transformamos a vida de milhares de jovens através da educação.

Everton Sabú
Fundador

Junte-se a Nós nesta missão!

Conheça as vantagens e desafios de abrir uma franquia

Assim como em qualquer tipo de negócio, as vantagens e desafios de uma franquia são os principais fatores de decisão para quem está pensando em se tornar um empreendedor de sucesso. Entender melhor como funciona a relação entre franqueador e franqueado pode ajudar a identificar as principais características desse modelo de empresa.

Neste post, vamos expor os pontos mais importantes no dia a dia de uma franquia, para você identificar se tem (ou não) o perfil ideal para atuar nesse segmento. Boa leitura!

Entenda o cenário atual de franquias no Brasil

O cenário das franquias no Brasil é excelente! De acordo com a Associação Brasileira de Franquias (ABF), os números do setor em 2017 mostraram crescimento no faturamento em 8% e na geração de empregos em 1% com relação ao ano anterior.

Em meio à crise econômica que se abateu sobre o país nos últimos anos, os dados são realmente muito positivos. E o faturamento do setor é crescente desde 2013, o que mostra uma tendência para os próximos anos.

Como vimos, o panorama é favorável, agora vamos conhecer, primeiro as vantagens e, depois, os desafios do setor.

Veja as principais vantagens

Abrir uma franquia tem uma série de vantagens com relação aos demais modelos de empresas. Vamos detalhar cada um dos principais pontos favoráveis, a seguir. Confira!

Know-how adquirido

Essa é uma das vantagens que mais economizam o seu tempo entre a decisão de montar o negócio e a sua inauguração. Quando você se torna um franqueado, todo o conhecimento adquirido pelo franqueador para a construção da empresa e da marca são transferidos para você.

Sendo assim, você simplesmente pula a etapa de fazer testes infindáveis para saber se o seu produto tem aderência ao mercado, se a sua marca está crescendo ou se os processos foram bem elaborados. Tudo isso faz parte do pacote!

Uma das responsabilidades do franqueador para com o franqueado é justamente a transmissão de conhecimento, por meio de treinamentos tanto em relação à parte da gestão administrativa da empresa quanto à parte operacional.

Plano de negócio estruturado

Essa é outra vantagem que poupará o seu tempo e esforço. Com um plano de negócios já pronto e estruturado, algumas decisões muito difíceis de serem tomadas, principalmente por quem está começando agora, já estarão acertadas. É menos uma preocupação no seu dia, deixando o seu foco na administração da operação da sua unidade.

Suporte e consultoria

O contrato de franquia garante suporte ao longo de todo o período de vigência. Em geral, são oferecidos os serviços de divulgação, advocacia, contabilidade e consultoria de negócios a todos os franqueados. Tudo isso para que o franqueador garanta a manutenção da imagem da sua marca e da qualidade dos produtos e serviços oferecidos aos clientes.

Além disso, ele precisa manter um padrão, que já é esperado por sua clientela. O suporte e as consultorias servem para o alinhamento das informações e dos processos entre as diversas unidades franqueadas.

Investimento em uma empresa que já está estabelecida

Uma das grandes desvantagens de abrir um negócio próprio é justamente o desconhecimento do público sobre você e sua marca. Construir uma reputação pode levar vários anos e nem sempre se tem verba suficiente para arcar com todo esse tempo.

Com a marca já reconhecida, a sua unidade já inaugura com clientela formada. Mesmo que sua unidade seja nova, os clientes já conhecem a empresa e pressupõem o que vão encontrar. Assim, basta manter um bom serviço e um bom atendimento que a tendência é de crescimento contínuo.

Confira os principais desafios

Nem tudo são flores no mundo das franquias. Os desafios existem e precisam ser enfrentados. Mas, não é nada impossível de ser feito, afinal o setor apresentou crescimento nos últimos 5 anos. Os principais desafios específicos de uma franquia são dois e vamos explicar cada um deles logo abaixo. Acompanhe!

Algumas decisões não serão suas

Infelizmente você não será o dono da marca, apenas terá o seu direito de uso. Isso significa que algumas decisões serão tomadas pelo franqueador e você terá que aceitá-las, por força de contrato.

Em geral, isso não é exatamente um problema, apenas uma forma de trabalhar. E boa parte das marcas de franquia possui um conselho formado por franqueados que ajuda a tomar algumas das decisões que afetará todo o grupo.

Pagamento de royalties e taxas ao franqueador

Todas as vantagens que apresentamos anteriormente têm um preço. Esse preço é representado de duas formas: taxas e royalties.

A primeira taxa é a de abertura da unidade, que é pagar ao franqueador para garantir a estrutura necessária, o treinamento da equipe e a transferência de conhecimento para o franqueado. Em alguns casos, são cobrados valores para fundo de uso comum. Esses fundos visam cobrir, principalmente, as despesas com divulgação da marca entre outros custos menores.

Já os royalties são os valores mensais que os franqueados devem pagar aos franqueadores como direito de uso da marca. É a quantia que se paga para gozar de todos os benefícios indiretos que a marca proporciona.

Analise as vantagens e desafios de uma franquia e entenda se ela vale a pena para você

Para entender se o modelo de franquia funciona para você, é preciso avaliar bem todos os pontos levantados até aqui. O que definirá a resposta para essa questão é o seu perfil profissional. Existem vários tipos de perfis empreendedores, mas dois deles são excelentes para explicar como identificar se você tem ou não o perfil certo para ter uma franquia.

No primeiro perfil, temos uma pessoa mais dinâmica e criativa, que está sempre em busca de mudanças e inovações. Esse tipo de pessoa tem facilidade em assumir riscos e tomar decisões mais difíceis sem medo de errar. Para ele, os desafios que listamos acima são muito mais difíceis de superar, pois esse tipo de pessoa pode se sentir presa.

No segundo perfil, temos uma pessoa que gosta de gerenciar equipes, não se importa em ter que seguir algumas regras e, principalmente, prefere não se arriscar. Para este perfil a franquia é o modelo ideal de negócio.

Se depois de analisar bem as vantagens e desafios de uma franquia você ainda tiver dúvidas, nós temos outro post que pode lhe ajudar a esclarecer melhor: “Franquia ou negócio próprio?”. Nos vemos por lá!

