transformamos a vida de milhares de jovens através da educação.

Everton Sabú
Fundador

Junte-se a Nós nesta missão!

Como elaborar um plano de negócios? Confira em 6 passos!

Montar o próprio negócio envolve uma série de desafios e é muito importante estar preparado para cada um deles. Algumas estratégias, como elaborar um plano de negócios, pode não só ajudar a enfrentar esses desafios, como proporcionar o crescimento sustentável da empresa.

Se você é empreendedor e ainda não fez o planejamento do seu negócio, saiba que sua empresa corre sérios riscos. Mas nunca é tarde para começar. Por isso, criamos este guia para ajudar você a elaborar um bom plano de negócios e garantir o sucesso da sua empresa no mercado. Então, aproveite e boa leitura!

Entenda por que a sua empresa precisa de um plano de negócios

Vamos começar explicando melhor o que é um plano de negócios. Ele é um documento criado para registrar todas as definições importantes que nortearão os trabalhos da empresa. Nele, devem constar todas as principais previsões de oportunidade e desafios que serão enfrentados nos próximos anos, bem como todos os custos e proventos.

Começar uma empresa sem um documento como esse é perigoso. Afinal, é preciso conhecer muito bem o cenário no qual ela estará inserida. As informações sobre os concorrentes, clientes e fornecedores são apenas algumas das peças-chave desse documento, que conta com todo um estudo e planejamento de ações para direcionar os esforços e investimentos.

Por meio dele, você poderá tomar decisões estratégicas com base em dados concretos, sem “achismos”. Além de ser uma atitude mais profissional, a margem de erro nas principais definições da empresa diminui consideravelmente. Automaticamente, as chances de sucesso aumentam e você poderá considerar até mesmo uma expansão dos negócios em algum tempo.

Aprenda como elaborar um plano de negócios em 6 passos

O plano de negócios proporciona diversos benefícios, mas é preciso fazê-lo da forma certa. Por isso, listamos um passo a passo para ajudar a orientar você nessa empreitada. Leia atentamente cada um deles e comece ainda hoje o planejamento da sua empresa. Confira!

1. Sumário executivo

O seu plano de negócios deve iniciar com um sumário executivo. Ele é um resumo de tudo o que será encontrado no documento e, apesar de estar nas primeiras páginas, é uma das últimas partes a ser feita.

É importante que ele seja bastante representativo em relação ao restante do conteúdo, pois ele é feito para que um possível investidor, por exemplo, o leia rapidamente e se interesse pelo todo.

2. Análise de mercado

Esse é o primeiro passo do plano de negócios: conhecer bem o mercado onde sua empresa está inserida. Nessa etapa estão incluídas análises internas e externas.

Assim, identifique todos os seus pontos fortes e fracos, além das oportunidades e ameaças externas. O mais importante aqui é registrar todos esses aspectos para embasar diversas outras atividades que serão realizadas a seguir.

Realize uma pesquisa de mercado, conheça seus principais concorrentes, observe como eles atuam e quais são os pontos fortes e fracos de cada um deles. Não deixe de conhecer também o seu público. Procure saber como são seus hábitos, suas preferências e qualquer informação que possa ser utilizada em sua estratégia de marketing. Faça o seu “dever de casa”.

3. Plano de marketing

Depois de conhecer o mercado, você já será capaz de elaborar o plano de marketing. Nele, você definirá qual o produto ou serviço a sua empresa oferecerá. É importante considerar que a definição do produto ou serviço deve ser feita com base nas informações de mercado identificadas na etapa anterior.

Após essa definição, devem ser estabelecidas as estratégias de marketing tanto para o lançamento quanto para a divulgação constante da empresa no mercado. É nesse momento, inclusive, que são definidos os canais de distribuição, como será a evolução do produto para os próximos anos e diversos outros detalhes que ajudam a vislumbrar o futuro da empresa.

4. Planejamento financeiro

Esse é um dos itens mais delicados do plano de negócios. Ele envolve bastante estudo e pesquisa para ser feito da forma correta. É nessa etapa que se identifica e comprova a viabilidade financeira da empresa. Para isso, as informações adquiridas na pesquisa de mercado serão muito úteis.

