transformamos a vida de milhares de jovens através da educação.

Everton Sabú
Fundador

Junte-se a Nós nesta missão!

Histórias inspiradoras: Antônio Luiz Seabra — fundador da Natura

A inspiração é um excelente combustível para a ação. Por isso, conhecer histórias inspiradoras é, sem dúvida, uma atitude bastante positiva para desconstruir paradigmas e estimular novas metas.

Neste post, você vai conhecer um pouco mais sobre a trajetória de sucesso de Antônio Luiz Seabra, a mente por trás da Natura, uma das maiores (e mais lucrativas) empresas do país. Preparado? Vamos em frente e boa leitura!

Antônio Luiz Seabra: a trajetória profissional do fundador da Natura

Há um denominador comum na maioria das histórias profissionais de sucesso: o trabalho árduo. Até que um empreendedor seja reconhecido e admirado por sua ideia, é certo que tenha empregado grandes esforços para viabilizar seu sonho.

Com Antônio Luiz Seabra, hoje listado entre os bilionários da Forbes (uma renomada revista americana), não foi diferente. Sua trajetória de trabalho começou cedo e foi repleta de desafios, superações e, é claro, muito empenho!

Já aos 15 anos, Seabra começou a trabalhar na mesma empresa do pai, como calculista de custos indiretos. Mais tarde, identificando afinidade com a área, escolheu a faculdade de Economia.

Logo após concluir sua graduação, conquistou uma vaga de trainee na Remington Rand, empresa multinacional que atuava na fabricação de computadores. Quando deixou o emprego, oito anos depois e com a intenção de migrar para a área de cosméticos, já era superintendente da operação.

Foi, portanto, nessa nova oportunidade profissional que Seabra teve a ideia embrionária da Natura. Ao gerenciar a operação do laboratório, Antônio teve contato com novas expertises e formulou um esboço conciso do que viria a ser, mais tarde, uma das marcas mais valiosas do Brasil.

Aos 27 anos, juntamente ao sócio Jean Pierre Berjeaout, Seabra fundou a Indústria e Comércio de Cosméticos Berjeaout Ltda. A adoção da palavra “Natura” foi feita poucos meses depois, quando a utilização de ativos vegetais foi definida como uma das estratégias do produto.

Começava, então, a história de uma empresa inovadora, ousada e, acima de tudo, muito bem gerida. O resultado dessa combinação pode ser visto no mercado até hoje, dia após dia, em números cada vez mais positivos.

Os principais sucessos de Seabra

Como já mencionamos, o sucesso é o produto de uma série de ações integradas. Não basta, por exemplo, conceber uma ideia e jamais colocá-la em prática. Da mesma forma, é inviável operacionalizar um negócio sem pensar em sua estratégia de mercado.

Não seria equivocado dizer, portanto, que um dos méritos de Seabra está justamente na sua capacidade de aliar competências e expertises, adicionando a elas boas doses de confiança, comprometimento e trabalho duro.

Em sua trajetória empreendedora à frente da Natura, uma convicção esteve sempre muito presente na gestão de Antônio: entender, de fato, a percepção de beleza e os desejos relacionados a esse ideal. De acordo com ele, o contato com o público foi fundamental para endereçar as demandas sociais e, assim, desenvolver estratégias capazes de prosperar.

O empresário inclusive declarou, em diversas entrevistas que concedeu, que o uso de produtos cosméticos nunca foi uma questão puramente estética; tratando-se, ao contrário, de um hábito cotidiano que resgata sentimentos ligados à autoestima, à satisfação pessoal e ao bem-estar.

Com uma visão ampla, centrada no consumidor, e uma proposta de valor diferenciada, optando por insumos naturais, a Natura desenvolveu seu modelo de negócios e intensificou sua abrangência.

As inovações, por outro lado, sempre foram uma característica da empresa. Seabra apostou, de início, no modelo de vendas diretas, recrutando pessoas comuns e transformando-as em consultoras de beleza para compor sua estratégia de penetração e propagação de marca.

Outro feito foi quando, ainda em 2007, a marca foi a primeira a oferecer refis de cosméticos no Brasil. Além disso, em função de sua preocupação com a sustentabilidade, foi pioneira em optar por produtos de carbono neutro — reduzindo e compensando a emissão de gases causadores do efeito estufa.

Já em 2015, a Natura foi contemplada com o prêmio Champions of the Earth, promovido pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), na categoria “Visão Empreendedora”, em reconhecimento aos seus esforços para destacar a sustentabilidade na condução dos negócios.

Muito embora não haja receita pronta para o sucesso, é inquestionável que a Natura, sob o comando de Seabra, trilhou um caminho próspero e de intensa ascensão. A combinação consistente de um modelo de negócios coeso com estratégias diferenciadas de produtos contribuiu para dar gás à operação.

Hoje, a empresa extrapolou as fronteiras brasileiras e mantém atividades também na Argentina, Colômbia, México, Peru, Venezuela e França — organizando, ainda, sua entrada no mercado norte-americano.

São cerca de 7.000 funcionários engajados nos processos internos e mais de um milhão e meio de consultores independentes. A grandeza da operação justifica o valor de mercado da marca: estima-se que a Natura valha, hoje, algo em torno de U$ 3,15 bilhões e lidera o ranking das mais valiosas da América Latina, de acordo com a Interbrand.

perfil-empreendedor
Faça já o teste e descubra se você tem Perfil Empreendedor

As maiores lições do empreendedor (e como aproveitá-la no seu negócio)

Como tivemos a oportunidade de conhecer, a trajetória profissional de Seabra foi marcada por muito trabalho, desafios e oportunidades. Antônio soube identificar e endereçar as demandas de mercado e, assim, criar produtos pertinentes aos desejos de consumo para a área de cosméticos.

Diante disso, é comum que outros empreendedores se questionem: “como posso me valer da experiência de Seabra para alavancar o meu próprio negócio?”. Veja algumas das principais lições do fundador da Natura e considere aplica-las sob a ótica da sua operação!

Amplie sua visão de negócios

As primeiras experiências de trabalho de Seabra (na área financeira ou na multinacional de tecnologia) não foram propriamente determinantes para seu desejo de empreender na área cosmética. Ainda assim, sua bagagem profissional foi enriquecida a cada contato com variados setores — e isso pode ser importante para construir uma visão ampla e coerente do mercado.