 

Abra o seu próprio negócio

3 vantagens e desvantagens de empreender e ser dono do próprio negócio

Depois de certo tempo tentando se adequar às exigências do mercado de trabalho, é natural ter a sensação de que o retorno recebido não é compatível com o esforço dedicado e que os frutos de seu trabalho estão sendo colhidos por outras pessoas.

Se você sente esse tipo de insatisfação profissional, já deve ter parado para pensar sobre as vantagens de empreender e sobre como sua carreira seria diferente se fosse um empresário.

Pensando nisso, no post de hoje trouxemos alguns pontos que devem ser levados em conta na hora de decidir se empreender é mesmo a solução para você. Veja!

3 vantagens de empreender

Empreender oferece muitas vantagens, principalmente no que diz respeito à autonomia que você passará a ter no seu trabalho. Vamos a elas!

1. Flexibilidade

Esse é, em geral, o principal objetivo que se tem em mente quando se pensa em empreender. Ter seu próprio negócio permite que você decida seu local e horários de trabalho, além de proporcionar autonomia para organizar suas prioridades nos âmbitos profissional e pessoal.

Como empreendedor, você decidirá onde e a que horas começará e parará de trabalhar, bem como o momento ideal para tirar férias.

É claro que isso não significa que você trabalhará menos, afinal de contas, você terá mais responsabilidades como dono do seu negócio do que como funcionário. Por outro lado, esse tipo de decisão partirá de você, equilibrando a saúde do negócio e seu próprio bem-estar.

2. Escolha da própria equipe

Uma parte fundamental de todo negócio é a equipe. Você já deve ter percebido que a desarmonia entre os membros de uma equipe impacta não apenas na motivação dos colaboradores, mas também nos resultados de um trabalho.

Enquanto dono do seu próprio negócio, você não precisará trabalhar com uma equipe que considere incompetente ou tóxica, uma vez que será você que escolherá seus membros e que também terá autoridade para auxiliá-los na resolução dos conflitos, promovendo um ambiente de trabalho agradável e motivador para todos.

3. Realização pessoal e financeira

Essa é uma questão central quando falamos em trabalho. Passamos uma parcela enorme do nosso tempo trabalhando, de forma que há pouquíssimo espaço na nossa rotina para projetos pessoais — principalmente quando é preciso conciliar vida profissional e família.

Desse modo, as oportunidades de encontrar realização pessoal fora do ambiente profissional são muito pequenas. É necessário, portanto, que as horas investidas no trabalho sejam também um investimento naquilo que é importante para você e para o desenvolvimento das suas habilidades.

Além disso, para se sentir motivado a executar suas funções com qualidade, é fundamental que você sinta que está sendo remunerado de forma justa, o que é difícil quando seu salário é muitas vezes inferior ao lucro que você proporciona ao seu empregador.

Empreender possibilita tudo isso, uma vez que cada hora trabalhada significa um investimento no seu próprio futuro e no de sua família. Também é muito mais fácil encontrar uma relação clara entre o seu esforço e o retorno financeiro obtido, uma vez que como empreendedor você trabalhará para si mesmo.

perfil-empreendedor
Faça já o teste e descubra se você tem Perfil Empreendedor

3 desvantagens de empreender

É claro que vantagens como essas não vêm sozinhas. Empreendedores também precisam superar alguns desafios! Confira as três principais desvantagens de empreender:

1. Burocracia

O primeiro obstáculo do empreendedor é que ninguém se torna empresário da noite para o dia. Há uma série de burocracias que devem ser resolvidas antes de dar esse salto na carreira, que vão desde a criação de um CNPJ a questões específicas do tipo de negócio que você pretende abrir.

Pode ser necessário alugar um ponto comercial, contratar funcionários, retirar alvarás e adequar os equipamentos do seu negócio às regulamentações de segurança e salubridade.

Sendo assim, planeje a abertura de seu empreendimento com certa antecedência e procure entender quais serão as necessidades de seu negócio. Dessa forma, você não será pego de surpresa.

2. Atenção às finanças

Também é muito importante que você esteja sempre de olho no desempenho do seu negócio. Afinal, como empreendedor você não terá mais uma renda fixa: seu esforço e a qualidade de suas estratégias serão determinantes para seus lucros.

Sendo assim, se quiser obter um bom retorno do seu negócio, você precisará registrar as entradas e saídas de produtos, acompanhar de perto as atividades dos seus funcionários e minimizar os seus gastos.

Mesmo que você tenha gestores competentes trabalhando com você, é fundamental ter conhecimento e comprometimento para acompanhar o seu negócio e possibilitar que ele cresça de maneira sólida.

3. Necessidade de investimento inicial

Por fim, mas não menos importante, está um ponto crucial nessa decisão: a disponibilidade de capital inicial para investir no seu empreendimento. A existência e o tamanho desse capital vão possibilitar ou limitar determinados tipos de negócio; dessa forma, é muito importante que você tenha isso em mente antes de escolher o campo em que gostaria de atuar.

Para dar conta dos equipamentos, do espaço e da folha de pagamento dos funcionários necessários para que você abra seu negócio, é fundamental dispor de um montante compatível de dinheiro para investir. Vale lembrar também que alguns negócios demoram mais tempo para se pagar do que outros.

Nesse contexto, também é importante falar dos riscos de empreender: nem sempre um empreendimento é bem-sucedido, de forma que não há garantia de retorno do seu investimento. Esse retorno e um subsequente lucro são consequências de boas estratégias e de muito trabalho duro.

As vantagens de empreender são muito sedutoras, mas tenha em mente que elas também acompanham grandes responsabilidades. De todo modo, essas e outras desvantagens de empreender podem ser contornadas se você souber se organizar antes de se tornar empresário e se mantiver atento ao desempenho do seu negócio.

Esperamos que este post tenha ajudado você a refletir melhor sobre a possibilidade de começar seu próprio negócio. Entender não só as vantagens de empreender, mas também as desvantagens, é o primeiro passo para o sucesso de uma nova empreitada.

Se você se interessa pelo assunto, não deixe de curtir a nossa página no Facebook para ser notificado das novidades do blog!

Conheça a inspiradora história de Jeff Bezos, criador da Amazon

Para os empreendedores, as histórias inspiradoras funcionam como um valioso combustível: ao evidenciarem o sucesso de um, motivam o outro a perseguir seus sonhos e objetivos com ainda mais determinação e empenho. É por isso que a trajetória de Jeff Bezos, criador da Amazon, merece ser conhecida e compartilhada.

