transformamos a vida de milhares de jovens através da educação.

Everton Sabú
Fundador

Junte-se a Nós nesta missão!

Conheça as 5 principais feiras de franquias e eventos!

O sistema de franquias de uma empresa é uma prática comum no Brasil e de aumento gradual a cada dia. Essa modalidade de investimento é bem aceita no mercado e ajuda a expandir a marca entre o público.

Mesmo na crise pela qual o país passa, o setor de franquias não parece sofrer muito. Pelo contrário, esse segmento cresce e se inova sempre mais.

Pensando nisso, que tal visitar uma feira de franquias? Se você é empresário, quer transformar seu empreendimento em um negócio promissor ou pretende abrir um, deve começar a se planejar para isso o quanto antes.

Esses eventos são organizados todos os anos com o intuito de apresentar as melhores oportunidades aos investidores, além de ajudarem a entender essas operações e apresentarem técnicas aprimoradas de gestão. Quer saber mais? Acompanhe a leitura!

Quais são as principais feiras de franquias do país?

Neste artigo, vamos apresentar as cinco principais feiras de franquias que acontecem pelo país.

1. ABF (ABF Franchising Expo)

A ABF Franchising Expo é considerada a maior e mais completa feira de franquias do ramo dos negócios, na América Latina. Só no ano passado o evento reuniu mais de 400 marcas.

Ela é uma grande oportunidade para os empresários que querem saber mais sobre os detalhes dessa modalidade e como funcionam as operações de uma empresa franqueada em diversos segmentos, como o alimentício, de educação, informática, beleza, comércio, dentre outros.

A sua programação inclui congressos e debates com os profissionais do setor, desde pequenos empreendedores até fornecedores de grandes multinacionais. O evento acontece no Expo Center Norte, em São Paulo, todos os anos.

2. Expo Franchising ABF Rio

A Expo Franchising ABF Rio é uma das maiores feiras de todo o mundo e acontece na cidade do Rio de Janeiro, mais precisamente no Riocentro. Ela realiza a interação entre investidores e a apresentação de simpósios sobre serviços e marcas, de diversos setores, que querem se tornar franquias.

3. ABF Franchising Expo Nordeste

A ABF Franchising Expo Nordeste é um acontecimento mais regional e leva em consideração a situação econômica daquela localidade. Ela ocorre na cidade de Recife, mais especificamente no Centro de Convenções de Pernambuco. O evento é patrocinado pela Associação Brasileira de Franchising. O seu objetivo é oferecer possibilidades de negócios inovadoras para os empresários e também maiores chances de abertura de novas franquias, a fim de promover suas marcas.

4. Franchising Fair Sudeste

A Franchising Fair Sudeste é sediada na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Ela tem como objetivo trazer todas as novidades do setor de franquias aos empresários de todos os ramos da economia, como alimentação, moda, serviços, vestuários, entre outros. O evento apresenta palestras e orientações específicas de como abrir um negócio de sucesso.

5. Brasil Expo Franquias

A Brasil Expo Franquias é outro exemplo de grande evento conceituado no mundo das franquias. A feira acontece na cidade de Blumenau, em Santa Catarina, geralmente no Shopping Park Europeu.

Ela é o lugar perfeito para conhecer mais sobre o mercado de franchising e as melhores alternativas de investimento. Quem mora no Estado, não deve deixar de participar.

Como aproveitar melhor uma feira de franquias?

Vamos passar algumas dicas para você tirar o máximo de proveito quando for visitar essas feiras e os eventos dentro delas.

Visite com disponibilidade de tempo

Esteja certo de que tem tempo suficiente para conhecer tudo aquilo que deseja. Normalmente, essas feiras oferecem várias interações com os visitantes e você pode levar mais tempo do que havia planejado.

Existem diversas opções de empreendimentos, e você terá a oportunidade única de conhecer melhor o assunto e de conversar com os profissionais do ramo.

Por isso, visite sem pressa. Se puder, reserve o dia inteiro apenas para se dedicar a esse evento.

Vá além dos stands

Esses locais oferecem cursos, alguns gratuitos, de imersão no universo das franquias, com o objetivo de que os visitantes conheçam a fundo sobre essa modalidade e possam investir sem medo.

