transformamos a vida de milhares de jovens através da educação.

Everton Sabú
Fundador

Junte-se a Nós nesta missão!

Mudar de carreira: saiba como escolher uma nova área profissional

Escolher uma profissão não é tarefa fácil — e não é raro que se perceba isso apenas depois de estar estabelecido em um mercado ou área. Nessas horas, buscar mudar de carreira é uma solução para tentar alcançar a realização profissional, uma transição que, por sua vez, pode trazer muita insegurança.

Se você está passando por um momento como esse, acompanhe este texto e saiba como escolher uma área profissional mais adequada ao seu perfil. Boa leitura!

1. É realmente preciso mudar de área de atuação?

Mudar de carreira é uma decisão que gera consequências. Por isso, é preciso ter cautela e considerar se essa alternativa será a solução para o seu problema. Assim, o primeiro passo diante à insatisfação com a carreira e vontade de mudança deve ser analisar e definir se é realmente necessário trocar a área de atuação.

Alguns fatores podem indicar que você está ansioso por uma mudança na sua vida profissional — como frustração e desânimo constante em relação à sua carreira. Algumas situações, no entanto, podem fazer com que esses sentimentos piorem: estar diante de poucas possibilidades de avanço e crescimento no trabalho é uma delas, por exemplo.

Para definir se mudar de carreira é realmente preciso, existem algumas questões. Confira os próximos tópicos e saiba mais:

1.1. Identifique as causas da vontade de mudar

Como mencionamos, diversos motivos podem estar relacionados com a insatisfação profissional e ter consciência disso é o primeiro passo para o problema de forma eficaz e sem tomar decisões precipitadas (e prejudiciais!).

Assim, coloque-se a pensar: o problema pode estar ligado ao atual emprego e às políticas da empresa — e não à carreira em si. Numa situação dessas, se a questão não for corretamente identificada, a mudança pode não trazer os efeitos desejados, e sim mais frustração.

Talvez você esteja desmotivado por estar em uma empresa que não oferece mais chances de crescimento, que não reconhece os seus esforços ou que não respeita os seus direitos. Nesses casos, o seu problema não é a carreira — e sim onde ela está no momento.

Nesse caso, a solução pode surgir em meio a uma conversa clara com os superiores ou na busca de outro emprego com a mesma função em outra empresa (o que é bem menos impactante do que iniciar uma nova carreira em outra área).

Outro ponto se relaciona com a sua vida pessoal. Você já parou para pensar se os problemas que você atribui ao trabalho têm ligação com outras áreas da sua vida — como problemas financeiros, pessoais e familiares? É preciso ter em mente que eles afetam o seu desempenho e modo de agir. E, portanto, leve-os em consideração.

Caso a situação dure por muito tempo, isso pode afetar a forma como você lida com o trabalho, deixando dúvidas sobre sua carreira e sua própria capacidade — o que faz com que você fique insatisfeito e cogite uma mudança drástica em relação à área de atuação profissional.

Nesses casos, a mudança pode até mesmo agravar o problema, tendo em vista que afetará a sua rotina e poderá ter impactos na sua situação financeira, piorando, assim, o seu estado emocional.

Contudo, a vontade de mudar de carreira pode ser realmente motivada por insatisfação e por problemas diretamente relacionados ao segmento de atuação da empresa em que você trabalha e/ou à função que você exerce.

Isso pode acontecer por diversos motivos — rotinas estressantes, burocracias excessivas e funções que não condizem com os seus propósitos são alguns exemplos de razões que desgastam a motivação dos profissionais.

Você deve se perguntar por que escolheu essa carreira e o que faz com que queira abandoná-la. Busque responder a perguntas como: a escolha dessa profissão levou em conta as suas afinidades e habilidades? Você precisou ingressar no mercado de trabalho cedo demais e não teve tempo ou oportunidade de fazer a graduação desejada?

É fundamental analisar, cuidadosamente, quais são as causas da insatisfação com o trabalho e o que gerou a vontade de mudar de carreira para tomar uma decisão consciente e evitar arrependimentos.

1.2. Busque auxílio profissional

Tendo em vista que a compreensão dessa fase da vida pode ser complicada, é recomendável contar com apoio profissional para identificar os motivos da sua insatisfação.