Encontre (e fortaleça) diferenciais competitivos

Ainda que não tenha sido a concepção inicial da Natura, o uso de ativos vegetais foi o que, de fato, proporcionou à marca um diferencial robusto. Por isso, certifique-se de construir, fortalecer e divulgar aquilo que destaca o seu negócio (produto ou serviço) dos demais concorrentes.

Aposte no seu modelo de negócios

A Natura apostou nas vendas diretas para alavancar sua abrangência e expandir sua operação. Atualmente, é possível perceber que a estratégia foi bastante acertada e proporcionou ganhos expressivos para a empresa. Vale a pena, portanto, revisar a estrutura do negócio e ajustar o que for passível de melhorias.

Antônio Luiz Seabra tem uma dessas histórias inspiradoras que costumam revigorar as energias do empreendedorismo. Aproveite as dicas e prepare-se para realizar seus sonhos — um por vez, todos os dias. Boa sorte!

O conteúdo despertou seu interesse e você deseja conhecer histórias semelhantes? Veja a trajetória de Paulo Lemann, um dos principais empreendedores brasileiros.

Qual é o valor do autoconhecimento no seu sucesso profissional?

Conhecer-se é uma habilidade fundamental para todos os aspectos da nossa vida. É possível usar o autoconhecimento para o sucesso profissional, afinal, ele é a chave para você saber o que quer e o que pode fazer para conquistar seus objetivos na carreira.

Um profissional que não se conhece o suficiente pode desperdiçar seus potenciais e perder boas oportunidades no mercado. A falta de autoconhecimento dificulta que você melhore seus pontos fracos e pode, inclusive, basear escolhas equivocadas — como ficar em um emprego que causa insatisfação profissional.

Quer saber como você pode se conhecer mais a aproveitar os benefícios dessa atitude na sua carreira? Veja nossas dicas!

Quais são os benefícios do autoconhecimento?

Conhecer seus pontos fortes

Uma pessoa que reconhece suas potencialidades tem mais segurança em entrevistas de emprego e na sua atuação profissional. Sabendo o que você faz bem, é possível destacar essas habilidades e conseguir mais valor no mercado de trabalho, conquistando boas vagas.

Aprimorar habilidades

Além de conhecer os pontos fortes, é preciso identificar também os aspectos que precisam ser melhorados. Perceber suas limitações no ambiente de trabalho é o primeiro passo para superá-las. Assim, você pode aproveitar os benefícios do autoconhecimento para o sucesso profissional.

Saber se comunicar melhor

A habilidade de comunicação é uma das mais valorizadas no mercado de trabalho atual. Pessoas que desenvolvem o autoconhecimento sabem se comunicar de forma mais efetiva, pois se sentem mais confiantes em relação às suas capacidades e aprendem a identificar as próprias reações e as reações dos outros em uma situação social.

Descobrir onde quer chegar

O autoconhecimento é fundamental em qualquer planejamento pessoal. Sem conhecer seus interesses e potencialidades, você tem dificuldade para definir objetivos e traçar caminhos profissionais. Para crescer profissionalmente é preciso estabelecer metas e saber como conquistá-las.

Profissionais com um bom autoconhecimento têm metas bastante claras e conseguem definir exatamente o que fazer para obtê-las. É mais fácil focar apenas em cargos que tenham sentido na sua caminhada profissional, o que enriquece o currículo e os aproxima da função que almejam para o futuro.

Como melhorar o autoconhecimento?

Depois de se convencer das vantagens do autoconhecimento para o sucesso profissional, você pode exercitar essa habilidade na sua vida. Veja algumas dicas que ajudam a potencializar seu conhecimento sobre si mesmo:

Tire um tempo para si

Para aprofundar o autoconhecimento você precisa de tempo. Reserve alguns momentos da sua rotina para avaliar o que passou e como você se sentiu sobre os últimos acontecimentos. Vale pensar em como se saiu em uma reunião de trabalho, quais foram as atividades que você mais gostou de fazer na semana e quais foram suas dificuldades, por exemplo.

Além de refletir sobre o que acontece no presente, tente avaliar sua carreira como um todo. Faça uma lista dos seus gostos e interesses profissionais e relembre sua caminhada até aqui. Faça um resumo das experiências que teve e identifique o que cada uma contribuiu para sua vida. Pense sobre o que foi bom e o que poderia ser melhorado nos seus trabalhos anteriores.

É preciso também olhar para o futuro: o que você quer para a sua carreira? Quais são os seus planos a partir do seu cargo atual? Questione se a função que você ocupa hoje está de acordo com os seus objetivos profissionais ou se será necessário retomar outras rotas. Talvez você precise buscar uma nova graduação ou outros cursos que facilitem uma mudança na carreira.

Tirar um tempo para si mesmo ajuda a perceber seus desejos, necessidades e motivações. Esses aspectos são essenciais para você tomar decisões mais conscientes. Sabendo de tudo isso, fica mais fácil definir metas e planejar a realização delas.

Outro benefício dessa atitude é descansar o corpo e silenciar a mente. Dessa forma, você desacelera a rotina e conquista mais qualidade de vida. Ter momentos de tranquilidade também é muito importante para manter a saúde e garantir o rendimento no trabalho.

 

Identifique suas qualidades e defeitos

Enquanto estiver pensando sobre as suas experiências anteriores e atuais, liste todos os seus pontos fortes e fracos. Reflita sobre a sua linha do tempo profissional e identifique aquelas dificuldades que você já conseguiu melhorar nas suas experiências e outras que ainda precisam ser trabalhadas.

Muitos pontos negativos que nós temos no começo da carreira acabam se tornando potencialidades depois que determinada experiência profissional nos faz crescer. Por isso, o autoconhecimento é fundamental. Afinal, você só pode superar as dificuldades que reconhece. Ter a humildade de buscar melhorias é o que vai fazer você se destacar profissionalmente.

Converse com seus colegas e líderes

Às vezes não é tão fácil falar de si mesmo ou identificar aspectos da própria personalidade. As pessoas que convivem com você podem ser uma ótima fonte de pesquisa para isso. Comece pensando sobre o que seus amigos e colegas de trabalho costumam falar de você — tanto aspectos positivos quanto negativos.