Se você deseja entender um pouco mais sobre a experiência desse homem visionário, que hoje comanda um verdadeiro império do varejo, encontrou o conteúdo certo! No post, você vai saber um pouco mais sobre a vida e as ideais de Bezos, compreendendo os motivos que fazem dele uma referência do empreendedorismo moderno.

Preparado? Vamos em frente e boa leitura!

Quem é Jeff Bezos, o criador da Amazon?

Nascido nos Estados Unidos, em 1964, Jeff Bezos foi o que se pode chamar de “criança prodígio”. Ainda na primeira infância, quando só podia engatinhar, há relatos de que tenha desmontado seu berço com uma chave de fenda.

Mais crescido, mas ainda menino, diz-se que foi capaz de montar um alarme elétrico que mantivesse seus irmãos longe de seu quarto. Um belo indicativo de um futuro promissor, certo?

Formado com louvores na Universidade de Princeton, uma das mais renomadas dos EUA e onde cursou engenharia elétrica e ciência da computação, Bezos logo encontrou trabalho em Wall Street, optando por seguir carreira no ramo da informática.

Mas a inquietação de seu espírito, somada à inventividade que cultivava desde criança, eram responsáveis por mantê-lo sempre atento às novas oportunidades de desenvolver suas ideias e projetos. A Amazon, que acabou fundando alguns anos depois, foi certamente o produto de sua personalidade empreendedora e, claro, de muito trabalho árduo.

Como foi a trajetória empreendedora de Bezos?

Como já mencionamos, o início profissional de Jeff Bezos seguiu um script bastante tradicional: após a graduação em uma universidade de ponta veio um emprego no local mais disputado e competitivo dos Estados Unidos. E você, por acaso, acha que Bezos ficou satisfeito com suas conquistas?

A resposta, você já sabe, é “não”. Durante uma viagem de Nova York a Seattle, em 1994, Jeff aproveitou o tempo livre para redigir um projeto de negócio. Assim nasceu, no plano das ideias, o que hoje conhecemos por Amazon.

O início da empresa foi modesto: a sede era a própria garagem de Bezos, que abandonou uma carreira já estabelecida (e bem-sucedida) de vice-presidente para apostar todas as fichas em sua aventura empreendedora. Na época, ele fez uma aposta certeira: acreditou que explorar a internet, ainda pouco disseminada, poderia trazer retornos significativos.

A grande sacada de Bezos foi aplicar seus conhecimentos em computação para desenhar uma operação ousada, pautada na venda por correspondência. No começo, ainda sem a potência e o glamour da atualidade, o próprio Jeff arregaçava as mangas e empacotava os produtos que vendia — livros, discos, brinquedos e equipamentos eletrônicos.

 

 

A expansão da empresa, a partir de então, foi relativamente rápida. Em 1996, Bezos abriu o IPO da Amazon, permitindo que suas ações fossem negociadas na Bolsa de Valores. Em 1999, já estampava a capa da revista Time, uma das mais conceituadas do país.

Em 2001, o portfólio de produtos oferecidos foi fortemente alavancado (passando a incluir itens como artigos esportivos e joias). Em 2004, a empresa comemorou 108 milhões de artigos comercializados ao longo da temporada de férias.

De lá para cá, os recordes são constantemente quebrados. Para Bezos, que não mede esforços, não parece haver limites para galgar sua companhia a resultados cada vez melhores.

E não pense que a boa performance da empresa acalmou os ânimos empreendedores dele: a inovação, na própria Amazon — ou em projetos paralelos que se empenha em desenvolver — é uma das características mais latentes de Jeff.

O lançamento do Kindle, que revolucionou o mercado de leitores digitais, e a recente Amazon Go, que apresenta um novo conceito em lojas sem atendentes, são belos exemplos de sua mente criativa.

Com trabalho árduo, foco e persistência para implementar suas ideias e desenvolver seus projetos, Bezos foi recentemente apontado como o homem mais rico do mundo, ultrapassando Bill Gates. É possível que, até 2042, ele seja o primeiro trilionário da história.

Qual é o segredo de sucesso do criador da Amazon?

Diante de todo o sucesso de Jeff Bezos, desponta um questionamento inevitável: qual é a fórmula do desse empreendedor tão visionário?

Muito embora seja difícil assinalar, de forma isolada, quais atributos tornaram Bezos o maior fenômeno empresarial da atualidade, alguns princípios que ele defende podem ser úteis àqueles que trilham uma trajetória semelhante. Dentre as lições do criador da Amazon, algumas podem ser bastante úteis a você e ao seu negócio:

  • olhar para o futuro, mas sem esquecer do presente;
  • colocar a mão na massa e conhecer toda a operação, assegurando controle dos processos principais;
  • estar atento à concorrência, extraindo as melhores práticas de empresas que têm apresentado bons resultados;
  • nutrir a resiliência e estar constantemente motivado, fortalecendo-se para enfrentar os desafios de um mercado complexo;
  • apostar em inovação, entendendo que novos comportamentos exigem novas soluções.

Por que Jeff Bezos é uma referência?

A história de Bezos, por si só, já dispensaria qualquer explicação. Seus feitos, com certeza, refletem sua capacidade inventiva, mas também ressaltam uma forte consciência prática — afinal, para transformar sonhos em realidade, é preciso agir.

Se você deseja empreender (ou já começou a jornada à frente do próprio negócio), a história de Jeff Bezos é, sem dúvida, muito inspiradora e faz dele uma referência inquestionável no assunto.

Por meio das experiências do empresário, que hoje colhe os frutos de décadas de trabalho, você pode extrair conhecimentos úteis na estruturação e no desenvolvimento de sua empresa.

Se a trajetória do criador da Amazon, por tudo o que representa, reavivar sua energia e motivá-lo a perseguir suas metas com ainda mais garra, o nosso objetivo foi atingido com sucesso! Lembre-se de que nenhum sucesso acontece da noite para o dia, mas todo o esforço é recompensado. Boa sorte!

A história de Jeff Bezos despertou em você a vontade de fazer mais e melhor? Então aproveite para conhecer outros líderes que são referências em empreendedorismo e extraia dicas valiosas para seu crescimento pessoal!