Por isso, vá além do tradicional oferecido nos stands. Participe, interaja de verdade. Essa atitude é uma ótima chance para esclarecer todas as dúvidas com os especialistas no assunto e vivenciar novas experiências. Quem sabe não surge uma ótima ideia na sua cabeça?

Olhe todos os segmentos

Mesmo que você já seja um empresário e tenha interesse em somente uma determinada área, por que não visitar os demais stands?

Essa é uma ótima ideia, pois você pode conhecer como funcionam os mecanismos dos outros ramos de negócio. Pode até mesmo surgir um interesse em uma marca nova que vai fazer sucesso na sua região com os seus clientes. Por isso, esteja aberto às novidades e não tenha preconceitos. Não fique apenas no seu nicho e vá conhecer tudo.

Pergunte sempre que tiver dúvidas

Essa dica é um pouco óbvia, mas por incrível que pareça, muitos visitantes e até empresários deixam de anotar as suas dúvidas antes ou ficam com vergonha de perguntar sobre aquilo que não sabem.

Deixe isso de lado! Todos que foram visitar o evento querem saber mais e pode ser que tenham a mesma dúvida que você.

Por isso, faça perguntas sobre tudo que achar importante. Saiba como funciona o lado financeiro de determinada marca, as ações de marketing digital, logística, suporte de clientes etc.

Converse com empresários franqueados

Aqui vale aquele conselho: ouça a voz da experiência. Ninguém melhor do que um franqueado para passar conselhos e contar a experiência que ele teve com o negócio. Ele é o empreendedor que conhece todos os trâmites das operações e tem conhecimento do cotidiano da franquia.

Além de dar motivação, a transparência do empresário pode ser fundamental na sua decisão. Assim, conversar com alguém experiente no ramo pode fazer toda a diferença para investir em um negócio promissor e evitar perigos inerentes em qualquer atividade, que poderiam levar ao fracasso e até mesmo à falência.

Não feche negócios na feira

Evite contratar negócios assim de cara. Vá para casa e pense sobre o assunto. Avalie a proposta e pense melhor sobre as oportunidades e os riscos do empreendimento. Veja se tem condições financeiras de arcar com as despesas, se terá um bom retorno de lucro, se a marca é bem aceita na sua região, por exemplo.

Muitas pessoas, no calor da emoção, fecham um contrato e acabam se dando mal depois, com surpresas inesperadas e prejuízos financeiros. Por isso, tome conta do seu dinheiro.

Quando se trata de negócios, conquistar conhecimento nunca é demais. Essa afirmação é ainda mais útil quando falamos de feira de franquias. Afinal, esses eventos são ótimas oportunidades de conhecer tudo o que envolve essa atividade e de tirar todas as suas dúvidas, ficando livre de preocupações. Por isso, não perca essa chance, anote já na sua agenda e aproveite!

Ficou interessado em visitar alguma feira de franquias? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais! Quem sabe algum amigo seu também esteja interessando em conhecer algum desses eventos e você ganhe uma companhia?

Saiba os principais pontos que a lei de franquias aborda!

Para ter uma empresa de sucesso é fundamental estar atento e em dia com todas as obrigações legais. No segmento de franchising, a lei de franquias é responsável por determinar as diretrizes desse tipo de negócio.

Se estiver pensando em se tornar um franqueado, este artigo foi feito para você!

Nele, vamos explicar em detalhes os pontos abordados por essa lei e porque é importante segui-la à risca. Acompanhe!

Diferenças entre franquia e licença de uso

Antes de falar sobre a lei de franquias, é importante esclarecer uma dúvida recorrente.

Apesar de muito parecidos, os conceitos de franquia e licença de uso possuem diferenças relevantes e, sendo assim, vamos começar entendendo cada conceito para em seguida entender suas diferenças. Confira.

Conceito de franquia

A franquia empresarial é um acordo, garantido por contrato, em que o dono de uma franquia cede ao franqueado o direito de:

  • usar uma marca ou patente;
  • distribuir de forma exclusiva ou semiexclusiva produtos ou serviços;
  • usufruir de tecnologia de implantação e administração de negócio ou de sistemas de operação desenvolvidos ou detidos pelo franqueador.

Por todos esses direitos, o franqueado deve remunerar o franqueador de forma direta ou indireta. Entretanto, não deve ficar caracterizado vínculo empregatício.

