transformamos a vida de milhares de jovens através da educação.

Everton Sabú
Fundador

Junte-se a Nós nesta missão!

6 atitudes essenciais para alcançar metas e objetivos na sua franquia

Ter metas e objetivos na vida ajudam no comprometimento e dedicação para seguir um caminho, afinal, quando se tem um propósito em longo prazo, é mais fácil encontrar motivação até atingi-lo. Isso vale tanto para a vida pessoal quanto profissional, mas também serve para as empresas.

No entanto, definir o objetivo dentro de uma franquia, por exemplo, não é uma tarefa simples. Algumas atitudes são essenciais para garantir a eficácia do processo. Quer saber quais são elas? Continue a leitura e confira!

1. Seja um bom líder

Um dos princípios básicos para garantir o alcance de metas e objetivos é ter uma liderança forte. O líder é o principal responsável por motivar e engajar os colaboradores para a que empresa alcance o sucesso. É ele quem organizará as etapas para que a equipe cumpra os objetivos preestabelecidos.

Ainda entre as suas funções, estão a manutenção da disciplina e delegação de tarefas para que cada um dos profissionais desempenhe as suas funções com a máxima qualidade. Afinal, as atividades precisam ser coordenadas para que o trabalho flua, e só um bom líder é capaz de unir perfis diferentes para que os processos funcionem de maneira adequada.

Cabe também ao líder direcionar o time e ajudá-lo quando surgirem dúvidas e problemas, sempre valorizando a comunicação. Assim, a equipe ganha mais confiança em sua liderança, além de se expressar melhor.

2. Defina metas praticáveis e realistas

Para alcançar metas e objetivos, é necessário que eles sejam definidos com clareza. Mais do que isso, eles precisam ser praticáveis e realistas. Imagine que você define uma meta muito complexa para que os colaboradores cumpram, como realizar vendas muito acima da média do mercado e em um cenário competitivo, sem preparação ou investimento prévio.

Além de não alcançá-las, os profissionais ficarão desmotivados e poderão, até mesmo, apresentar baixo desempenho em ações futuras. Por isso, ao estabelecer objetivos, procure trazê-los para dentro da realidade da sua franquia e também da sua equipe.

A partir do momento em que os propósitos são praticáveis, a equipe verá que é possível alcançá-los e, consequentemente, desafios futuros poderão ser propostos. Por isso, trabalhe com níveis de metas para conseguir resultados cada vez mais proveitosos.

3. Estabeleça prioridades na sua gestão

Esse é um passo fundamental. Um exercício para descobrir quais são essas prioridades é analisar a situação atual do negócio, as suas necessidades, seus pontos fortes e fracos.

Por exemplo, se a sua franquia tem um atendimento de qualidade, mas ainda tem uma baixa venda de produtos ou serviços, pode ser que haja a necessidade de criar estratégias mais incisivas de marketing.

Logo, a prioridade será melhorar estratégias, investindo mais em marketing. Ao definir o que deve ser feito primeiro e o que vem em sequência, a franquia consegue planejar o crescimento sustentável do negócio e trabalhar em cima de suas necessidades com mais precisão.

4. Aceite os erros e procure consertá-los

Não existe perfeição, então, não fique focado nisso — principalmente no começo da implementação das ações para alcançar metas e objetivos.

Mesmo depois de ter analisado com cuidado as falhas e repensar algumas estratégias, é fato que existirão erros. Aceite isso e trabalhe para consertá-los. A partir do momento em que você encontrar uma falha, não tente procurar justificativas para isso: aprenda com elas e veja como melhorar daqui para frente.

Esse conceito deve ser passado para toda a equipe, pois, ela tende a crescer ao enfrentar situações como essa. Os profissionais reconhecem que não sabem tudo e que, por isso, precisam estar em constante aprendizado e desenvolvimento.

Outra vantagem é que o time vai adquirir novas ferramentas e habilidades com as adversidades que possam surgir posteriormente.

5. Respeite prazos

Uma franquia organizada é movida por prazos, e assim deve ser para que metas e objetivos sejam alcançados. Mas estabelecer prazos e respeitá-los não ajuda só a realizar as tarefas no momento certo, mas também evita a pressa, que eleva o índice de erros, estresse do time, entre outros.