O auxílio nesse momento é fundamental, pois, como mencionamos, a insatisfação pode não estar ligada à carreira, mas a alguns pontos específicos da atuação profissional em determinada empresa — ou, ainda, a alguns problemas pessoais.

Você pode contar com um psicólogo ou com um coach. Esse profissional trabalhará os aspectos relacionados à sua carreira e à sua vida pessoal para ajudar você a compreender melhor a situação.

Afinal, um olhar “de fora” da situação sempre ajuda a identificar situações que você não enxerga, facilitando o entendimento sobre as causas e as soluções. O objetivo disso tudo é encontrar formas de trabalhar na melhora dos aspectos que estão incomodando e, se necessário, encontrar maneiras e traçar estratégias para escolher um novo caminho.

2. Como planejar-se para mudar de carreira?

Após ter a certeza de que a mudança de carreira é o caminho correto para você, é fundamental planejar cuidadosamente essa transição. É preciso considerar o tempo disponível e as condições financeiras para descobrir a melhor forma de se preparar para atuar em uma nova área.

É preciso ter muito cuidado para não agir por impulsos e de cabeça quente. Lembre-se: nunca é uma boa ideia tomar decisões baseadas em situações isoladas, dificuldades pessoais, modismos ou promessas de rápida melhora financeira.

Mudar de carreira é um passo sério e significa reiniciar a luta pelo crescimento e reconhecimento profissional. Nesse sentido, decisões impensadas podem gerar mais frustrações e dificuldades. Você não quer errar novamente, certo?

Contudo, se você tiver certeza de que precisa mudar, lute por isso e não tenha medo de perseguir os seus sonhos. Muitas pessoas desistem de mudar os rumos profissionais por não ter certeza em relação aos próprios objetivos, por ter medo de mudança ou até mesmo por achar que já passaram da idade para buscar algo novo.

Todos esses aspectos podem — e devem — ser trabalhados. Realizando um bom planejamento, a mudança de carreira pode ser realizada com segurança e responsabilidade — assim ela certamente trará satisfação pessoal e melhorias na sua vida profissional.

Para isso é recomendável que você siga diversas etapas. A seguir daremos algumas dicas para facilitar essa mudança. Acompanhe!

 

perfil-empreendedor

 

2.1. Identifique suas necessidades

Tenha sempre em mente que mudar de carreira afetará todos os aspectos da sua vida. Por isso, é muito importante ter autoconhecimento e saber quais são as suas necessidades, o que você busca com a nova carreira, o que você espera, o que é preciso para que você desfrute do padrão de vida pretendido e vários outros detalhes.

Também é necessário saber o que será preciso fazer para adotar uma nova carreira: você precisará fazer outra graduação? Uma especialização ou outros cursos técnicos podem servir? Qual será o investimento necessário? Tudo isso influenciará os próximos passos que devem ser tomados.

Enfim, é preciso pensar com calma em tudo o que você precisa para viver bem e realizado — e ponderar se a mudança de área de atuação poderá te proporcionar isso. Em caso positivo, comece a pensar no que é necessário para colocar essa mudança em prática.

2.2. Descubra suas habilidades

Se você não está feliz na sua profissão mas não tem certeza de onde quer atuar, é preciso descobrir algumas coisas sobre você: quais são as suas habilidades, quais são as suas afinidades, em que tipo de trabalho você se sai melhor? Você pode fazer isso por meio de testes vocacionais — preferencialmente aplicados por um profissional capacitado.

Atuar em uma área que favoreça ou necessite das suas habilidades tornam o trabalho mais prazeroso e recompensador — o que leva a uma carreira de sucesso. Por isso, é importante saber em quais áreas e com quais tipos de trabalho você se dá bem. Assim é possível visualizar de forma clara as alternativas e possibilidades de mudança.

2.3. Estabeleça seus objetivos e metas

Objetivos e metas são essenciais na vida — é preciso criar um plano que estabeleça objetivos e prazos para realizar essa transição. Isso é importante para que você mantenha o foco e não desista diante de dificuldades.

Defina os passos necessários para essa mudança e elenque as etapas que você deverá concluir. Na hora de definir metas e prazos, seja realista. Estude as possibilidades com calma, pois não adianta nada criar objetivos que exigem demais ou que não permitem erros — isso só gerará mais frustração.