Também é possível levantar informações pensando sobre o que costumam pedir para você no trabalho. Além das tarefas que normalmente são delegadas para a sua função, as pessoas costumam requisitar ajuda a você sobre algum assunto? Talvez dicas de planejamento, informações tecnológicas ou mesmo conselhos pessoais, por exemplo.

Por fim, o seu chefe, com certeza, tem muitas percepções sobre o seu perfil profissional. Conversar com ele pode elucidar aspectos que você não reconhece na sua personalidade. Pedir feedback sobre a sua atuação e o seu relacionamento com a equipe é uma ótima forma de saber o que você pode fortalecer e o que precisa melhorar.

Busque um profissional

Se você quer alavancar sua carreira por meio do autoconhecimento, vale a pena contratar um profissional que trabalhe diretamente com isso. O serviço de um psicólogo ou de um coach pode ajudar você a se enxergar melhor e fazer um planejamento de carreira mais focado.

Para pessoas que sentem necessidade de um processo que também envolva questões pessoais, a terapia é a mais indicada. Já para quem quer focar no âmbito profissional e quer ajuda para colocar os sonhos no papel e definir metas, o processo de coaching é a melhor opção.

Agora você sabe que é possível usar o autoconhecimento para o sucesso profissional. Especialize-se no conhecimento sobre si mesmo e enriqueça sua caminhada na carreira. Saber quem você é e onde quer chegar é essencial para alcançar os seus sonhos.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida sobre o assunto ou quer compartilhar suas experiências? Deixe um comentário logo abaixo!

Como conciliar trabalho e família? Confira nossas 5 dicas

Você já teve a sensação de que o tempo passou rápido demais? Na nossa rotina atual, esse não é um sentimento incomum. Com tantas responsabilidades, muitas vezes é difícil conciliar trabalho e família.

Essa é uma questão geradora de angústia para muitas pessoas, que não conseguem fazer com que o sucesso profissional e familiar andem juntos. Se esse é o seu caso, saiba que é possível aumentar essa harmonia, seja você o funcionário de uma empresa ou mesmo dono do seu próprio negócio.

Quer saber como fazer isso? Veja as nossas dicas!

1. Organize sua rotina

O primeiro passo para ter um dia a dia mais tranquilo e sentir que sua semana rendeu, é organizá-la. Para se dividir entre trabalho e família, o planejamento é fundamental. Procure ter uma boa gestão do tempo quando estiver na empresa. Planeje suas ações e concentre-se em cumprir as metas durante o horário comercial, para evitar horas extras.

Em casa, também é possível se organizar para garantir melhor aproveitamento das horas. Analise a rotina da família e veja o que pode ser mudado, para que vocês passem menos tempo resolvendo problemas e possam relaxar mais juntos.

2. Saiba a hora de parar de trabalhar

No mercado de trabalho atual, esse pode ser um desafio para muitos profissionais. Com a competitividade em alta e as metas cada vez maiores, a tendência é que o brasileiro trabalhe sempre mais. Entretanto, saber a hora de parar é fundamental para quem quer ter sucesso também nas outras áreas da vida.

A palavra-chave sempre será o equilíbrio! Trabalhar demais pode trazer malefícios para a sua saúde, sua vida social e, claro, sua relação familiar. Descansar, cuidar de si mesmo e se divertir com as pessoas que amamos são aspectos fundamentais na vida de todos nós.

Sabemos que muitas vezes a empresa precisa de maior dedicação e pode ser necessário fazer hora extra, mas os limites precisam ser respeitados. Não se sobrecarregue e não exija compreensão excessiva dos seus familiares. Se a carga no trabalho estiver prejudicando sua saúde e suas relações, é hora de rever suas escolhas.

3. Utilize as vantagens da tecnologia

É possível se fazer presente em casa mesmo no horário de trabalho, basta aceitar a ajuda da tecnologia. Se você não puder almoçar com a sua família, aproveite esse horário para fazer ligações. Telefonar para sua esposa, filhos ou pais por alguns minutos por dia pode fazer muita diferença na qualidade da relação de vocês.

Durante outros intervalos do trabalho você também pode entrar em contato com seus familiares. Mandar uma mensagem ou fazer uma ligação rápida não vai atrapalhar seu rendimento na empresa.

A tecnologia não é útil apenas para facilitar a comunicação. Também existem opções para ajudar o seu dia a ser mais organizado e render mais. Os aplicativos de agenda, por exemplo, permitem que você programe os compromissos e receba alerta para se lembrar de tudo que foi combinado.

Além disso, há aplicativos que podem dar ideias de programas divertidos para fazer em família. Dessa forma, vocês perdem menos tempo decidindo o que fazer e conseguem aumentar os momentos de lazer juntos.

Para quem trabalha de forma autônoma ou tem a própria empresa, a tecnologia também serve para reduzir seu tempo no trabalho. Reuniões com clientes e pedidos a fornecedores podem ser resolvidos via internet ou telefone, evitando deslocamentos e aumentando o seu tempo em casa.

 

perfil-empreendedor

 

4. Valorize sua família

Não será possível conciliar trabalho e família enquanto o primeiro for prioridade absoluta, em detrimento do segundo. É preciso ter clareza de que a relação familiar é importante e que deve ser tratada com tanta seriedade quanto o trabalho. Do contrário, você sempre dedicará mais tempo à empresa e possivelmente desmarcará muitos compromissos familiares.

Lembre-se de que isso não é saudável. Para ser um bom profissional, você também precisa estar bem consigo mesmo e com quem você ama. Por isso, quando estiver com a sua família, procure se desligar totalmente do trabalho. O tempo de lazer e felicidade são positivos até mesmo para a empresa, pois aumentam sua disposição e produtividade.

Quem gere o próprio negócio provavelmente vai sentir mais dificuldade em distanciar-se do trabalho, por isso a organização da rotina foi nossa primeira dica. Você precisa coordenar a sua rotina de forma que os encontros com a família estejam planejados e ela seja prioridade absoluta nessas oportunidades. Se você só consegue separar poucas horas por dia, ou apenas o fim de semana, é importante que nessa hora as obrigações profissionais sejam postas de lado.