Conceito de licença de uso

O direito de uso de uma marca é um contrato mais simples. Ele permite que uma empresa faça o uso de uma marca de outra empresa em seus produtos ou serviços em troca de um pagamento. Ou seja, o licenciamento de uma marca prevê apenas o uso da marca.

Principais diferenças

A diferença mais importante entre esses dois tipos de contrato está em sua natureza. Enquanto a licença de uso visa ceder apenas um direito limitado, a franquia é mais completa e abrangente.

Outro ponto importante que diverge entre as duas situações é que o contrato de licença de uso precisa ser registrado junto ao INPI, o que envolve certa burocracia. Já no caso das franquias, basta que seja assinado por duas testemunhas.

Ou seja, a franquia proporciona mais benefícios e menos complicações. Inclusive, vale ressaltar que a lei de franquias não é aplicável às licenças de uso.

Lei de franquias e suas diretrizes

Lei 8.955/94 foi criada com base nas leis norte-americanas. Portanto, ela abrange apenas as questões mais básicas e genéricas a respeito da relação entre as partes. Porém, essas são diretrizes muito importantes.

Vamos ver o que ela diz com relação aos principais pontos. Acompanhe!

Contrato

A Lei 8.955/94 determina, em seu artigo primeiro, que todos os contratos de franquia são regidos por ela. Além disso, no artigo sexto ela afirma a necessidade da assinatura de duas testemunhas, bem como a dispensa do registro em cartório para sua validade.

COF

A Circular de Oferta de Franquia (COF) é o ponto mais importante abordado pela lei. Trata-se de uma espécie de pré-contrato, que deve ser entregue ao franqueado antes da assinatura do contrato final.

De acordo com a lei, nesse contrato devem constar todas as informações essenciais do acordo. Acompanhe, a seguir, as principais informações exigidas na COF.

Franqueadora

Sobre a franqueadora, devem constar seu histórico e quadro societário. Além disso, devem ser informadas as empresas coligadas e seus respectivos nomes fantasia, além dos endereços.

Outro ponto importante é apresentar os balanços financeiros e possíveis pendências judiciais. Ou seja, tudo que pode interferir na decisão de adesão do franqueado.

Modelo de franquia

A COF deve descrever o funcionamento do negócio, trazendo informações sobre o perfil esperado do franqueado, bem como a indicação do que é oferecido pelo franqueador, como treinamentos, suporte, processos e manuais.

Inclusive, o documento deve informar as obrigações relativas a aquisições de bens e produtos e lista de fornecedores do modelo de franquia.

Valores envolvidos

Nesse quesito devem ser estabelecidos dois pontos:

  • valores referentes a investimentos iniciais com taxa de franquia, instalações e estoque;
  • valores mensais, referentes aos royalties e demais taxas recorrentes.

Rede de franqueados

O franqueador também é obrigado pela lei a entregar informações sobre a rede de franqueados e ex-franqueados dos últimos doze meses. Além disso, ele deve apresentar as providências em caso de dissolução do contrato e tratar das cláusulas de confidencialidade do negócio.

Processo de formalização

O processo de formalização é bastante simples. Conforme mencionado, basta a assinatura das partes — franqueador e franqueado — e de duas testemunhas para garantir a validade do acordo. Entretanto, a COF deve ter sido entregue ao pretendente a franqueado com antecedência mínima de 10 dias.

Importância do cumprimento da lei

O cumprimento de qualquer lei é um fator muito importante para as empresas. Afinal, isso evita problemas de diversas naturezas. Com relação à lei de franquias, vamos apresentar as vantagens a partir de três pontos de vista diferentes. Confira.

Para o franqueador

O principal benefício percebido pelo franqueador está na garantia da titularidade do negócio. Sendo assim, ao seguir todas as obrigações legais, ele tem seu patrimônio — principalmente intelectual, a respeito do modelo de negócio criado — resguardado.

Para o franqueado

Já do ponto de vista do franqueado, a lei proporciona mais segurança e confiabilidade ao negócio. Todas as informações exigidas na COF servem para ajudá-lo na verificação da idoneidade da franquia.

Além disso, a circular traz dados que auxiliam na identificação das obrigações e pré-requisitos para se tornar um franqueado. Assim, é possível averiguar se há o cumprimento desses requisitos antes de buscar montar uma unidade.