Sempre que possível, quebre os objetivos grandes em vários objetivos menores e de curto prazo. Ao alcançar pequenas metas, você criará ânimo para continuar investindo nessa mudança e verá que é capaz de realizar tudo o que quiser.

2.4. Faça um planejamento financeiro

Para fazer a transição de carreiras é importante fazer um planejamento financeiro para o período. Afinal, toda mudança exige investimento — seja em cursos, graduações ou especializações, seja na abertura de um novo negócio. Além disso, no início da carreira os rendimentos costumam ser mais baixos.

Uma boa ideia é conciliar uma nova carreira com a antiga até que você consiga alguma estabilidade — contudo, nem sempre isso é possível. Às vezes, mesmo que no início essa conciliação seja possível, com o tempo a rotina pode ficar muito pesada e prejudicar o seu rendimento nas duas atividades.

Assim, é preciso fazer uma escolha — e com um bom planejamento financeiro é possível manter os planos de mudar de carreira sem passar por dificuldades financeiras. Desse modo, é fundamental planejar os gastos e criar uma reserva financeira para conseguir passar por essa fase da forma mais estável possível.

2.5. Prepare-se emocionalmente para a mudança

A mudança de carreira também exige um período de adaptação — por isso, estar preparado emocionalmente é essencial para que você não se frustre. É normal que o início traga algumas dúvidas, dificuldades e desafios — nesse sentido, um bom planejamento é essencial para que você não desanime e desista diante de tais problemas.

Converse com sua família e pessoas mais próximas: essa fase de transição poderá afetá-las. Explique detalhadamente a situação e todos estarão prontos para apoiar as suas decisões.

Todas essas dicas são essenciais para fazer uma transição tranquila de carreiras. Contudo, existe um fator essencial para o sucesso dessa mudança: saber qual carreira seguir e ter segurança sobre essa decisão. Confira o próximo tópico e veja o que você deve fazer.

3. Como encontrar a carreira certa?

Conforme já explicamos, para encontrar a carreira certa é preciso descobrir quais são as suas afinidades. Não se limite ou tenha medo do tempo: mesmo que a nova carreira não pareça ter qualquer ligação com a sua área de atuação, é importante lembrar que conhecimento nunca é demais.

Algumas rotinas e questões relacionadas à antiga profissão podem ajudar você a crescer e se destacar no novo segmento. Novamente, o apoio profissional também é válido: por meio de testes psicológicos e de aptidões um psicólogo poderá indicar áreas que se encaixem às suas preferências e ao seu estilo comportamental.

Essa ajuda profissional ajudará você a identificar quais atividades podem ser mais prazerosas, aliando, assim, rentabilidade e satisfação. Depois de definir essas questões é importante analisar alguns fatores relacionados às profissões pelas quais você nutre interesse.

Veja mais a seguir:

3.1. Desafios da área

O primeiro passo é saber quais serão os desafios da área de atuação escolhida — ou daquelas que você tem afinidade — para entender se você está disposto a passar por todas as etapas e dificuldades do início de uma nova carreira.

Toda carreira terá desafios e obstáculos, isso faz parte do mercado de trabalho e de todas as profissões. Porém, em alguns casos os sacrifícios necessários não valem a pena. Por isso, os desafios e obstáculos que deverão ser enfrentados devem ser ponderados para que não sejam motivos de novas insatisfações no futuro.

3.2. Prós e contras da profissão

Para mudar de carreira é fundamental saber o que você está procurando e com o que deseja atuar. Caso você esteja dividido entre várias opções, faça uma lista de prós e contras de cada profissão.

Liste as coisas que você considera vantagens e atrativos e as que você considera dificuldades e desvantagens. Dessa forma você conseguirá avaliar melhor as opções e riscar algumas delas da lista.

Outro fator essencial é ter uma lista com as suas habilidades e necessidades — lembre-se da importância do autoconhecimento para o planejamento da sua mudança de carreira. Assim, diante de mais de uma oportunidade, você pode buscar a que mais se encaixa nas suas expectativas.

Afinal, tendo em vista que a mudança de carreira costuma ser impulsionada pela insatisfação, é fundamental buscar a que mais tem a ver com os seus ideais e propósitos de vida.

3.3. Limitações da carreira

Também é importante saber as limitações de cada carreira. Busque saber, por exemplo, quais são as suas chances de crescimento, quais são os sacrifícios envolvidos, se essa carreira trará alguma limitação em relação ao seu modo de vida atual e como será o impacto dessa escolha na sua família.