Preze por fazer refeições juntos e conversar toda noite, compartilhando o que aconteceu no dia de cada um e fortificando os laços afetivos. Nas folgas e fins de semana, façam programas que todos gostem. Esses são dias para se divertirem juntos. Fazer passeios e viagens é muito interessante, mas também é possível ter bons momentos em casa, sem gastar muito.

5. Delegue tarefas

Para fazer com que trabalho e família andem juntos, é preciso mais tempo, certo? Como o dia não pode ter mais do que 24 horas, você precisa otimizar a sua agenda. Uma dica é passar a delegar mais — e isso pode ser feito tanto na empresa quanto em casa!

No trabalho, é preciso reconhecer que há colegas com quem você pode contar. Observe se a sua carga horária é excessiva e analise quais atividades podem ser realizadas por outras pessoas ou, pelo menos, com a ajuda delas.

Em casa, vale a mesma ideia. Sua família é a sua equipe e vocês podem se ajudar. Para aproveitar melhor o tempo, divida as tarefas domésticas entre todos. Se a limpeza da casa requer muito de vocês, há a opção de contratar uma diarista. Delegue também o planejamento das atividades que vocês farão no fim de semana. Assim, quando chegar o dia, já está tudo organizado e vocês podem curtir.

Garantir momentos de qualidade na empresa e em casa não é impossível, mas requer organização e compromisso. Para conciliar trabalho e família, siga as nossas dicas! Você consegue ser um bom profissional e, ao mesmo tempo, investir no relacionamento com as pessoas que você ama.

Gostou desse texto? Para receber mais dicas como essas, curta nossa página no Facebook!

Qual o melhor momento para o empreendedor tirar férias?

O sonho de ter seu próprio negócio se realizou e sua rotina agora é tomada por grandes decisões e muito trabalho, certo? Sabemos que se dedicar a uma empresa que é sua faz todo esforço valer a pena, mas é preciso também conhecer os limites e saber a hora de parar um pouco.

Muitos empreendedores não se permitem tirar uns dias de folga para relaxar longe do trabalho. Algo que era um direito quando estavam no regime CLT, vira um privilégio, às vezes carregado de sentimento de culpa.

Mas não precisa ser assim. É muito importante o empreendedor tirar férias, para a saúde dele e da empresa. A sobrecarga de trabalho pode ser exaustiva e acarretar na diminuição da produtividade. Uns dias de descanso deixarão você relaxado e motivado para o trabalho.

Está convencido da importância, mas não sabe como fazer para ficar uns dias longe da empresa? Veja nossas dicas práticas e programe sua folga!

Quando sair de férias?

Essa certamente é uma grande dúvida que surge na hora do empreendedor tirar férias. Se a empresa depende de você, como estabelecer a melhor data de saída? Isso é possível, basta conhecer seu negócio.

Todo empreendimento tem períodos de maior e menor demanda. Alguns são bem claros e não deixam dúvidas. Quem administra um hotel, por exemplo, não pode pensar em viajar de férias na alta estação ou tirar dias de folga nos feriados. Para quem tem uma livraria, a época de volta às aulas exige sua presença diária, já em uma sorveteria, o movimento será bem maior durante o verão.

Se a sua empresa não está em nenhum desses exemplos e você não analisou ainda a sazonalidade dela, faça isso. Observe a movimentação financeira e veja em que épocas o movimento é menor. Esse é o período ideal para você se programar melhor e conseguir tirar uns dias de férias. Afinal, as demandas diminuem e fica mais fácil delegar suas tarefas para os funcionários.

Quanto tempo elas devem durar?

Quem trabalha com carteira assinada costuma tirar trinta dias de férias seguidos, sem preocupações. Para um empreendedor, essa tarefa é praticamente impossível. O ideal, para que você consiga de fato relaxar sabendo que sua empresa está bem, é fatiar suas férias em períodos menores.

Antes de decidir por quantos dias você sairá, é preciso pensar na maturidade do seu negócio. Se a empresa tem menos de três anos, ela provavelmente ainda depende muito da sua presença, assim, tirar uma semana de folga por vez pode ser a melhor opção. Em empresas mais consolidadas, que já caminham com uma independência maior, o proprietário consegue estar distante por até quinze dias seguidos.

Além disso, o tempo das suas férias depende também do seu nível de exaustão. Se o trabalho está exigindo muito e você não tem se sentido bem, poucos dias podem não ser suficientes para recarregar suas energias.

O que deve ser feito antes do empreendedor tirar férias?

Para quem tem o próprio negócio, aproveitar uns dias de folga é um trabalho e tanto. Antes de ir curtir seu descanso, muitas coisas precisam ser organizadas para que a empresa, e você, estejam bem nesse período.

Organização da rotina

Seu empreendimento precisa continuar funcionando enquanto você estiver fora, por isso, cada atividade que você exerce deve ser planejada antes das férias começarem. Se existir um sócio ou um gerente, sua função pode ser temporariamente absorvida por ele.

Caso você administre sozinho, é possível organizar as tarefas entre os funcionários. Prefira delegar ações importantes para os mais experientes e confiáveis da equipe. Verifique a necessidade de treinar alguém para alguma tarefa mais específica e certifique-se de que ela foi compreendida.

Comunicação com clientes e fornecedores

O bom relacionamento com os clientes e com outras empresas é fundamental para o seu negócio. Assim, fazer um comunicado sobre suas férias é interessante para que tudo corra bem durante esse período.

Entre em contato com os fornecedores e já deixe os dias de folga combinados, identificando o funcionário que irá substituir você. Além disso, avise aos clientes — pode ser diretamente, ou por mensagens afixadas na loja ou enviadas por e-mail.

Planejamento financeiro

Essa é outra questão fundamental antes que você tire seus dias de folga. Lembre-se que você está saindo de férias como pessoa física, e não jurídica. Logo, os custos não devem ser repassados para a empresa.

Você precisa se planejar para esse período com o que recebe no pró-labore e na divisão de lucros. Tirar dinheiro do caixa para viajar ou fazer passeios pessoais não é uma maneira interessante de gerir seu negócio. As finanças devem ser bem separadas, para que o seu período de férias não cause dificuldades administrativas.

É possível relaxar nas férias?