Para o cliente

O cumprimento da lei de franquias também promove benefícios para os clientes finais. Um dos pontos mais importantes para o sucesso de uma franquia se dá pela padronização do serviço ou produto oferecido. Portanto, é desenvolvida uma expectativa específica na mente do cliente.

Isso significa que as pessoas já conhecem o negócio e já se afeiçoaram por ele, o que ajuda as novas unidades a faturar logo no início. Nesse sentido, o que garante que todas as unidades sigam uma mesma linha é justamente o cumprimento dos pontos descritos na COF.

Portanto, fica clara a importância da lei da franquia para o setor: ela garante vantagens para todos os envolvidos, principalmente para franqueador e franqueado. Além disso, a lei deixa todos os principais detalhes — que não podem deixar de ser considerados — esclarecidos antes mesmo da assinatura do contrato final.

Gostou deste artigo? Que tal receber nossos novos conteúdos em seu e-mail? Assine nossa newsletter e fique atualizado sobre o universo das franquias.

Motivação para empreender: como contagiar sua equipe?

Se você é um empreendedor apaixonado, mas não consegue contagiar sua equipe, saiba que existe solução para isso. A motivação para empreender dentro de você pode refletir na sua equipe resultando assim em maior performance de resultados da empresa. Todavia, toda essa energia deve ser repassada por meio de algumas técnicas.

As dicas a seguir vão te ajudar no processo de engajar seu time. E como “o segredo de um grande sucesso está no trabalho de uma grande equipe”, não deixe conferir de este post até o fim!

A importância da motivação

Uma pesquisa divulgada na InfoMoney diz que 33% das empresas iniciadas no Brasil fecham, em média, após dois anos de terem iniciado suas atividades. Entre inúmeros fatores relevantes e que determinam a prosperidade ou a morte de um negócio, a paixão pelo negócio se destaca como uma das mais importantes para manter a empresa no mercado.

Isso acontece porque seus criadores mantêm firme e intacto o objetivo e foco de fazer a empresa sobreviver e crescer independentemente da situação naqueles momentos de real dificuldade.

Invariavelmente todas as empresas enfrentam desafios diários, porém, seus líderes, nesses momentos difíceis, caso estejam motivados, têm a tendência de encarar as circunstâncias sob um ponto de vista diferente, fazendo e provendo o que for necessário para que o negócio atravesse a crise de cabeça erguida.

Além do compromisso, esse líder também deve transmitir segurança e envolver sua equipe, uma tarefa que pode ser facilitada com as dicas a seguir.

Motivação em cadeia

Se você não é o único líder de sua empresa e pode contar com outras pessoas para esse papel — incluindo sócios que te ajudam nessa missão —, pode parecer óbvio, mas é importante começar envolvendo quem tem a capacidade de repassar e, até mesmo, amplificar essa energia.

Isso porque líderes também se desmotivam e podem repassar esse sentimento para os subordinados. Sendo assim, comece observando sinais de desmotivação, reclamações constantes, dificuldades de organização ou qualquer outro padrão de comportamento que indique descontentamento com a empresa.

Procure entender os motivos desse desvio de padrão que indica descontentamento e tire um tempo para ouvir. Depois disso, vale também algumas iniciativas da sua parte.

  • Convide esse líder para reuniões externas e envolva-o em outras tarefas como forma de ampliar seu campo de visão no que tange as atividades da empresa;
  • bonifique quando alcançar resultados;
  • deixe claro os objetivos da empresa para com esse líder;
  • mostre as oportunidades existentes na empresa esperando por essa pessoa.

Estimule habilidades naturais

Aprimorar pontos e habilidades naturais é mais rápido e barato que investir nas aptidões que o indivíduo precisa desenvolver e fará com muita dificuldade. Sendo assim, possibilite que as pessoas aprimorem e exibam essas qualificações inatas, uma vez que, dessa forma, além de conseguir que o colaborador se destaque e se motive cada vez mais, o retorno para a empresa em performance será acelerado.

Deixe claro a função de cada um

Isso é muito importante para que o funcionário entenda como está contribuindo para a empresa. Dessa forma, ele terá direção para as áreas que deve se aplicar, desenvolver, motivar e, então, trazer retorno para a empresa. Isso é importante também, porque ele saberá como crescer e buscar novas posições no empreendimento.