Tendo consciência das limitações você evita criar expectativas e gerar novas frustrações graças aos obstáculos existentes. Por isso, ao se identificar com uma carreira é importante buscar estudar e entender todas as suas características e limitações antes de investir dinheiro e esforços em prol dela.

3.4. Mercado de trabalho

Conhecer e entender o mercado de trabalho é fundamental — afinal, é preciso ter consciência das possibilidades reais da nova carreira e saber em que território você está pisando.

Para isso, é necessário conhecer o público e saber como funciona o mercado na sua região para ver se é viável investir na nova carreira — seja para buscar uma recolocação no mercado de trabalho, seja para empreender e buscar seus próprios clientes.

Você deve investir em um trabalho de pesquisa para entender as necessidades do mercado de trabalho, o que está em alta, quais setores são mais promissores, quais são as funções mais requisitadas ou quais serviços e produtos são mais buscados. Enfim, é preciso fazer uma análise completa para ter certeza da viabilidade da mudança.

Isso é essencial, pois, ao buscar uma mudança de carreira, busca-se também a satisfação pessoal e a estabilidade financeira. Por isso, ao passar por essa mudança, é preciso ter muito cuidado para fazer uma escolha consciente, que dê reais possibilidades de crescimento e satisfação.

3.5. Converse com outras pessoas

Para conhecer melhor a carreira que você deseja trilhar o ideal é conversar com outros profissionais que atuam na área. Você também pode procurar outras pessoas que tenham passado por uma situação parecida para saber como foi feita a escolha e como se deu esse processo.

Também é importante ter uma boa rede de contatos, pois relacionamentos profissionais podem ajudar tanto na busca por um novo emprego na sua nova carreira quanto na captação de clientes para um negócio novo.

Uma coisa é saber como é a carreira na teoria, outra é verificar a experiência de outras pessoas, como elas se sentem e como determinada carreira realmente é na prática — isso pode garantir que você não se iluda com o novo trabalho.

3.6. Tenha certeza do que quer

Tendo em vista os impactos dessa decisão, ter certeza é fundamental. Quando você decide mudar de carreira, logo isso quer dizer que, em outro momento, você não fez a melhor escolha. Nessa situação, você também já teve de lidar com o início de carreira e as lutas diárias para buscar o crescimento profissional.

Desse modo, você deve estar certo em relação ao novo rumo escolhido para que possa enfrentar, sem hesitar, todos os passos necessários até conseguir estabilidade e sucesso no caminho que você decidiu percorrer.

Por isso, a análise de todas as questões relacionadas a essa mudança é essencial para garantir a melhor decisão. Assim, o recomendado é que você só coloque os seus planos em prática depois que tiver certeza do que você quer fazer — e de como fazer.

3.7. Busque as ferramentas necessárias e coloque a mudança em prática

Finalmente, após ter tomado todas as decisões, definido metas, traçado objetivos, estipulado prazos e escolhido qual carreira seguir, agora é a hora de colocar a mudança em prática. Nesse momento é preciso buscar as ferramentas necessárias para atingir os objetivos traçados.

Considere: matricular-se em um curso para expandir seus conhecimentos e melhorar o currículo, cursar uma graduação para se adequar à nova área, fazer uma especialização ou cursos de extensão que possam dar uma base para a nova carreira, criar uma rede de contatos para facilitar a recolocação e o reconhecimento profissional.

Caso você queira criar um negócio próprio, alguns cursos voltados para administração e outros aspectos específicos do empreendedorismo podem ser uma excelente ideia. Você também pode buscar parceiros e sócios para criar uma empresa e investir em um novo segmento.

Também é possível investir em franquias que atendam às suas expectativas. Elas consistem em negócios estruturados, com processos organizados, e permitem ao franqueado a abertura de um novo negócio por meio de um investimento inicial e do pagamento de uma licença para o uso da marca.

Por carregar nomes fortes e já consolidados entre o público, as franquias oferecem um  — fatores excelentes para quem busca uma nova carreira.

Enfim, tudo dependerá da escolha feita — novamente, o planejamento é essencial. Estruture um plano e revise-o sempre que necessário para verificar os objetivos, as metas e seus andamentos — talvez seja preciso adaptá-los periodicamente à realidade vivenciada.