8 livros indispensáveis para quem quer empreender

Ser um empreendedor de sucesso é algo que requer muito estudo e dedicação. Nesse sentido, existem vários livros para quem quer empreender disponíveis no mercado — e você não deve se esquecer de que manter a leitura em dia é primordial, certo?

Afinal, ser dono da própria empresa envolve dominar diversos assuntos, principalmente os que estão diretamente relacionados a gestão, finanças e negócios.

Pensando nisso, neste post, listamos 8 livros que vão trazer grandes inspirações, lições e dicas para que você empreenda e alcance o sucesso no universo corporativo. Vamos lá? Boa leitura!

1. Empreendedores Extraordinários (John Byrne)

Esse livro é bastante motivador, principalmente para quem está pensando em abrir seu negócio, mas tem medo de não conseguir enfrentar todos os desafios que essa empreitada oferece.

Para escrevê-lo, o autor entrevistou 25 empreendedores que passaram por grandes percalços até conquistarem um lugar de destaque no mercado — atualmente, eles são grandes nomes no mundo dos negócios. São histórias muito inspiradoras, que mostram como é possível vencer mesmo com perspectivas muito adversas.

Entre essas histórias está a de Howard Schultz, dono da Starbucks, que fundou a empresa, se afastou e depois retornou, reinventando tanto o negócio quanto a si mesmo. Tem também a história de Reed Hastings, cofundador da Netflix, que teve a ideia da empresa depois de pagar uma multa de $40 pelo atraso de uma locação de vídeo.

2. DNA do inovador (Clayton Christensen, Hal Gregersen e Jeffrey Dyer)

Os autores desse livro entrevistaram fundadores e CEOs de diversas empresas — como Apple, Amazon, Google e Skype — e identificaram 5 habilidades comuns a todos eles e que os diferenciavam como inovadores frente aos profissionais comuns.

De acordo com eles, um profissional com o DNA inovador tem as habilidades de associar, questionar, observar, trabalhar em rede e experimentar. Eles mostram como qualquer pessoa pode desenvolver essas habilidades para se tornar um profissional criativo, e o livro traz ainda um teste muito interessante que calcula o seu DNA inovador.

É o livro ideal para os empreendedores que buscam aprimorar sua capacidade de gerar novas ideias.

3. O jeito Disney de encantar os clientes (Disney Institute)

Quem já visitou algum dos parques da Disney pôde sentir na pele a excelência em atendimento de toda a equipe de colaboradores. O objetivo dos parques é tornar a experiência de cada visitante mágica e inesquecível.

Nesse livro, são contados os bastidores dos parques no que diz respeito a tudo que envolve o atendimento ao cliente. Ele dá excelentes exemplos que podem — e devem — ser seguidos por todos os empresários para aprimorar o relacionamento com seus clientes.

4. Franquia de A a Z (José Castro Schwartz)

Se você pretende entrar para o mundo das franquias, a leitura desse livro é praticamente obrigatória. Ele traz todos os termos utilizados por franqueados e franqueadores, além de dar um panorama sobre o assunto.

O livro, que funciona como um dicionário, também é muito útil para ter sempre por perto e tirar dúvidas do dia a dia. Seu conteúdo traz importantes direcionamentos e serve como um guia, tanto para quem está começando, quanto para quem já tem uma franquia.

 

5. Vamos juntos! (Renato Saraiva)

O livro conta a trajetória de sucesso de Renato Saraiva, fundador da rede de cursos online CERS, que está presente em vários estados do país. Renato foi concurseiro e viu na educação uma oportunidade de sucesso. Além de empresário, ele também é um autor consagrado na área do direito e procurador da Justiça do Trabalho.

Sua rede foi fundada em 2009 e atualmente conta com 150 mil alunos ativos cadastrados. O negócio teve um crescimento de mais de 50% entre 2012 e 2014, impulsionado pela melhoria do acesso à internet e pela ascensão da classe C, que é seu grande público.

No livro, Saraiva conta como foi essa caminhada e dá dicas de como aproveitar as boas oportunidades. De acordo com o empreendedor, “quando você divide as conquistas e responsabilidades, os benefícios e retornos se multiplicam e todos saem ganhando”.

6. 25 verbos para construir sua vida (Alberto Saraiva)

Nesse livro, Alberto Saraiva — fundador do Habib’s — conta a trajetória da sua vida profissional por meio de verbos como sonhar, conquistar, persistir, confiar, entre outros.

Quando criança, sonhava em ser médico, mas o assassinato do pai na porta da padaria da família mudou os rumos da sua vida. Naquele instante, ele precisou assumir o negócio do pai para ajudar no sustento da casa.

A cada verbo, Saraiva conta um trecho de sua vida e aproveita para dar conselhos diretos para o leitor sobre a vida pessoal, profissional e até mesmo espiritual. O livro também traz uma série de frases para o leitor refletir, tornando-se muito inspirador para quem está pensando em começar seu novo negócio.

7. Sinônimo de Sucesso (Vinícius Almeida Carneiro)

O livro conta a história surpreendente de duas pessoas que pegaram 3 mil reais emprestados e conseguiram montar 4 redes de franquias de sucesso. Vinícius Almeida Carneiro e Alexandre Loudrade são os personagens dessa história — que até parece fictícia, mas não é!

Os dois passaram por várias dificuldades e enfrentaram muitos desafios até alcançarem a marca de 350 franquias espalhadas por todo o Brasil.

É um livro que motiva principalmente aqueles que acham que não é possível começar um negócio com pouco dinheiro. Mesmo que o investimento inicial seja baixo, com trabalho e dedicação é possível transformar sonhos em realidade.

8. Salto (Matthew Syed)

O livro tem um subtítulo que já instiga: “a ciência explica Mozart, Federer, Picasso, Beckham entre outros sucessos”. O autor explica que o sucesso não depende de um talento nato, mas sim de muito estudo e dedicação.

Com isso, ele ressalta a importância de manter a empresa atualizada e buscar sempre aprimorar técnicas e processos, destacando a importância do espírito competitivo e da vontade de querer superar os próprios limites e melhorar as próprias marcas.

Manter a leitura em dia é imprescindível para ser um empresário bem-sucedido. Focar sua leitura em livros que agregarão conhecimentos práticos pode fazer toda a diferença para o sucesso de seu novo negócio. Além disso, esse pode ser o caminho para que você conquiste sua tão sonhada independência financeira.