Pense no futuro de todos

Planeje os encargos para que todos saibam que estão contribuindo para a estabilidade pessoal na velhice, o que dá conforto e segurança para os colaboradores da equipe.

Dê treinamentos

Qualifique sua equipe por meio de treinamentos constantes. Isso é importante, pois além de não precisar contratar novos colaboradores, você motiva esse profissional, fazendo com que ele saiba que está se desenvolvendo gradualmente.

Para isso, vale pagar cursos coletivos e internos, criar uma universidade interna colaborativa e, até mesmo, realizar reuniões e fazer um bate-papo de compartilhamento de conhecimento entre equipe.

Seja direto no feedback

Feedback com transparência não deixa margem pra erros e desentendimentos. Sendo assim, diga o que precisa ser dito com firmeza e clareza. Ao sentir o que, de fato, você pensa sobre o colaborador, o indivíduo saberá que está fazendo um bom trabalho e se sentirá mais seguro e reconhecido.

Estabeleça metas

Se o colaborador não souber suas metas, ele não saberá o que você espera dele. Sendo assim, defina-as e o ajude a cumpri-las.

Isso porque, além da possibilidade de um colaborador não suprir suas expectativas ou não saber disso, ele também poder ir além, fazendo mais do que a saúde permite e ainda pensar que não está realizando um bom trabalho. Dessa forma, as metas servirão como um indicador do que se espera daquele indivíduo.

Estimule a criatividade

A criatividade é a liberdade de expressão de um indivíduo enquanto profissional que, quando encorajado, entende que seus conhecimentos e propostas de melhorias são respeitados.

Pode parecer difícil de entender, mas o respeito é um dos sentimentos mais fortes e importantes que um colaborador pode sentir. Sendo assim, o reconhecimento de sua criatividade enquanto profissional e integrante de um time também são motivadores importantes.

Motivação para empreender

Além das dicas acima, a burocracia em excesso pode desmotivar. Estabelecer processos bem definidos é diferente de criar regras sem sentido e/ou com o objetivo de estabelecer hierarquia apenas. Sendo assim, se livre de processos desnecessários e regras que não têm o objetivo de contribuir e melhorar sua empresa.

Se não puder contratar um profissional para desenhar corretamente seus processos, procure entender melhor sobre essa área importantíssima para sua organização. Uma empresa sem processos claros e bem definidos, além de fazer com que se perca tempo e dinheiro, impactam (e muito!) na performance da sua empresa como um todo.

Clientes não são atendidos de forma correta, boletos são pagos em atraso etc. Então, defina processos claros e seu time saberá o que e como fazer — isso trará mais confiança para todos os envolvidos.

Para manter sua motivação para empreender e repassá-la para sua equipe, é preciso se atualizar constantemente em assuntos concernentes à gestão de pessoas. Com o tempo, descobrirá que existem necessidade individuais de seus colaboradores que impactam diretamente no incentivo interno do time como um todo, sejam elas fisiológicas, de segurança, sociais, competência, autonomia, independência, autocontrole, entre outras.

Quer saber mais como  promover engajamento na sua equipe e dessa forma conseguir maior performance do seu time? Então confira algumas histórias inspiradoras de empreendedorismo e comece motivando a si mesmo!

Jumper Cursos inaugura primeira unidade em Campinas

Rede de ensino profissionalizante expande atuação em São Paulo

No próximo dia 18 de julho, a Jumper Cursos, rede do ramo educacional que atua no Brasil há 15 anos, inaugura sua nova unidade no Estado de São Paulo e a primeira em Campinas.

A nova unidade fica no centro da cidade, na Av Anchieta, 327. E para atrair à atenção do seu público-alvo, adolescentes entre 12 e 17 anos, a escola vai promover um encontro entre bloggers da região, com um coquetel especial e sessão de fotos.  Estão confirmados para a inauguração os digitais influencers: Emilly Letícia, Keity Godoy, Nanda Waibel e Rodrigo Dias (do blog Papo do Roh).

Com mais de 150 escolas em todo Brasil, a Jumper oferece metodologia de ensino própria e pioneira, que permite ao aluno aprendizado de alto nível, em curto espaço de tempo, preparando-o para o mercado de trabalho. A nova unidade investe no curso que é um dos mais procurados em todo Brasil, o Formatec, onde o aluno aprende três cursos em um (administração, inglês e informática), saindo preparado para o mercado profissional.