Nesse estágio, são feitas as principais projeções de custos e lucros para médio e longo prazos. Assim, ele mostra, do jeito mais próximo da realidade possível, como será a situação financeira da empresa ao longo dos meses e anos vindouros.

Consequentemente, é possível mostrar o ritmo de crescimento esperado e a quantidade de investimentos que serão necessários ao longo desse período de tempo.

5. Plano operacional

O plano operacional retrata a capacidade de produção da sua empresa. Nessa seção, são descritas as informações sobre equipamentos, instalações e todo tipo de recursos necessários para que a sua empresa entregue o produto ou preste o serviço ao cliente.

O ponto de atenção aqui é não deixar nada de lado. Isso pode influenciar até mesmo no planejamento financeiro e de marketing, já que podem ser necessários investimentos em equipamentos, treinamento de pessoal e até mesmo uma contratação em massa para a expansão do negócio em um determinado momento.

6. Execução do projeto

Depois de todas essas definições, sua empresa estará pronta para começar suas atividades de forma organizada e direcionada. Para seguir todas as definições do plano de negócios, é importante elaborar um plano de ação, com base nos objetivos definidos no planejamento de marketing. Determine indicadores e faça o acompanhamento constante deles.

Garanta que a sua empresa está seguindo as ações determinadas no plano de negócios para que as metas sejam alcançadas dentro do previsto. Também é importante revisá-lo periodicamente para que ele esteja sempre atualizado. Lembre-se: o mercado é dinâmico e você precisa estar atento às mudanças.

Como você pôde ver, cada etapa traz uma série de pontos relevantes que podem determinar se a sua empresa obterá ou não o sucesso desejado. E, agora que você já sabe como elaborar um plano de negócios, coloque tudo em prática e faça a sua empresa crescer.

Gostou do post? Então, para se manter atualizado sobre esse assunto, siga a Jumper no Facebook, LinkedIn, Instagram, Twitter e Google+.

6 principais desafios do empreendedorismo feminino

O empreendedorismo feminino tem ganhado cada vez mais força no Brasil e no mundo. Muitos são os desafios para se tornar um empreendedor de sucesso. Mas, para as mulheres, os desafios são diferentes, pois, além das dificuldades enfrentadas por qualquer pessoa que esteja à frente de seu negócio, elas ainda enfrentam barreiras sociais e sexistas.

De acordo com o site Mulheres Empreendedoras, o Brasil conta com mais de 5,7 milhões de mulheres à frente de seus negócios, além de estarem presentes em 30% das sociedades de empresas ativas. Isso mostra que, apesar de tudo, elas vão à luta e mostram do que são capazes.

Vamos mostrar, a seguir, quais são os principais desafios que as mulheres encontram na hora de empreender. Acompanhe!

1. Preconceito (sexismo)

Muitas conquistas já melhoraram bastante a vida das mulheres que resolveram abrir as suas próprias empresas. No entanto, muito ainda precisa ser feito, visto que a realidade feminina no mundo dos negócios é muito mais complexa quando comparada à masculina.

O simples fato de ser mulher é o suficiente para que algumas pessoas não confiem na capacidade de gestão da empresária. Isso se dá devido à forte influência social — construída e reiterada por séculos de história —, na qual os homens sempre foram os únicos responsáveis por garantir o sustento de suas famílias.

Entretanto, foi no início do século XX, que as mulheres foram obrigadas a ir para o mercado de trabalho, devido à escassez de mão de obra. Já agora, no século XXI, o trabalho significa muito mais do que a garantia do sustento da família — visto que também diz respeito à independência e à reafirmação de seu papel de protagonismo na economia. Papel esse que elas vêm desempenhando com cada vez mais maestria.

2. Jornada múltipla

Ainda que o cenário tenha evoluído do século XX até os dias atuais, a maioria das mulheres continua responsável pelo seu lar. Segundo a Agência Brasil, um estudo publicado pelo Ipea revelou que mais de 40% dos lares brasileiros são chefiados por mulheres. Além disso, elas têm escolaridade média maior que a dos homens.