Com tantos detalhes para resolver antes do empreendedor tirar férias, você pode estar se perguntando se vai mesmo conseguir relaxar. Sim, é possível descansar o corpo e a mente e voltar para o trabalho mais tranquilo.

Os benefícios da folga não são apenas para o seu bem-estar e saúde, mas também para o funcionamento da empresa. Depois de alguns dias longe, você vai voltar mais motivado e com novas ideias. Além disso, o período de férias pode ser usado também para estudar, fazer cursos e participar de eventos, como feiras de negócios.

Claro, isso sem deixar de lado a necessidade de descanso. Mudar o foco do trabalho é essencial para você se sentir relaxado e feliz. Fazer uma viagem em família é uma ótima ideia para aproveitar as férias. Nesses momentos, evite preocupações com a empresa e não fique buscando trabalho no celular ou computador. Seus familiares certamente sentem falta de passar mais tempo com você desde que abriu a empresa, portanto, aproveite os dias de folga com eles.

Ao tirar suas primeiras férias na empresa, é normal ficar ansioso e inseguro. Com o tempo, você se organiza melhor e sente mais confiança na equipe. Além disso, os benefícios do descanso vão te convencer de que é fundamental o empreendedor tirar férias. Aproveite as suas!

Que tal acompanhar nossos textos e ficar sempre bem informado sobre o mundo dos negócios? Siga nossos perfis nas redes sociais! Estamos no Facebook, Instagram, LinkedIn e Twitter.

Mudar de carreira: saiba como escolher uma nova área profissional

Escolher uma profissão não é tarefa fácil — e não é raro que se perceba isso apenas depois de estar estabelecido em um mercado ou área. Nessas horas, buscar mudar de carreira é uma solução para tentar alcançar a realização profissional, uma transição que, por sua vez, pode trazer muita insegurança.

Se você está passando por um momento como esse, acompanhe este texto e saiba como escolher uma área profissional mais adequada ao seu perfil. Boa leitura!

1. É realmente preciso mudar de área de atuação?

Mudar de carreira é uma decisão que gera consequências. Por isso, é preciso ter cautela e considerar se essa alternativa será a solução para o seu problema. Assim, o primeiro passo diante à insatisfação com a carreira e vontade de mudança deve ser analisar e definir se é realmente necessário trocar a área de atuação.

Alguns fatores podem indicar que você está ansioso por uma mudança na sua vida profissional — como frustração e desânimo constante em relação à sua carreira. Algumas situações, no entanto, podem fazer com que esses sentimentos piorem: estar diante de poucas possibilidades de avanço e crescimento no trabalho é uma delas, por exemplo.

Para definir se mudar de carreira é realmente preciso, existem algumas questões. Confira os próximos tópicos e saiba mais:

1.1. Identifique as causas da vontade de mudar

Como mencionamos, diversos motivos podem estar relacionados com a insatisfação profissional e ter consciência disso é o primeiro passo para o problema de forma eficaz e sem tomar decisões precipitadas (e prejudiciais!).

Assim, coloque-se a pensar: o problema pode estar ligado ao atual emprego e às políticas da empresa — e não à carreira em si. Numa situação dessas, se a questão não for corretamente identificada, a mudança pode não trazer os efeitos desejados, e sim mais frustração.

Talvez você esteja desmotivado por estar em uma empresa que não oferece mais chances de crescimento, que não reconhece os seus esforços ou que não respeita os seus direitos. Nesses casos, o seu problema não é a carreira — e sim onde ela está no momento.

Nesse caso, a solução pode surgir em meio a uma conversa clara com os superiores ou na busca de outro emprego com a mesma função em outra empresa (o que é bem menos impactante do que iniciar uma nova carreira em outra área).

Outro ponto se relaciona com a sua vida pessoal. Você já parou para pensar se os problemas que você atribui ao trabalho têm ligação com outras áreas da sua vida — como problemas financeiros, pessoais e familiares? É preciso ter em mente que eles afetam o seu desempenho e modo de agir. E, portanto, leve-os em consideração.

Caso a situação dure por muito tempo, isso pode afetar a forma como você lida com o trabalho, deixando dúvidas sobre sua carreira e sua própria capacidade — o que faz com que você fique insatisfeito e cogite uma mudança drástica em relação à área de atuação profissional.

Nesses casos, a mudança pode até mesmo agravar o problema, tendo em vista que afetará a sua rotina e poderá ter impactos na sua situação financeira, piorando, assim, o seu estado emocional.

Contudo, a vontade de mudar de carreira pode ser realmente motivada por insatisfação e por problemas diretamente relacionados ao segmento de atuação da empresa em que você trabalha e/ou à função que você exerce.

Isso pode acontecer por diversos motivos — rotinas estressantes, burocracias excessivas e funções que não condizem com os seus propósitos são alguns exemplos de razões que desgastam a motivação dos profissionais.

Você deve se perguntar por que escolheu essa carreira e o que faz com que queira abandoná-la. Busque responder a perguntas como: a escolha dessa profissão levou em conta as suas afinidades e habilidades? Você precisou ingressar no mercado de trabalho cedo demais e não teve tempo ou oportunidade de fazer a graduação desejada?

É fundamental analisar, cuidadosamente, quais são as causas da insatisfação com o trabalho e o que gerou a vontade de mudar de carreira para tomar uma decisão consciente e evitar arrependimentos.

1.2. Busque auxílio profissional

Tendo em vista que a compreensão dessa fase da vida pode ser complicada, é recomendável contar com apoio profissional para identificar os motivos da sua insatisfação.

O auxílio nesse momento é fundamental, pois, como mencionamos, a insatisfação pode não estar ligada à carreira, mas a alguns pontos específicos da atuação profissional em determinada empresa — ou, ainda, a alguns problemas pessoais.

Você pode contar com um psicólogo ou com um coach. Esse profissional trabalhará os aspectos relacionados à sua carreira e à sua vida pessoal para ajudar você a compreender melhor a situação.

Afinal, um olhar “de fora” da situação sempre ajuda a identificar situações que você não enxerga, facilitando o entendimento sobre as causas e as soluções. O objetivo disso tudo é encontrar formas de trabalhar na melhora dos aspectos que estão incomodando e, se necessário, encontrar maneiras e traçar estratégias para escolher um novo caminho.