Se você gostou de nossas sugestões de livros para quem quer empreender, curta nossa página no Facebook e fique sempre por dentro de todas as novidades da Jumper!

Conheça 5 desafios em ser um empresário

Os desafios em ser empresário podem assustar algumas pessoas, mas como a própria palavra diz, não se tratam de problemas e sim de desafios.

Todos os empresários bem-sucedidos, durante a caminhada, aprenderam a extrair o melhor de cada experiência, transformando esses desafios em oportunidades de crescimento pessoal e empresarial.

Neste texto, falaremos sobre o que é preciso para ser um empresário, quais as compensações e desafios e o que fazer para contorná-los. Confira!

O perfil empreendedor

Várias características podem favorecer o empreendedorismo.

Não existe nenhum impedimento para que qualquer pessoa se torne empresária, entretanto, os indivíduos que têm sucesso como empresários geralmente têm em comum as seguintes características:

  • facilidade para identificar oportunidades;
  • gosto por desafios — ou, no mínimo, não ter medo deles;
  • iniciativa;
  • espírito de liderança;
  • coragem e ousadia;
  • sonho de independência;
  • comprometimento e capacidade de “vestir a camisa”.

Se você não se enxergou completamente na lista acima e acredita que estão faltando algumas dessas qualidades em seu perfil, não se preocupe. As habilidades também podem ser desenvolvidas ou aperfeiçoadas.

Esse aperfeiçoamento pode se dar por meio de:

  • cursos;
  • estudos por conta própria;
  • conselhos;
  • reflexões e a própria experiência do dia a dia.

Não subestime a importância de buscar desenvolver-se cada vez mais. Os desafios virão e um empresário precisa estar preparado.

5 desafios em ser um empresário

1. Instabilidade financeira

Um empresário deve estar ciente de que sua renda será flutuante. Não há garantia de entrada de receita, cada dia é uma batalha.

Nos primeiros anos, especialmente, é preciso ter paciência, pois o negócio leva algum tempo até começar a dar lucro e o empresário também precisa de tempo até se acostumar com o padrão de despesas que a empresa demanda.

Existem outros fatores que influenciam na instabilidade dos rendimentos da empresa, entre eles:

  • sazonalidade do mercado (há épocas mais propícias para certos tipos de vendas, assim como há épocas de baixa procura);
  • nível de endividamento da empresa;
  • rotatividade de funcionários (gerando custos com contratações e verbas rescisórias).

Assim, é importante que haja planejamento e muito autocontrole para administrar as finanças de um estabelecimento.

 

perfil-empreendedor

 

2. Legislação e tributos

A constituição formal e jurídica de uma empresa requer uma série de procedimentos iniciais, como:

  • Confecção e averbação dos contratos (estatuto social, contrato de franquia etc.);
  • Registro na Junta Comercial;
  • Expedição de alvarás de funcionamento perante a Prefeitura;
  • Inscrição Estadual;
  • Licença ambiental, se for o caso;
  • Inspeção pelo Corpo de Bombeiros;
  • Contratações de empregados e assinatura de Carteiras de Trabalho;
  • Contratação de contador.

Pesquisas apontam que o Brasil é o 130º país no ranking mundial de facilidade para abrir um negócio. Isso significa que temos um dos processos mais burocráticos do mundo.

Fora a abertura da empresa, o dia o dia também demanda outras providências, como a observação das normas de direito do consumidor e pagamento de tributos.

A legislação tributária brasileira é complexa, o que faz com que muitos se confundam sobre quais impostos precisam pagar e também quanto a forma de cálculo.

No entanto, todas essas providências são fundamentais para que a empresa opere regularmente, evitando autuações administrativas ou processos judiciais.

3. Gestão de pessoas

Falar em empresa é falar em pessoas, afinal, nenhum negócio sobrevive só com uma grande ideia ou um ótimo produto. São necessárias pessoas para fazer com que o produto chegue ao cliente de forma satisfatória.

No ramo da prestação de serviços, a importância dos recursos humanos é ainda maior, pois os serviços são prestados por eles.

A gestão de pessoas é um assunto que não sai da pauta dos consultores empresariais e estudiosos do mundo dos negócios, sendo considerado o grande desafio do século XXI.

Saber administrar talentos e gerenciar pessoas é um dos talentos que um empresário precisa ter — ou adquirir.

Isso não é fácil, pois além de paciência e sensibilidade, requer conhecimentos de gestão, direitos trabalhistas e até um pouco de psicologia.

Porém, esses são alguns dos conhecimentos que mais agregam à vida do empresário, como pessoa e também ao sucesso da empresa.

4. Fusão entre vida profissional e vida pessoal

Quando você é o dono do negócio, fica mais complicado estabelecer uma jornada de trabalho com início e fim. Muitas vezes, é impossível não levar o trabalho para casa ou passar uma noite ou fim de semana sem pensar nas questões da rotina empresarial.

Um empregado tem funções mais definidas dentro de uma empresa, com carga horária e salário determinados. Para o dono do negócio, não há delimitações: é preciso entender um pouco de tudo e não há um expediente predeterminado.

Eventualmente, a vida pessoal do empresário acaba se fundindo com a da empresa.

Isso é muito evidente nos casos de empresas familiares e de empresários que moram no mesmo prédio da empresa, por exemplo. Em geral, nenhum negócio está imune à possibilidade de interferir na vida do seu dono e vice-versa.

Outro grande desafio é não misturar as finanças pessoais com as finanças da empresa. Esse, inclusive, é um dos fatores que mais leva à falência de negócios.

5. Equilíbrio emocional

Como resultado de todos os desafios citados nos itens anteriores, naturalmente, o emocional do empresário também fica afetado.

Geralmente, essa é a parte que menos o preocupa: a prioridade é fazer a empresa funcionar, manter o caixa positivo e a estrutura funcionando. A saúde é geralmente relegada ao segundo plano.

Entretanto, o empresário precisa estar ciente de que caso tenha um problema de saúde, talvez ele não possa contar com o INSS, diferentemente de seus funcionários.

Além disso, não se pode esquecer que o empresário é peça fundamental no funcionamento da empresa e para que ele não venha a faltar, precisa manter seu equilíbrio emocional e evitar consequências negativas para sua saúde.