Mudar de carreira é uma decisão importante e vai refletir em todos os aspectos da sua vida. Com essas dicas em mente será bem mais fácil planejar essa mudança, escolher uma nova área de atuação, colocar os seus planos em prática e realizar os seus sonhos.

Pronto! Agora você já sabe quais são os principais pontos a avaliar na mudança de carreira e como escolher uma nova área profissional. Se você gostou deste texto, curta a nossa página no Facebook e acompanhe as nossas atualizações!

Crise dos 30: como lidar com a insatisfação profissional

Depois dos primeiros anos de carreira, é comum que os profissionais se sintam desmotivados e com alguma limitação de energia. Conhecida como crise dos 30, essa fase é marcada pela insatisfação pessoal e profissional, motivada pela pressão pelo sucesso esperado daqueles que atingem os 30 anos.

O desejo crescente de ter mais tempo para a família, para viajar ou mesmo para investir, não ter alcançado o auge da carreira ou a própria independência financeira são apenas alguns fatores que acabam agravando a situação.

A boa notícia é que essa é apenas uma fase e, com a ajuda de algumas técnicas, pode se tornar a guinada tão esperada para a sua carreira e para a sua vida pessoal. Descubra agora mesmo como lidar com a insatisfação e superar a crise dos 30!

Quais suas causas?

Como você já deve ter percebido, esse conflito interno pode ser desencadeado por uma série de fatores. Vamos conhecer alguns deles?

Carreira estagnada

O conforto de uma função já conhecida, ter uma rotina definida e conquistar estabilidade financeira podem ser armadilhas que levam a uma carreira estagnada. Quando as atividades no trabalho se tornam um hábito e atingir os resultados que a liderança espera já não são mais desafios, é preciso tomar cuidado para não entrar em um ciclo de combate à sua criatividade e motivação.

Ter o salário depositado na conta bancária ao fim do mês pode até ser um bom fator motivador, porém, não trará emoção suficiente para a sua vida profissional. Por isso, é preciso buscar o desenvolvimento constante e as novas oportunidades.

Que tal conferir algumas dicas para movimentar a sua carreira? Você pode:

  • assumir riscos e enfrentar pequenas mudanças ou desafios diários;
  • começar um novo curso de especialização ou idioma;
  • diversificar os grupos com os quais você interage;
  • empreender dentro da própria empresa;
  • ir além do que a sua função determina.

Vida pessoal e profissional em descompasso

Outra causa bastante frequente do desencadeamento da crise dos 30 é a falta de sincronia entre a vida pessoal e a profissional. É preciso buscar o equilíbrio entre ambas e, ao mesmo tempo, fazer com que elas se complementem. Afinal, ter uma vida profissional que não condiz com os seus sonhos pessoais é um atalho perfeito para a insatisfação!

O passo mais importante para alinhar esses dois pilares é o autoconhecimento. É a partir dele que você terá condições de estabelecer objetivos que sejam coerentes com a pessoa e o profissional que você é. Assim, alcançar uma meta profissional não é gratificante apenas pela realização, mas porque também aproxima você do seu propósito de vida.

Poucas chances de alcançar postos de chefia

Não conseguir escalar a hierarquia da empresa é uma condição bastante frustrante, não é mesmo? Ainda mais se a empresa não possui um plano de carreira ou se o seu chefe não parece muito receptivo à ideia de uma promoção.

Uma dica bastante válida, principalmente para quem trabalha em uma empresa sem um plano de carreira definido, é conversar com o seu supervisor sobre a sua preparação para receber uma promoção. Se dispor para traçar uma qualificação profissional pode ser uma forma proativa de demonstrar o interesse pelo seu crescimento!

Dúvidas sobre a escolha profissional

A escolha profissional tem tudo a ver com quem você é quando não está no trabalho. Se essas duas esferas da sua vida não estão andando juntas, é melhor repensar seus caminhos. É normal que próximo dos 30 anos você comece a questionar as suas escolhas, se elas foram e serão o melhor para você sob vários aspectos, inclusive financeiramente.

É importante reconhecer os motivos que levaram você até sua vida atual, desde os empregos que você teve até as pessoas com quem escolheu interagir no happy hour.

Por quê? Porque isso o ajudará a encontrar quem você realmente é e o que busca com a sua escolha profissional. Além, é claro, de apontar se você está ou não caminhando em direção aos seus sonhos.