Isso significa que as mulheres administram suas empresas, realizam as tarefas domésticas, cuidam dos filhos e ainda estudam. Essa jornada múltipla acarreta uma carga física e psicológica bastante alta. Conciliar empresa, família e estudos não é fácil, ainda assim, essas tarefas são assumidas e realizadas sem que a qualidade de nenhuma delas seja afetada.

 

3. Falta de incentivo

Esse, talvez, seja o pior de todos os desafios, uma vez que ele está diretamente relacionado às pessoas que estão ao redor das mulheres empreendedoras. Muitas delas sofrem com a descrença de suas próprias famílias e amigos, que não confiam no potencial do negócio que estão montando.

Não são raros os relatos de mulheres que hoje são bem-sucedidas em seus negócios, mas que no começo não tiveram o apoio das pessoas que mais consideravam importantes — já que essas pessoas não acreditaram na sua capacidade empreendedora.

Mas, é importante ressaltar que, apesar de ser um problema de forte impacto, ele não engloba 100% das pessoas que estão envolvidas com a empreendedora. Assim como tem as pessoas que não acreditam na mulher, tem as que, não só acreditam, como apoiam e dão todo o suporte necessário para que ela se sinta ainda mais forte.

Nesses momentos, as assistências que vêm de pessoas inesperadas são muito bem-vindas: visto que, além de desenvolver novas amizades, a mulher empreendedora descobre quem são aquelas com quem ela pode contar sempre!

4. Preparo profissional

Essa é uma dificuldade que está muito relacionada à questão social e cultural citada no primeiro desafio. As mulheres, ao longo do tempo, foram criadas para serem mães e esposas exemplares, e não para serem excelentes empresárias.

Ainda nos dias atuais, muitas mulheres têm dificuldade em desenvolver aptidões nas áreas matemáticas da administração de uma empresa. Apesar de terem escolaridade média maior, elas se capacitam menos em áreas gerenciais — o que não é positivo para aquelas que pretendem empreender.

A boa notícia é que esse é um desafio que só depende dela superar. Existem diversos cursos disponíveis no mercado para aquelas que estão dispostas a ter seu próprio negócio. Alguns exemplos de cursos que capacitam para um bom gerenciamento dos negócios são: Técnicas de Contabilidade, Gestão de Empresas, Departamento Pessoal e Auxiliar Administrativo.

5. Limitações de crédito no mercado

Esse desafio é enfrentado por muitos empreendedores, principalmente pelos que estão iniciando no mundo dos negócios. Mas, para as mulheres, a limitação de crédito é ainda maior. Motivada por questões sexistas (principalmente), as linhas de crédito financeiro para as empreendedoras é menor e mais cara do que para os homens.

De acordo com a Rede Mulher Empreendedora, menos de 2% dos recursos de crédito mundiais são direcionados para empresas lideradas por mulheres. Ainda de acordo com o site, entre 1.300 mulheres entrevistadas, 59% investiriam mais na empresa se tivessem acesso a um crédito mais barato e 38% afirmaram que precisam, mas não têm acesso às linhas de crédito.

Para enfrentar esse desafio, elas demonstram bastante criatividade, garra e controle financeiro. Se planejam melhor e crescem de forma mais sustentável.

6. Autoconfiança

O desafio da autoconfiança está diretamente relacionado à falta de apoio. Uma mulher que tem o apoio de seus amigos e familiares dificilmente terá grandes problemas de autoconfiança.

Mas não é só o apoio que exerce influência sobre a confiança da mulher em si mesma, já que a autoconfiança é uma questão muito mais profunda e pessoal — envolvendo questões acerca do histórico de vida, indo desde cada luta que ela teve que enfrentar até todas as conquistas e reconhecimentos que já teve.

Ou seja, é uma questão muito individual e de extrema importância. A autoconfiança deve ser trabalhada junto a um profissional específico (psicólogo ou coach profissional), visto que ele saberá como lidar com essa situação de forma mais eficiente.

Como vimos, os desafios do empreendedorismo feminino existem, mas todos eles podem ⎯ e são ⎯  superados por milhares de mulheres todos os dias. Guerreiras, aumentam a cada dia seu protagonismo na economia mundial e mostram do que são capazes.

Se você está pensando em empreender e quer entender melhor sobre como é começar seu próprio negócio, leia o nosso post Afinal, o que é empreender?. Nos vemos por lá!