As compensações

É claro que, além dos desafios, há os louros a serem colhidos.

O êxito financeiro é apenas uma entre tantas compensações que um negócio pode gerar, aliás, ele é apenas a consequência do sucesso em outras áreas.

Uma empresa, quando bem-sucedida, não transforma só a vida do seu dono: ela gera impacto positivo na vida de clientes e funcionários também.

Ao assumir as rédeas de uma empresa, dificilmente um indivíduo volta a querer estar em outra posição. Não que as demais sejam inferiores! Todas as funções são importantes, o mercado não sobreviveria se todos quisessem e pudessem ser líderes.

No entanto, a satisfação de estar à frente de um projeto de sucesso é insubstituível e as recompensas são diretamente proporcionais ao esforço.

Como driblar os desafios

Todo sonho requer alguns sacrifícios e com uma empresa isso não poderia ser diferente: há responsabilidades a serem assumidas, habilidades a serem desenvolvidas, adversidades a serem contornadas… Mas todos esses fatores são oportunidades de crescimento pessoal, que impactam diretamente no crescimento da empresa também.

A chave para driblar os desafios em ser empresário é seguir se aperfeiçoando para desenvolver as habilidades necessárias, como dissemos acima no item sobre o perfil empreendedor. Faça nosso teste para descobrir se você tem perfil empreendedor e continue em busca do seu sonho!

Mudar de carreira: saiba como escolher uma nova área profissional

Escolher uma profissão não é tarefa fácil — e não é raro que se perceba isso apenas depois de estar estabelecido em um mercado ou área. Nessas horas, buscar mudar de carreira é uma solução para tentar alcançar a realização profissional, uma transição que, por sua vez, pode trazer muita insegurança.

Se você está passando por um momento como esse, acompanhe este texto e saiba como escolher uma área profissional mais adequada ao seu perfil. Boa leitura!

1. É realmente preciso mudar de área de atuação?

Mudar de carreira é uma decisão que gera consequências. Por isso, é preciso ter cautela e considerar se essa alternativa será a solução para o seu problema. Assim, o primeiro passo diante à insatisfação com a carreira e vontade de mudança deve ser analisar e definir se é realmente necessário trocar a área de atuação.

Alguns fatores podem indicar que você está ansioso por uma mudança na sua vida profissional — como frustração e desânimo constante em relação à sua carreira. Algumas situações, no entanto, podem fazer com que esses sentimentos piorem: estar diante de poucas possibilidades de avanço e crescimento no trabalho é uma delas, por exemplo.

Para definir se mudar de carreira é realmente preciso, existem algumas questões. Confira os próximos tópicos e saiba mais:

1.1. Identifique as causas da vontade de mudar

Como mencionamos, diversos motivos podem estar relacionados com a insatisfação profissional e ter consciência disso é o primeiro passo para o problema de forma eficaz e sem tomar decisões precipitadas (e prejudiciais!).

Assim, coloque-se a pensar: o problema pode estar ligado ao atual emprego e às políticas da empresa — e não à carreira em si. Numa situação dessas, se a questão não for corretamente identificada, a mudança pode não trazer os efeitos desejados, e sim mais frustração.

Talvez você esteja desmotivado por estar em uma empresa que não oferece mais chances de crescimento, que não reconhece os seus esforços ou que não respeita os seus direitos. Nesses casos, o seu problema não é a carreira — e sim onde ela está no momento.

Nesse caso, a solução pode surgir em meio a uma conversa clara com os superiores ou na busca de outro emprego com a mesma função em outra empresa (o que é bem menos impactante do que iniciar uma nova carreira em outra área).

Outro ponto se relaciona com a sua vida pessoal. Você já parou para pensar se os problemas que você atribui ao trabalho têm ligação com outras áreas da sua vida — como problemas financeiros, pessoais e familiares? É preciso ter em mente que eles afetam o seu desempenho e modo de agir. E, portanto, leve-os em consideração.

Caso a situação dure por muito tempo, isso pode afetar a forma como você lida com o trabalho, deixando dúvidas sobre sua carreira e sua própria capacidade — o que faz com que você fique insatisfeito e cogite uma mudança drástica em relação à área de atuação profissional.

Nesses casos, a mudança pode até mesmo agravar o problema, tendo em vista que afetará a sua rotina e poderá ter impactos na sua situação financeira, piorando, assim, o seu estado emocional.

Contudo, a vontade de mudar de carreira pode ser realmente motivada por insatisfação e por problemas diretamente relacionados ao segmento de atuação da empresa em que você trabalha e/ou à função que você exerce.

Isso pode acontecer por diversos motivos — rotinas estressantes, burocracias excessivas e funções que não condizem com os seus propósitos são alguns exemplos de razões que desgastam a motivação dos profissionais.

Você deve se perguntar por que escolheu essa carreira e o que faz com que queira abandoná-la. Busque responder a perguntas como: a escolha dessa profissão levou em conta as suas afinidades e habilidades? Você precisou ingressar no mercado de trabalho cedo demais e não teve tempo ou oportunidade de fazer a graduação desejada?

É fundamental analisar, cuidadosamente, quais são as causas da insatisfação com o trabalho e o que gerou a vontade de mudar de carreira para tomar uma decisão consciente e evitar arrependimentos.

1.2. Busque auxílio profissional

Tendo em vista que a compreensão dessa fase da vida pode ser complicada, é recomendável contar com apoio profissional para identificar os motivos da sua insatisfação.

O auxílio nesse momento é fundamental, pois, como mencionamos, a insatisfação pode não estar ligada à carreira, mas a alguns pontos específicos da atuação profissional em determinada empresa — ou, ainda, a alguns problemas pessoais.

Você pode contar com um psicólogo ou com um coach. Esse profissional trabalhará os aspectos relacionados à sua carreira e à sua vida pessoal para ajudar você a compreender melhor a situação.

Afinal, um olhar “de fora” da situação sempre ajuda a identificar situações que você não enxerga, facilitando o entendimento sobre as causas e as soluções. O objetivo disso tudo é encontrar formas de trabalhar na melhora dos aspectos que estão incomodando e, se necessário, encontrar maneiras e traçar estratégias para escolher um novo caminho.

