por isso, mantenha a sua casa e o seu espaço de trabalho bem organizados, separando os materiais que você mais precisa em um local de fácil acesso, e cuide para preservar a higiene e o conforto nesses locais.

3. Não perca tempo com a procrastinação

É muito fácil se distrair com qualquer coisa ou adiar tarefas importantes sem motivo. Isso pode ser bastante prejudicial, tanto para a sua produtividade como para o aproveitamento do seu tempo.

Sendo assim, na hora que você se dispôs a fazer suas obrigações, tenha foco, evite distrações como celular, vídeos na internet, troca de mensagens e redes sociais.

Distribua as suas atividades ao longo do dia de modo que não te sobrecarregue e tente realizá-las no momento adequado, sem deixar para depois. O seu tempo vai render muito mais, a sua produtividade vai aumentar e, provavelmente, ainda vão restar momentos livres no dia para você aproveitar!

 

 

4. Crie prazos

Se organize e mantenha o foco nos seus afazeres. Estabeleça prazos para a realização e a conclusão de cada tarefa.

Além de ajudar a distribuir melhor as suas atividades diárias, essa atitude é um incentivo para você se dedicar e não procrastinar. Automaticamente, você busca cumprir a sua meta pessoal de ter tudo pronto dentro do limite estabelecido, o que faz o seu cérebro se empenhar mais naquele foco.

5. Adote técnicas como a Pomodoro

Existem técnicas específicas que ajudam como organizar o tempo no dia a dia e ainda otimizar a sua produtividade. Aqui, vamos usar o exemplo da técnica Pomodoro, desenvolvida por Francesco Cirillo.

O termo “pomodoro” significa “duas horas”. O método consiste no seguinte: você se dedica à sua tarefa durante 25 minutos, sem interrupções. Depois, faz uma pausa de 5 minutos para descansar, retornando à atividade em seguida. Isso vai se repetindo e, quando forem atingidas 2 horas, a pausa pode ser maior (de 30 minutos, por exemplo).

Pode ser difícil você seguir essa técnica à risca, cumprindo os minutos certos. Às vezes, você pode achar que não deve interromper a tarefa naquele prazo, além do mais, cada um tem o seu tempo. No entanto, o que vale é a ideia de fazer pequenas pausas ao longo das atividades. Isso ajuda a não se cansar tanto e, assim, ter um rendimento maior.

6. Conheça e respeite o seu próprio tempo

Como você já viu, cada pessoa funciona de um modo único e, da mesma forma, o tempo de cada um também é diferente. Mesmo assim, ainda temos o mau costume de sempre nos compararmos aos outros. Isso acaba trazendo a falsa ideia de que somos desorganizados e pouco produtivos.

A verdade é que o seu rendimento não é pior ou melhor do que o de alguém, só porque você produz mais ou menos do que o outro ou suas formas de organização são diferentes. Todos têm seus pontos fortes e fracos, facilidades e limitações.

O importante é que você descubra o seu jeito de organizar o tempo no dia a dia, conseguindo produzir sem estresse ou sobrecarga. Se cobrar demais ou tentar imitar alguém que funcione de outro modo dificilmente vai te trazer vantagens.

7. Se recompense a cada tarefa cumprida e separe um tempo livre

Encontre formas de se recompensar pelas tarefas cumpridas. Além de trazer um prazer a mais para a sua rotina, te estimula e aumenta sua motivação e produtividade. São várias as opções: escolha, por exemplo, coisas pequenas e simples, como assistir a um filme, comer algo que goste ou passar um tempinho navegando na internet.

Não se esqueça de separar um tempo para descansar, se divertir e cuidar da saúde! Fazer exercícios, ficar com as pessoas queridas, passear, se dedicar a um hobby ou, simplesmente, não fazer nada e dormir também são partes importantes da vida e precisam de tempo dedicado a elas!

O que você achou das nossas dicas de como organizar o tempo no dia a dia? Esperamos ter ajudado! Se você gostou, compartilhe este post nas suas redes sociais e passe essas ideias a diante. Até mais!