2. Como planejar-se para mudar de carreira?

Após ter a certeza de que a mudança de carreira é o caminho correto para você, é fundamental planejar cuidadosamente essa transição. É preciso considerar o tempo disponível e as condições financeiras para descobrir a melhor forma de se preparar para atuar em uma nova área.

É preciso ter muito cuidado para não agir por impulsos e de cabeça quente. Lembre-se: nunca é uma boa ideia tomar decisões baseadas em situações isoladas, dificuldades pessoais, modismos ou promessas de rápida melhora financeira.

Mudar de carreira é um passo sério e significa reiniciar a luta pelo crescimento e reconhecimento profissional. Nesse sentido, decisões impensadas podem gerar mais frustrações e dificuldades. Você não quer errar novamente, certo?

Contudo, se você tiver certeza de que precisa mudar, lute por isso e não tenha medo de perseguir os seus sonhos. Muitas pessoas desistem de mudar os rumos profissionais por não ter certeza em relação aos próprios objetivos, por ter medo de mudança ou até mesmo por achar que já passaram da idade para buscar algo novo.

Todos esses aspectos podem — e devem — ser trabalhados. Realizando um bom planejamento, a mudança de carreira pode ser realizada com segurança e responsabilidade — assim ela certamente trará satisfação pessoal e melhorias na sua vida profissional.

Para isso é recomendável que você siga diversas etapas. A seguir daremos algumas dicas para facilitar essa mudança. Acompanhe!

 

perfil-empreendedor

 

2.1. Identifique suas necessidades

Tenha sempre em mente que mudar de carreira afetará todos os aspectos da sua vida. Por isso, é muito importante ter autoconhecimento e saber quais são as suas necessidades, o que você busca com a nova carreira, o que você espera, o que é preciso para que você desfrute do padrão de vida pretendido e vários outros detalhes.

Também é necessário saber o que será preciso fazer para adotar uma nova carreira: você precisará fazer outra graduação? Uma especialização ou outros cursos técnicos podem servir? Qual será o investimento necessário? Tudo isso influenciará os próximos passos que devem ser tomados.

Enfim, é preciso pensar com calma em tudo o que você precisa para viver bem e realizado — e ponderar se a mudança de área de atuação poderá te proporcionar isso. Em caso positivo, comece a pensar no que é necessário para colocar essa mudança em prática.

2.2. Descubra suas habilidades

Se você não está feliz na sua profissão mas não tem certeza de onde quer atuar, é preciso descobrir algumas coisas sobre você: quais são as suas habilidades, quais são as suas afinidades, em que tipo de trabalho você se sai melhor? Você pode fazer isso por meio de testes vocacionais — preferencialmente aplicados por um profissional capacitado.

Atuar em uma área que favoreça ou necessite das suas habilidades tornam o trabalho mais prazeroso e recompensador — o que leva a uma carreira de sucesso. Por isso, é importante saber em quais áreas e com quais tipos de trabalho você se dá bem. Assim é possível visualizar de forma clara as alternativas e possibilidades de mudança.

2.3. Estabeleça seus objetivos e metas

Objetivos e metas são essenciais na vida — é preciso criar um plano que estabeleça objetivos e prazos para realizar essa transição. Isso é importante para que você mantenha o foco e não desista diante de dificuldades.

Defina os passos necessários para essa mudança e elenque as etapas que você deverá concluir. Na hora de definir metas e prazos, seja realista. Estude as possibilidades com calma, pois não adianta nada criar objetivos que exigem demais ou que não permitem erros — isso só gerará mais frustração.

Sempre que possível, quebre os objetivos grandes em vários objetivos menores e de curto prazo. Ao alcançar pequenas metas, você criará ânimo para continuar investindo nessa mudança e verá que é capaz de realizar tudo o que quiser.

2.4. Faça um planejamento financeiro

Para fazer a transição de carreiras é importante fazer um planejamento financeiro para o período. Afinal, toda mudança exige investimento — seja em cursos, graduações ou especializações, seja na abertura de um novo negócio. Além disso, no início da carreira os rendimentos costumam ser mais baixos.

Uma boa ideia é conciliar uma nova carreira com a antiga até que você consiga alguma estabilidade — contudo, nem sempre isso é possível. Às vezes, mesmo que no início essa conciliação seja possível, com o tempo a rotina pode ficar muito pesada e prejudicar o seu rendimento nas duas atividades.

Assim, é preciso fazer uma escolha — e com um bom planejamento financeiro é possível manter os planos de mudar de carreira sem passar por dificuldades financeiras. Desse modo, é fundamental planejar os gastos e criar uma reserva financeira para conseguir passar por essa fase da forma mais estável possível.

2.5. Prepare-se emocionalmente para a mudança

A mudança de carreira também exige um período de adaptação — por isso, estar preparado emocionalmente é essencial para que você não se frustre. É normal que o início traga algumas dúvidas, dificuldades e desafios — nesse sentido, um bom planejamento é essencial para que você não desanime e desista diante de tais problemas.

Converse com sua família e pessoas mais próximas: essa fase de transição poderá afetá-las. Explique detalhadamente a situação e todos estarão prontos para apoiar as suas decisões.

Todas essas dicas são essenciais para fazer uma transição tranquila de carreiras. Contudo, existe um fator essencial para o sucesso dessa mudança: saber qual carreira seguir e ter segurança sobre essa decisão. Confira o próximo tópico e veja o que você deve fazer.

3. Como encontrar a carreira certa?

Conforme já explicamos, para encontrar a carreira certa é preciso descobrir quais são as suas afinidades. Não se limite ou tenha medo do tempo: mesmo que a nova carreira não pareça ter qualquer ligação com a sua área de atuação, é importante lembrar que conhecimento nunca é demais.

Algumas rotinas e questões relacionadas à antiga profissão podem ajudar você a crescer e se destacar no novo segmento. Novamente, o apoio profissional também é válido: por meio de testes psicológicos e de aptidões um psicólogo poderá indicar áreas que se encaixem às suas preferências e ao seu estilo comportamental.

Essa ajuda profissional ajudará você a identificar quais atividades podem ser mais prazerosas, aliando, assim, rentabilidade e satisfação. Depois de definir essas questões é importante analisar alguns fatores relacionados às profissões pelas quais você nutre interesse.