2. Como planejar-se para mudar de carreira?

Após ter a certeza de que a mudança de carreira é o caminho correto para você, é fundamental planejar cuidadosamente essa transição. É preciso considerar o tempo disponível e as condições financeiras para descobrir a melhor forma de se preparar para atuar em uma nova área.

É preciso ter muito cuidado para não agir por impulsos e de cabeça quente. Lembre-se: nunca é uma boa ideia tomar decisões baseadas em situações isoladas, dificuldades pessoais, modismos ou promessas de rápida melhora financeira.

Mudar de carreira é um passo sério e significa reiniciar a luta pelo crescimento e reconhecimento profissional. Nesse sentido, decisões impensadas podem gerar mais frustrações e dificuldades. Você não quer errar novamente, certo?

Contudo, se você tiver certeza de que precisa mudar, lute por isso e não tenha medo de perseguir os seus sonhos. Muitas pessoas desistem de mudar os rumos profissionais por não ter certeza em relação aos próprios objetivos, por ter medo de mudança ou até mesmo por achar que já passaram da idade para buscar algo novo.

Todos esses aspectos podem — e devem — ser trabalhados. Realizando um bom planejamento, a mudança de carreira pode ser realizada com segurança e responsabilidade — assim ela certamente trará satisfação pessoal e melhorias na sua vida profissional.

Para isso é recomendável que você siga diversas etapas. A seguir daremos algumas dicas para facilitar essa mudança. Acompanhe!

 

perfil-empreendedor

 

2.1. Identifique suas necessidades

Tenha sempre em mente que mudar de carreira afetará todos os aspectos da sua vida. Por isso, é muito importante ter autoconhecimento e saber quais são as suas necessidades, o que você busca com a nova carreira, o que você espera, o que é preciso para que você desfrute do padrão de vida pretendido e vários outros detalhes.

Também é necessário saber o que será preciso fazer para adotar uma nova carreira: você precisará fazer outra graduação? Uma especialização ou outros cursos técnicos podem servir? Qual será o investimento necessário? Tudo isso influenciará os próximos passos que devem ser tomados.

Enfim, é preciso pensar com calma em tudo o que você precisa para viver bem e realizado — e ponderar se a mudança de área de atuação poderá te proporcionar isso. Em caso positivo, comece a pensar no que é necessário para colocar essa mudança em prática.

2.2. Descubra suas habilidades

Se você não está feliz na sua profissão mas não tem certeza de onde quer atuar, é preciso descobrir algumas coisas sobre você: quais são as suas habilidades, quais são as suas afinidades, em que tipo de trabalho você se sai melhor? Você pode fazer isso por meio de testes vocacionais — preferencialmente aplicados por um profissional capacitado.

Atuar em uma área que favoreça ou necessite das suas habilidades tornam o trabalho mais prazeroso e recompensador — o que leva a uma carreira de sucesso. Por isso, é importante saber em quais áreas e com quais tipos de trabalho você se dá bem. Assim é possível visualizar de forma clara as alternativas e possibilidades de mudança.

2.3. Estabeleça seus objetivos e metas

Objetivos e metas são essenciais na vida — é preciso criar um plano que estabeleça objetivos e prazos para realizar essa transição. Isso é importante para que você mantenha o foco e não desista diante de dificuldades.

Defina os passos necessários para essa mudança e elenque as etapas que você deverá concluir. Na hora de definir metas e prazos, seja realista. Estude as possibilidades com calma, pois não adianta nada criar objetivos que exigem demais ou que não permitem erros — isso só gerará mais frustração.

Sempre que possível, quebre os objetivos grandes em vários objetivos menores e de curto prazo. Ao alcançar pequenas metas, você criará ânimo para continuar investindo nessa mudança e verá que é capaz de realizar tudo o que quiser.

2.4. Faça um planejamento financeiro

Para fazer a transição de carreiras é importante fazer um planejamento financeiro para o período. Afinal, toda mudança exige investimento — seja em cursos, graduações ou especializações, seja na abertura de um novo negócio. Além disso, no início da carreira os rendimentos costumam ser mais baixos.

Uma boa ideia é conciliar uma nova carreira com a antiga até que você consiga alguma estabilidade — contudo, nem sempre isso é possível. Às vezes, mesmo que no início essa conciliação seja possível, com o tempo a rotina pode ficar muito pesada e prejudicar o seu rendimento nas duas atividades.

Assim, é preciso fazer uma escolha — e com um bom planejamento financeiro é possível manter os planos de mudar de carreira sem passar por dificuldades financeiras. Desse modo, é fundamental planejar os gastos e criar uma reserva financeira para conseguir passar por essa fase da forma mais estável possível.

2.5. Prepare-se emocionalmente para a mudança

A mudança de carreira também exige um período de adaptação — por isso, estar preparado emocionalmente é essencial para que você não se frustre. É normal que o início traga algumas dúvidas, dificuldades e desafios — nesse sentido, um bom planejamento é essencial para que você não desanime e desista diante de tais problemas.

Converse com sua família e pessoas mais próximas: essa fase de transição poderá afetá-las. Explique detalhadamente a situação e todos estarão prontos para apoiar as suas decisões.

Todas essas dicas são essenciais para fazer uma transição tranquila de carreiras. Contudo, existe um fator essencial para o sucesso dessa mudança: saber qual carreira seguir e ter segurança sobre essa decisão. Confira o próximo tópico e veja o que você deve fazer.

3. Como encontrar a carreira certa?

Conforme já explicamos, para encontrar a carreira certa é preciso descobrir quais são as suas afinidades. Não se limite ou tenha medo do tempo: mesmo que a nova carreira não pareça ter qualquer ligação com a sua área de atuação, é importante lembrar que conhecimento nunca é demais.

Algumas rotinas e questões relacionadas à antiga profissão podem ajudar você a crescer e se destacar no novo segmento. Novamente, o apoio profissional também é válido: por meio de testes psicológicos e de aptidões um psicólogo poderá indicar áreas que se encaixem às suas preferências e ao seu estilo comportamental.

Essa ajuda profissional ajudará você a identificar quais atividades podem ser mais prazerosas, aliando, assim, rentabilidade e satisfação. Depois de definir essas questões é importante analisar alguns fatores relacionados às profissões pelas quais você nutre interesse.