Crise dos 30: como lidar com a insatisfação profissional

Depois dos primeiros anos de carreira, é comum que os profissionais se sintam desmotivados e com alguma limitação de energia. Conhecida como crise dos 30, essa fase é marcada pela insatisfação pessoal e profissional, motivada pela pressão pelo sucesso esperado daqueles que atingem os 30 anos.

O desejo crescente de ter mais tempo para a família, para viajar ou mesmo para investir, não ter alcançado o auge da carreira ou a própria independência financeira são apenas alguns fatores que acabam agravando a situação.

A boa notícia é que essa é apenas uma fase e, com a ajuda de algumas técnicas, pode se tornar a guinada tão esperada para a sua carreira e para a sua vida pessoal. Descubra agora mesmo como lidar com a insatisfação e superar a crise dos 30!

Quais suas causas?

Como você já deve ter percebido, esse conflito interno pode ser desencadeado por uma série de fatores. Vamos conhecer alguns deles?

Carreira estagnada

O conforto de uma função já conhecida, ter uma rotina definida e conquistar estabilidade financeira podem ser armadilhas que levam a uma carreira estagnada. Quando as atividades no trabalho se tornam um hábito e atingir os resultados que a liderança espera já não são mais desafios, é preciso tomar cuidado para não entrar em um ciclo de combate à sua criatividade e motivação.

Ter o salário depositado na conta bancária ao fim do mês pode até ser um bom fator motivador, porém, não trará emoção suficiente para a sua vida profissional. Por isso, é preciso buscar o desenvolvimento constante e as novas oportunidades.

Que tal conferir algumas dicas para movimentar a sua carreira? Você pode:

  • assumir riscos e enfrentar pequenas mudanças ou desafios diários;
  • começar um novo curso de especialização ou idioma;
  • diversificar os grupos com os quais você interage;
  • empreender dentro da própria empresa;
  • ir além do que a sua função determina.

Vida pessoal e profissional em descompasso

Outra causa bastante frequente do desencadeamento da crise dos 30 é a falta de sincronia entre a vida pessoal e a profissional. É preciso buscar o equilíbrio entre ambas e, ao mesmo tempo, fazer com que elas se complementem. Afinal, ter uma vida profissional que não condiz com os seus sonhos pessoais é um atalho perfeito para a insatisfação!

O passo mais importante para alinhar esses dois pilares é o autoconhecimento. É a partir dele que você terá condições de estabelecer objetivos que sejam coerentes com a pessoa e o profissional que você é. Assim, alcançar uma meta profissional não é gratificante apenas pela realização, mas porque também aproxima você do seu propósito de vida.

Poucas chances de alcançar postos de chefia

Não conseguir escalar a hierarquia da empresa é uma condição bastante frustrante, não é mesmo? Ainda mais se a empresa não possui um plano de carreira ou se o seu chefe não parece muito receptivo à ideia de uma promoção.

Uma dica bastante válida, principalmente para quem trabalha em uma empresa sem um plano de carreira definido, é conversar com o seu supervisor sobre a sua preparação para receber uma promoção. Se dispor para traçar uma qualificação profissional pode ser uma forma proativa de demonstrar o interesse pelo seu crescimento!

Dúvidas sobre a escolha profissional

A escolha profissional tem tudo a ver com quem você é quando não está no trabalho. Se essas duas esferas da sua vida não estão andando juntas, é melhor repensar seus caminhos. É normal que próximo dos 30 anos você comece a questionar as suas escolhas, se elas foram e serão o melhor para você sob vários aspectos, inclusive financeiramente.

É importante reconhecer os motivos que levaram você até sua vida atual, desde os empregos que você teve até as pessoas com quem escolheu interagir no happy hour.

Por quê? Porque isso o ajudará a encontrar quem você realmente é e o que busca com a sua escolha profissional. Além, é claro, de apontar se você está ou não caminhando em direção aos seus sonhos.

É preciso avaliar: o seu trabalho realmente não deu oportunidades para que você impulsionasse a sua carreira, ou você simplesmente já não tem interesse em se dedicar à área em que você atua?

Quais são os sintomas?