Abra-seu-próprio-negócio
Seja, você também um franqueado JUMPER!

“Nossa metodologia é composta de dois pilares fundamentais, o método rotativo e o método prático de ensino. No sistema rotativo o aluno pode ingressar no curso a qualquer momento, independente do tempo de andamento da turma. Sendo assim, pode iniciar na mesma semana em que fez a matrícula, sem a necessidade de aguardar nova classe. Este processo não traz prejuízo algum para o aluno, tendo em vista que ele não perde aula, pois acompanha as lições que são independentes e práticas. E com o método prático de ensino, o aluno desenvolve suas habilidades sobre o tema proposto a partir da explicação do professor, transformando a teoria em prática por meio dos exemplos aplicados em sala de aula.  Além dos cursos profissionalizantes presenciais, oferecemos uma diversidade de cursos também à distância. Essa modalidade possibilita ao aluno maior flexibilidade de horários, adequando os estudos à sua rotina”, explica Everton Sabú, presidente da rede de escolas.

Ao longo de sua trajetória, a Jumper já formou mais de meio milhão de alunos, e é conhecida pela diversidade de cursos oferecidos. São mais de 500, em sete diferentes áreas de conhecimento: saúde, tecnologia, indústria, administração e negócios, preparatório, idiomas e beleza.

Serviço:

Inauguração Unidade Campinas

Dia 18 de Julho de 2018

Local: Av. Anchieta, 327 – Centro – Campinas  – SP

 

 

Como garantir que o time da sua franquia adquira e transmita os valores da empresa?

Encontrar a sua essência para se diferenciar no mercado. Hoje, muito mais do que bons produtos e serviços, é preciso oferecer aos clientes uma experiência marcante, o que só é possível quando os colaboradores possuem crenças fortes, regidas por valores éticos e morais bem definidos. Sim, estamos falando da cultura da empresa, que ajuda na construção da personalidade da sua marca.

É por meio dela que a equipe da sua franquia consegue transmitir os valores da organização não só ao público interno, mas também ao externo. Confira, nos tópicos a seguir, como garantir a eficácia da implementação dessa estratégia!

O que é cultura da empresa?

Missão, visão e valores formam a cultura da empresa. Ela é um conjunto de hábitos e valores compartilhados e que ajudam na construção da essência da organização e a estabelecer regras a serem seguidas para que os objetivos corporativos sejam alcançados.

Todos os envolvidos em uma empresa, desde os estagiários até diretores, precisam realizar o seu trabalho de acordo com esse código cultural. Afinal, a ideia é promover o crescimento do negócio.

Resumidamente, podemos definir que a cultura é o DNA e dita as condutas dos profissionais atuantes, influenciando as equipes de trabalho para que elas fluam na mesma direção. E é justamente esse DNA que identificará o negócio em cada ação que ele tomar, tornando a definição desse código algo primordial para quem almeja se destacar no mercado.

Qual a importância da cultura organizacional?

A cultura organizacional é fundamental, pois ajuda na construção do posicionamento da empresa no mercado. Mas não é só isso. A partir do momento em que essa cultura se torna forte e é consolidada, é possível alinhar os colaboradores aos objetivos preestabelecidos, criando sentimento de pertencimento na equipe.

Consequentemente, a empresa conquista maior engajamento dos profissionais, eleva os níveis de produtividade e de inovação, além de manter os talentos. Isso é fundamental para crescer de maneira sustentável e para estabelecer altos níveis de qualidade no fornecimento de seus produtos e/ou serviços para os clientes.

Como defini-la?

Para definir a cultura organizacional da franquia, o primeiro passo é analisar como o trabalho é feito e compará-lo com que é realizado pela matriz. Esse trabalho é essencial, pois quando se tem uma unidade franqueada, alguns padrões já vêm preestabelecidos pela franqueadora e devem ser seguidos para manter a identidade da marca.

Depois, faça uma análise das características da empresa, desde a qualidade, os preços até a maneira como é feito o atendimento ao público. Após esse trabalho, realize uma pesquisa sobre as competências dos colaboradores que atuam no local, levando em consideração as habilidades, mas também o comportamento diante de situações distintas. Isso ajudará a entender o modo de pensar e de agir deles, avaliando se condizem com o que a franquia prega.