Veja mais a seguir:

3.1. Desafios da área

O primeiro passo é saber quais serão os desafios da área de atuação escolhida — ou daquelas que você tem afinidade — para entender se você está disposto a passar por todas as etapas e dificuldades do início de uma nova carreira.

Toda carreira terá desafios e obstáculos, isso faz parte do mercado de trabalho e de todas as profissões. Porém, em alguns casos os sacrifícios necessários não valem a pena. Por isso, os desafios e obstáculos que deverão ser enfrentados devem ser ponderados para que não sejam motivos de novas insatisfações no futuro.

3.2. Prós e contras da profissão

Para mudar de carreira é fundamental saber o que você está procurando e com o que deseja atuar. Caso você esteja dividido entre várias opções, faça uma lista de prós e contras de cada profissão.

Liste as coisas que você considera vantagens e atrativos e as que você considera dificuldades e desvantagens. Dessa forma você conseguirá avaliar melhor as opções e riscar algumas delas da lista.

Outro fator essencial é ter uma lista com as suas habilidades e necessidades — lembre-se da importância do autoconhecimento para o planejamento da sua mudança de carreira. Assim, diante de mais de uma oportunidade, você pode buscar a que mais se encaixa nas suas expectativas.

Afinal, tendo em vista que a mudança de carreira costuma ser impulsionada pela insatisfação, é fundamental buscar a que mais tem a ver com os seus ideais e propósitos de vida.

3.3. Limitações da carreira

Também é importante saber as limitações de cada carreira. Busque saber, por exemplo, quais são as suas chances de crescimento, quais são os sacrifícios envolvidos, se essa carreira trará alguma limitação em relação ao seu modo de vida atual e como será o impacto dessa escolha na sua família.

Tendo consciência das limitações você evita criar expectativas e gerar novas frustrações graças aos obstáculos existentes. Por isso, ao se identificar com uma carreira é importante buscar estudar e entender todas as suas características e limitações antes de investir dinheiro e esforços em prol dela.

3.4. Mercado de trabalho

Conhecer e entender o mercado de trabalho é fundamental — afinal, é preciso ter consciência das possibilidades reais da nova carreira e saber em que território você está pisando.

Para isso, é necessário conhecer o público e saber como funciona o mercado na sua região para ver se é viável investir na nova carreira — seja para buscar uma recolocação no mercado de trabalho, seja para empreender e buscar seus próprios clientes.

Você deve investir em um trabalho de pesquisa para entender as necessidades do mercado de trabalho, o que está em alta, quais setores são mais promissores, quais são as funções mais requisitadas ou quais serviços e produtos são mais buscados. Enfim, é preciso fazer uma análise completa para ter certeza da viabilidade da mudança.

Isso é essencial, pois, ao buscar uma mudança de carreira, busca-se também a satisfação pessoal e a estabilidade financeira. Por isso, ao passar por essa mudança, é preciso ter muito cuidado para fazer uma escolha consciente, que dê reais possibilidades de crescimento e satisfação.

3.5. Converse com outras pessoas

Para conhecer melhor a carreira que você deseja trilhar o ideal é conversar com outros profissionais que atuam na área. Você também pode procurar outras pessoas que tenham passado por uma situação parecida para saber como foi feita a escolha e como se deu esse processo.

Também é importante ter uma boa rede de contatos, pois relacionamentos profissionais podem ajudar tanto na busca por um novo emprego na sua nova carreira quanto na captação de clientes para um negócio novo.

Uma coisa é saber como é a carreira na teoria, outra é verificar a experiência de outras pessoas, como elas se sentem e como determinada carreira realmente é na prática — isso pode garantir que você não se iluda com o novo trabalho.

3.6. Tenha certeza do que quer

Tendo em vista os impactos dessa decisão, ter certeza é fundamental. Quando você decide mudar de carreira, logo isso quer dizer que, em outro momento, você não fez a melhor escolha. Nessa situação, você também já teve de lidar com o início de carreira e as lutas diárias para buscar o crescimento profissional.

Desse modo, você deve estar certo em relação ao novo rumo escolhido para que possa enfrentar, sem hesitar, todos os passos necessários até conseguir estabilidade e sucesso no caminho que você decidiu percorrer.

Por isso, a análise de todas as questões relacionadas a essa mudança é essencial para garantir a melhor decisão. Assim, o recomendado é que você só coloque os seus planos em prática depois que tiver certeza do que você quer fazer — e de como fazer.

3.7. Busque as ferramentas necessárias e coloque a mudança em prática

Finalmente, após ter tomado todas as decisões, definido metas, traçado objetivos, estipulado prazos e escolhido qual carreira seguir, agora é a hora de colocar a mudança em prática. Nesse momento é preciso buscar as ferramentas necessárias para atingir os objetivos traçados.

Considere: matricular-se em um curso para expandir seus conhecimentos e melhorar o currículo, cursar uma graduação para se adequar à nova área, fazer uma especialização ou cursos de extensão que possam dar uma base para a nova carreira, criar uma rede de contatos para facilitar a recolocação e o reconhecimento profissional.

Caso você queira criar um negócio próprio, alguns cursos voltados para administração e outros aspectos específicos do empreendedorismo podem ser uma excelente ideia. Você também pode buscar parceiros e sócios para criar uma empresa e investir em um novo segmento.

Também é possível investir em franquias que atendam às suas expectativas. Elas consistem em negócios estruturados, com processos organizados, e permitem ao franqueado a abertura de um novo negócio por meio de um investimento inicial e do pagamento de uma licença para o uso da marca.

Por carregar nomes fortes e já consolidados entre o público, as franquias oferecem um  — fatores excelentes para quem busca uma nova carreira.

Enfim, tudo dependerá da escolha feita — novamente, o planejamento é essencial. Estruture um plano e revise-o sempre que necessário para verificar os objetivos, as metas e seus andamentos — talvez seja preciso adaptá-los periodicamente à realidade vivenciada.

Mudar de carreira é uma decisão importante e vai refletir em todos os aspectos da sua vida. Com essas dicas em mente será bem mais fácil planejar essa mudança, escolher uma nova área de atuação, colocar os seus planos em prática e realizar os seus sonhos.

Pronto! Agora você já sabe quais são os principais pontos a avaliar na mudança de carreira e como escolher uma nova área profissional. Se você gostou deste texto, curta a nossa página no Facebook e acompanhe as nossas atualizações!