O sucesso se torna algo bem mais simples para quem entende a seguinte dinâmica: quanto mais feliz e satisfeito você trabalha, melhor realiza as suas funções, gerando mais renda e conquistando maior estabilidade financeira e bem-estar. É um ciclo!

Por isso, não se trata apenas de escolher uma profissão que “dê dinheiro”, mas, sim, de escolher algo que gere prazer e satisfação sempre que você o realizar. Quanto mais disposto você estiver para fazer com que as coisas funcionem, melhor serão os seus resultados.

Assim, de nada adianta um emprego cuja remuneração é excelente, se você chega em casa exausto e sem motivação para aproveitar um tempo com a sua família.

Os sintomas são relativamente simples e estão quase todos ligados a questionamentos como:

  • “A minha profissão é fruto dos meus sonhos e das minhas aspirações, ou apenas dos desejos alheios?”
  • “Essa é a área na qual quero atuar quando estiver com 40 anos?”
  • “Conseguirei alcançar minha independência financeira seguindo esse emprego?”
  • “Eu sou feliz e realizado atuando nessa área?”
  • “Estou no mesmo estágio profissional que a média de pessoas da minha idade?”
  • “Minha profissão vai me permitir aproveitar a vida e prezar pelo meu bem-estar?”

 

 

Se você identificou alguma dessas perguntas de forma recorrente na sua vida, não se preocupe. Separamos as melhores formas de superar essa fase!

Como enfrentar a crise dos 30?

A tão temida crise dos 30 bateu à porta. E agora? Não se desespere! Esse pode ser o momento ideal de despertar a sua carreira e dar aquela guinada profissional. Quer saber como?

Experimente o coaching

O coaching é um método de ressignificação de objetivos pessoais e profissionais para auxiliar na busca por propósitos consistentes, que sejam capazes de gerar satisfação e, ao mesmo tempo, resultados.

Sua função é disponibilizar uma série de questionamentos e ferramentas, a fim de identificar quais são os comportamentos que podem estar sabotando a sua performance. O coaching ajuda a:

  • organizar o seu tempo;
  • estabelecer prioridades;
  • trabalhar em equipe;
  • pedir ajuda ao executar tarefas;
  • escutar as pessoas;
  • estabelecer bem-estar social;
  • cuidar da sua saúde​;
  • buscar autoconhecimento.

Invista na sua formação

Uma ótima forma para alçar novos voos dentro da sua empresa ou mesmo para conseguir uma recolocação profissional é investir na sua formação. Buscar conhecimento é uma das maneiras mais eficazes para se reencontrar e descobrir como desempenhar suas tarefas de forma satisfatória para a empresa e para você mesmo.

Pense além do óbvio, invista na diversificação do seu conhecimento e torne-se um profissional multifuncional, capaz de se destacar em qualquer atividade. Busque formas de se qualificar, seja por meio de cursos profissionalizantes ou mesmo de uma pós-graduação.

Aprenda um novo idioma, estude a criatividade, aprenda sobre relacionamentos interpessoais. Ainda que pareçam áreas distintas, em algum momento elas se complementarão, fazendo de você um profissional diferenciado.

Aposte em empreendedorismo

Se, mesmo assim, você ainda sente que não é o suficiente para dar aquela virada no jogo, então considere a possibilidade de apostar em empreendedorismo! Se você sente uma motivação especial por identificar problemas e oportunidades e consegue alocar recursos para resolvê-los, o empreendedorismo é feito para você.

Algumas pessoas só conseguem se sentir felizes e realizadas ao perceber que suas atividades resultam em mudanças e geram impactos positivos no ambiente em que estão inseridas. Se você se identifica com essa necessidade, talvez esteja na hora de considerar investir no seu próprio empreendimento.

A crise dos 30 é uma angústia real para inúmeras pessoas que chegam a essa fase da vida. O mais importante é identificá-la e tomar as melhores providências para lidar com ela. Agora que você já conhece um pouco mais sobre este assunto, que tal curtir a nossa página no Facebook e ficar por dentro de todas as novidades?

 

perfil-empreendedor