Ao analisar as características da empresa e confrontar as informações com o que os colaboradores fazem, você terá em mãos a cultura da franquia. Se ela não estiver alinhada à proposta que tem em mente, é preciso estabelecer um processo de definição dela.

Para isso, é importante ter a missão, a visão e os valores que nortearão os colaboradores e comunicá-los a eles, a fim de disseminar os hábitos e as práticas consideradas positivas para a manutenção da franquia.

Como transmitir os valores da cultura da empresa aos colaboradores?

Como mencionamos, é essencial disseminar a cultura da empresa aos profissionais que atuam nela. Vamos ensinar você a fazer isso.

Use a comunicação

Os comunicados sobre as mudanças na cultura devem ser justificáveis e repassados por meio de uma mensagem consistente aos colaboradores. Se possível, faça uma reunião com toda a equipe, sem formalidades, para expor melhor o assunto.

Além disso, utilize canais como redes sociais internas e até comunicados em murais. Esses materiais precisam ser atrativos para que os funcionários se sintam impelidos a lê-los e, assim, introduzir os hábitos no seu cotidiano.

Eduque pelo exemplo

Os profissionais devem receber coordenadas sobre como devem agir daqui para frente, levando em consideração o crescimento da franquia, bem como os seus valores éticos e morais.

Por isso, os gestores e líderes devem dar o exemplo. Ou seja, eles precisam agir de acordo com a cultura organizacional, a fim de alinhar a equipe para que ela siga pelo mesmo caminho. Educar as pessoas pela conduta ainda é a melhor maneira de transmitir a cultura.

Ofereça treinamento

Treinamentos, reuniões e até o coaching contribuem para o fortalecimento da cultura, tornando-a mais significativa. Aliás, esse processo de desenvolver a equipe é essencial, pois o hábito só será assimilado com o tempo.

Se for preciso recrutar novos profissionais, procure contratar com base na cultura. Ou seja, não foque apenas nas habilidades técnicas do profissional: analise os seus valores enquanto indivíduo e veja se eles estão alinhados com o que a empresa está construindo.

Defina métricas

A cultura organizacional precisa ser vivenciada diariamente pelos profissionais que atuam na franquia. Por isso, estabeleça métricas para medir o desenvolvimento dos colaboradores de acordo com a cultura. Procure oferecer feedbacks, quando necessário, para alinhar melhor a atuação dos profissionais.

Quais os benefícios de ter uma cultura organizacional bem enraizada na equipe da franquia?

Falamos sobre o engajamento que uma cultura organizacional cria nos funcionários de uma franquia. Mas os benefícios vão muito além, como mostraremos a seguir!

Maior produtividade

Quando a equipe toda está alinhada segundo hábitos e práticas a serem seguidos, o aumento da produtividade é uma consequência. O grupo não só passa a produzir mais, como também melhora a qualidade do que é entregue ao cliente.

Aumento da lucratividade

Se a qualidade dos produtos e dos serviços oferecidos ao cliente é maior, consequentemente, a franquia consegue aumentar a sua lucratividade. Mas o faturamento crescente também é oriundo da redução de custos. Isso porque a equipe consegue padronizar processos e diminuir os retrabalhos.

Fortalecimento da imagem da franquia

Uma franquia já consolidada tem uma imagem a zelar. Por isso, ela geralmente tem uma cultura organizacional forte. Se você tem uma unidade franqueadora, precisará seguir algumas regras, mas também poderá estabelecer as suas. Por isso, nesse momento, busque fortalecer a imagem da franquia para criar confiança do mercado no qual está inserido.

Diferentemente de metas e de outros aspectos que envolvem o gerenciamento da empresa, a cultura da empresa tem a sua própria maneira de ser controlada. É por meio de ações e de vivência diária que a cultura é desenvolvida e cultivada em meio às equipes. Quando esse trabalho flui, os funcionários passam a se comportar de maneira alinhada aos valores da franquia, fazendo com que ela colha bons frutos.

E então, gostou do nosso artigo? Que tal continuar recebendo conteúdos como este, diretamente no seu e-mail? Assine a nossa newsletter!

 

Abra o seu próprio negócio