É preciso avaliar: o seu trabalho realmente não deu oportunidades para que você impulsionasse a sua carreira, ou você simplesmente já não tem interesse em se dedicar à área em que você atua?

Quais são os sintomas?

O sucesso se torna algo bem mais simples para quem entende a seguinte dinâmica: quanto mais feliz e satisfeito você trabalha, melhor realiza as suas funções, gerando mais renda e conquistando maior estabilidade financeira e bem-estar. É um ciclo!

Por isso, não se trata apenas de escolher uma profissão que “dê dinheiro”, mas, sim, de escolher algo que gere prazer e satisfação sempre que você o realizar. Quanto mais disposto você estiver para fazer com que as coisas funcionem, melhor serão os seus resultados.

Assim, de nada adianta um emprego cuja remuneração é excelente, se você chega em casa exausto e sem motivação para aproveitar um tempo com a sua família.

Os sintomas são relativamente simples e estão quase todos ligados a questionamentos como:

  • “A minha profissão é fruto dos meus sonhos e das minhas aspirações, ou apenas dos desejos alheios?”
  • “Essa é a área na qual quero atuar quando estiver com 40 anos?”
  • “Conseguirei alcançar minha independência financeira seguindo esse emprego?”
  • “Eu sou feliz e realizado atuando nessa área?”
  • “Estou no mesmo estágio profissional que a média de pessoas da minha idade?”
  • “Minha profissão vai me permitir aproveitar a vida e prezar pelo meu bem-estar?”

 

 

Se você identificou alguma dessas perguntas de forma recorrente na sua vida, não se preocupe. Separamos as melhores formas de superar essa fase!

Como enfrentar a crise dos 30?

A tão temida crise dos 30 bateu à porta. E agora? Não se desespere! Esse pode ser o momento ideal de despertar a sua carreira e dar aquela guinada profissional. Quer saber como?

Experimente o coaching

O coaching é um método de ressignificação de objetivos pessoais e profissionais para auxiliar na busca por propósitos consistentes, que sejam capazes de gerar satisfação e, ao mesmo tempo, resultados.

Sua função é disponibilizar uma série de questionamentos e ferramentas, a fim de identificar quais são os comportamentos que podem estar sabotando a sua performance. O coaching ajuda a:

  • organizar o seu tempo;
  • estabelecer prioridades;
  • trabalhar em equipe;
  • pedir ajuda ao executar tarefas;
  • escutar as pessoas;
  • estabelecer bem-estar social;
  • cuidar da sua saúde​;
  • buscar autoconhecimento.

Invista na sua formação

Uma ótima forma para alçar novos voos dentro da sua empresa ou mesmo para conseguir uma recolocação profissional é investir na sua formação. Buscar conhecimento é uma das maneiras mais eficazes para se reencontrar e descobrir como desempenhar suas tarefas de forma satisfatória para a empresa e para você mesmo.

Pense além do óbvio, invista na diversificação do seu conhecimento e torne-se um profissional multifuncional, capaz de se destacar em qualquer atividade. Busque formas de se qualificar, seja por meio de cursos profissionalizantes ou mesmo de uma pós-graduação.

Aprenda um novo idioma, estude a criatividade, aprenda sobre relacionamentos interpessoais. Ainda que pareçam áreas distintas, em algum momento elas se complementarão, fazendo de você um profissional diferenciado.

Aposte em empreendedorismo

Se, mesmo assim, você ainda sente que não é o suficiente para dar aquela virada no jogo, então considere a possibilidade de apostar em empreendedorismo! Se você sente uma motivação especial por identificar problemas e oportunidades e consegue alocar recursos para resolvê-los, o empreendedorismo é feito para você.

Algumas pessoas só conseguem se sentir felizes e realizadas ao perceber que suas atividades resultam em mudanças e geram impactos positivos no ambiente em que estão inseridas. Se você se identifica com essa necessidade, talvez esteja na hora de considerar investir no seu próprio empreendimento.

A crise dos 30 é uma angústia real para inúmeras pessoas que chegam a essa fase da vida. O mais importante é identificá-la e tomar as melhores providências para lidar com ela. Agora que você já conhece um pouco mais sobre este assunto, que tal curtir a nossa página no Facebook e ficar por dentro de todas as novidades?

 

perfil-empreendedor