Veja mais a seguir:

3.1. Desafios da área

O primeiro passo é saber quais serão os desafios da área de atuação escolhida — ou daquelas que você tem afinidade — para entender se você está disposto a passar por todas as etapas e dificuldades do início de uma nova carreira.

Toda carreira terá desafios e obstáculos, isso faz parte do mercado de trabalho e de todas as profissões. Porém, em alguns casos os sacrifícios necessários não valem a pena. Por isso, os desafios e obstáculos que deverão ser enfrentados devem ser ponderados para que não sejam motivos de novas insatisfações no futuro.

3.2. Prós e contras da profissão

Para mudar de carreira é fundamental saber o que você está procurando e com o que deseja atuar. Caso você esteja dividido entre várias opções, faça uma lista de prós e contras de cada profissão.

Liste as coisas que você considera vantagens e atrativos e as que você considera dificuldades e desvantagens. Dessa forma você conseguirá avaliar melhor as opções e riscar algumas delas da lista.

Outro fator essencial é ter uma lista com as suas habilidades e necessidades — lembre-se da importância do autoconhecimento para o planejamento da sua mudança de carreira. Assim, diante de mais de uma oportunidade, você pode buscar a que mais se encaixa nas suas expectativas.

Afinal, tendo em vista que a mudança de carreira costuma ser impulsionada pela insatisfação, é fundamental buscar a que mais tem a ver com os seus ideais e propósitos de vida.

3.3. Limitações da carreira

Também é importante saber as limitações de cada carreira. Busque saber, por exemplo, quais são as suas chances de crescimento, quais são os sacrifícios envolvidos, se essa carreira trará alguma limitação em relação ao seu modo de vida atual e como será o impacto dessa escolha na sua família.

Tendo consciência das limitações você evita criar expectativas e gerar novas frustrações graças aos obstáculos existentes. Por isso, ao se identificar com uma carreira é importante buscar estudar e entender todas as suas características e limitações antes de investir dinheiro e esforços em prol dela.

3.4. Mercado de trabalho

Conhecer e entender o mercado de trabalho é fundamental — afinal, é preciso ter consciência das possibilidades reais da nova carreira e saber em que território você está pisando.

Para isso, é necessário conhecer o público e saber como funciona o mercado na sua região para ver se é viável investir na nova carreira — seja para buscar uma recolocação no mercado de trabalho, seja para empreender e buscar seus próprios clientes.

Você deve investir em um trabalho de pesquisa para entender as necessidades do mercado de trabalho, o que está em alta, quais setores são mais promissores, quais são as funções mais requisitadas ou quais serviços e produtos são mais buscados. Enfim, é preciso fazer uma análise completa para ter certeza da viabilidade da mudança.

Isso é essencial, pois, ao buscar uma mudança de carreira, busca-se também a satisfação pessoal e a estabilidade financeira. Por isso, ao passar por essa mudança, é preciso ter muito cuidado para fazer uma escolha consciente, que dê reais possibilidades de crescimento e satisfação.

3.5. Converse com outras pessoas

Para conhecer melhor a carreira que você deseja trilhar o ideal é conversar com outros profissionais que atuam na área. Você também pode procurar outras pessoas que tenham passado por uma situação parecida para saber como foi feita a escolha e como se deu esse processo.

Também é importante ter uma boa rede de contatos, pois relacionamentos profissionais podem ajudar tanto na busca por um novo emprego na sua nova carreira quanto na captação de clientes para um negócio novo.

Uma coisa é saber como é a carreira na teoria, outra é verificar a experiência de outras pessoas, como elas se sentem e como determinada carreira realmente é na prática — isso pode garantir que você não se iluda com o novo trabalho.

3.6. Tenha certeza do que quer

Tendo em vista os impactos dessa decisão, ter certeza é fundamental. Quando você decide mudar de carreira, logo isso quer dizer que, em outro momento, você não fez a melhor escolha. Nessa situação, você também já teve de lidar com o início de carreira e as lutas diárias para buscar o crescimento profissional.

Desse modo, você deve estar certo em relação ao novo rumo escolhido para que possa enfrentar, sem hesitar, todos os passos necessários até conseguir estabilidade e sucesso no caminho que você decidiu percorrer.

Por isso, a análise de todas as questões relacionadas a essa mudança é essencial para garantir a melhor decisão. Assim, o recomendado é que você só coloque os seus planos em prática depois que tiver certeza do que você quer fazer — e de como fazer.

3.7. Busque as ferramentas necessárias e coloque a mudança em prática

Finalmente, após ter tomado todas as decisões, definido metas, traçado objetivos, estipulado prazos e escolhido qual carreira seguir, agora é a hora de colocar a mudança em prática. Nesse momento é preciso buscar as ferramentas necessárias para atingir os objetivos traçados.

Considere: matricular-se em um curso para expandir seus conhecimentos e melhorar o currículo, cursar uma graduação para se adequar à nova área, fazer uma especialização ou cursos de extensão que possam dar uma base para a nova carreira, criar uma rede de contatos para facilitar a recolocação e o reconhecimento profissional.

Caso você queira criar um negócio próprio, alguns cursos voltados para administração e outros aspectos específicos do empreendedorismo podem ser uma excelente ideia. Você também pode buscar parceiros e sócios para criar uma empresa e investir em um novo segmento.

Também é possível investir em franquias que atendam às suas expectativas. Elas consistem em negócios estruturados, com processos organizados, e permitem ao franqueado a abertura de um novo negócio por meio de um investimento inicial e do pagamento de uma licença para o uso da marca.

Por carregar nomes fortes e já consolidados entre o público, as franquias oferecem um  — fatores excelentes para quem busca uma nova carreira.

Enfim, tudo dependerá da escolha feita — novamente, o planejamento é essencial. Estruture um plano e revise-o sempre que necessário para verificar os objetivos, as metas e seus andamentos — talvez seja preciso adaptá-los periodicamente à realidade vivenciada.

Mudar de carreira é uma decisão importante e vai refletir em todos os aspectos da sua vida. Com essas dicas em mente será bem mais fácil planejar essa mudança, escolher uma nova área de atuação, colocar os seus planos em prática e realizar os seus sonhos.

Pronto! Agora você já sabe quais são os principais pontos a avaliar na mudança de carreira e como escolher uma nova área profissional. Se você gostou deste texto, curta a nossa página no Facebook e acompanhe as nossas atualizações!

Como organizar o tempo no dia a dia? Veja 7 dicas!

Você já teve dúvidas sobre como organizar melhor seu tempo no dia a dia? Às vezes, esse objetivo parece difícil de alcançar em meio a tantos afazeres, não é mesmo?

Porém, com a devida organização, é totalmente possível cuidar do seu tempo para que ele seja utilizado com obrigações, tarefas, hobbies e momentos com familiares e amigos.

Cada um tem uma maneira própria de se organizar, que funciona melhor para seu estilo de vida e personalidade. No entanto, algumas dicas são muito úteis para otimizar a qualidade do seu tempo. Veja a seguir 7 ideias de como organizar o tempo no dia a dia:

1. Crie planejamentos, cronogramas e listas de tarefas

Planeje como você vai usar o seu tempo, anotando tudo o que tem para fazer. Para isso, crie um cronograma ou um planejamento onde você possa colocar todos os seus afazeres com prazos, datas e compromissos. Organize diariamente, semanalmente ou mensalmente, de acordo com sua preferência e necessidade.

Outra possibilidade é fazer listas com suas tarefas e metas. Anote tudo o que precisa ser feito e, para facilitar, divida as atividades em categorias. Por exemplo, separe as obrigações do trabalho das de casa.

Divida os afazeres de acordo com suas prioridades. Destaque o que é urgente do que é mais ou menos importante e leve isso em conta na hora de decidir o que fazer primeiro.

As listas, cronogramas e planejamentos são ótimos recursos, uma vez que te permitem uma melhor visualização das suas tarefas, distribuindo-as de forma organizada de acordo com o seu tempo. Se você preferir usar tecnologia, existem também diversos aplicativos com essas funções.

2. Organize a sua casa e o espaço de trabalho

Arrumar os ambientes em que você passa a maior parte do seu dia faz muita diferença no momento de organizar o tempo no dia a dia. Sabe por quê?

Além de deixar tudo mais prático para você, um ambiente organizado torna as suas atividades diárias bem mais agradáveis!

Por isso, mantenha a sua casa e o seu espaço de trabalho bem organizados, separando os materiais que você mais precisa em um local de fácil acesso, e cuide para preservar a higiene e o conforto nesses locais.

3. Não perca tempo com a procrastinação

É muito fácil se distrair com qualquer coisa ou adiar tarefas importantes sem motivo. Isso pode ser bastante prejudicial, tanto para a sua produtividade como para o aproveitamento do seu tempo.

Sendo assim, na hora que você se dispôs a fazer suas obrigações, tenha foco, evite distrações como celular, vídeos na internet, troca de mensagens e redes sociais.

Distribua as suas atividades ao longo do dia de modo que não te sobrecarregue e tente realizá-las no momento adequado, sem deixar para depois. O seu tempo vai render muito mais, a sua produtividade vai aumentar e, provavelmente, ainda vão restar momentos livres no dia para você aproveitar!

 

 

4. Crie prazos

Se organize e mantenha o foco nos seus afazeres. Estabeleça prazos para a realização e a conclusão de cada tarefa.

Além de ajudar a distribuir melhor as suas atividades diárias, essa atitude é um incentivo para você se dedicar e não procrastinar. Automaticamente, você busca cumprir a sua meta pessoal de ter tudo pronto dentro do limite estabelecido, o que faz o seu cérebro se empenhar mais naquele foco.

5. Adote técnicas como a Pomodoro

Existem técnicas específicas que ajudam como organizar o tempo no dia a dia e ainda otimizar a sua produtividade. Aqui, vamos usar o exemplo da técnica Pomodoro, desenvolvida por Francesco Cirillo.

O termo “pomodoro” significa “duas horas”. O método consiste no seguinte: você se dedica à sua tarefa durante 25 minutos, sem interrupções. Depois, faz uma pausa de 5 minutos para descansar, retornando à atividade em seguida. Isso vai se repetindo e, quando forem atingidas 2 horas, a pausa pode ser maior (de 30 minutos, por exemplo).

Pode ser difícil você seguir essa técnica à risca, cumprindo os minutos certos. Às vezes, você pode achar que não deve interromper a tarefa naquele prazo, além do mais, cada um tem o seu tempo. No entanto, o que vale é a ideia de fazer pequenas pausas ao longo das atividades. Isso ajuda a não se cansar tanto e, assim, ter um rendimento maior.

6. Conheça e respeite o seu próprio tempo

Como você já viu, cada pessoa funciona de um modo único e, da mesma forma, o tempo de cada um também é diferente. Mesmo assim, ainda temos o mau costume de sempre nos compararmos aos outros. Isso acaba trazendo a falsa ideia de que somos desorganizados e pouco produtivos.

A verdade é que o seu rendimento não é pior ou melhor do que o de alguém, só porque você produz mais ou menos do que o outro ou suas formas de organização são diferentes. Todos têm seus pontos fortes e fracos, facilidades e limitações.

O importante é que você descubra o seu jeito de organizar o tempo no dia a dia, conseguindo produzir sem estresse ou sobrecarga. Se cobrar demais ou tentar imitar alguém que funcione de outro modo dificilmente vai te trazer vantagens.

7. Se recompense a cada tarefa cumprida e separe um tempo livre

Encontre formas de se recompensar pelas tarefas cumpridas. Além de trazer um prazer a mais para a sua rotina, te estimula e aumenta sua motivação e produtividade. São várias as opções: escolha, por exemplo, coisas pequenas e simples, como assistir a um filme, comer algo que goste ou passar um tempinho navegando na internet.

Não se esqueça de separar um tempo para descansar, se divertir e cuidar da saúde! Fazer exercícios, ficar com as pessoas queridas, passear, se dedicar a um hobby ou, simplesmente, não fazer nada e dormir também são partes importantes da vida e precisam de tempo dedicado a elas!

O que você achou das nossas dicas de como organizar o tempo no dia a dia? Esperamos ter ajudado! Se você gostou, compartilhe este post nas suas redes sociais e passe essas ideias a diante. Até mais!