Para garantir que os prazos serão cumpridos, é importante criar uma cultura que valorize as equipes, a organização delas e a colaboração. Agendas eletrônicas, cronogramas de prazos, lista de tarefas expostas com fases do projeto, por exemplo, são ferramentas eficazes e que podem ser utilizadas.

Lembre-se de que aqui também vale a regra da prioridade: coloque os projetos mais urgentes com um prazo bem definido para que a equipe não se atrase. Motive seus colaboradores para que evitem a procrastinação, não adiem atividades já iniciadas e não tentem fazer tudo ao mesmo tempo — ajude-os com planos de ação sempre que possível.

6. Invista em desenvolvimento pessoal e profissional

O desenvolvimento pessoal e profissional é capaz de trazer grandes transformações para o dia a dia de uma franquia. Por esse motivo, é importante investir nesses pontos dentro da empresa, visando metas e objetivos futuros.

Quando falamos de desenvolvimento pessoal, significa ajudar a equipe a se autoconhecer, saber no que cada um pode melhorar, mas também mostrar aos colaboradores que eles são peças fundamentais para a franquia. Nesse caso, o coaching é bastante útil, pois apresenta resultados positivos no desenvolvimento das habilidades interpessoais.

Já com relação ao lado profissional, é essencial investir em cursos que ajudem no aperfeiçoamento de técnicas e habilidades específicas. Por exemplo, se a franquia precisa implementar novas tecnologias, os colaboradores deverão ser treinados para que possam aproveitá-las ao máximo.

O conhecimento sempre ajuda com o cumprimento de metas e objetivos. A partir do momento em que a empresa investe no aperfeiçoamento, a equipe se torna mais desenvolvida e tem uma capacidade mais apurada de fazer o seu trabalho com qualidade.

Resumidamente, podemos destacar que as atitudes para alcançar metas e objetivos estão embasadas em alguns pilares: planejamento, ação, resistência, confiança, persistência e hábitos. Esses 6 passos são imprescindíveis para o sucesso das ações e, consequentemente, a conquista do sucesso.

Esperamos que você tenha gostado do nosso artigo! Quer ficar por dentro de mais informações e novidades? Siga nossos perfis nas redes sociais — Facebook, Instagram, Google+, LinkedIn e Twitter — para acompanhar mais conteúdos como esse!

 

Abra o seu próprio negócio

Histórias inspiradoras: Antônio Luiz Seabra — fundador da Natura

A inspiração é um excelente combustível para a ação. Por isso, conhecer histórias inspiradoras é, sem dúvida, uma atitude bastante positiva para desconstruir paradigmas e estimular novas metas.

Neste post, você vai conhecer um pouco mais sobre a trajetória de sucesso de Antônio Luiz Seabra, a mente por trás da Natura, uma das maiores (e mais lucrativas) empresas do país. Preparado? Vamos em frente e boa leitura!

Antônio Luiz Seabra: a trajetória profissional do fundador da Natura

Há um denominador comum na maioria das histórias profissionais de sucesso: o trabalho árduo. Até que um empreendedor seja reconhecido e admirado por sua ideia, é certo que tenha empregado grandes esforços para viabilizar seu sonho.

Com Antônio Luiz Seabra, hoje listado entre os bilionários da Forbes (uma renomada revista americana), não foi diferente. Sua trajetória de trabalho começou cedo e foi repleta de desafios, superações e, é claro, muito empenho!

Já aos 15 anos, Seabra começou a trabalhar na mesma empresa do pai, como calculista de custos indiretos. Mais tarde, identificando afinidade com a área, escolheu a faculdade de Economia.

Logo após concluir sua graduação, conquistou uma vaga de trainee na Remington Rand, empresa multinacional que atuava na fabricação de computadores. Quando deixou o emprego, oito anos depois e com a intenção de migrar para a área de cosméticos, já era superintendente da operação.

Foi, portanto, nessa nova oportunidade profissional que Seabra teve a ideia embrionária da Natura. Ao gerenciar a operação do laboratório, Antônio teve contato com novas expertises e formulou um esboço conciso do que viria a ser, mais tarde, uma das marcas mais valiosas do Brasil.

Aos 27 anos, juntamente ao sócio Jean Pierre Berjeaout, Seabra fundou a Indústria e Comércio de Cosméticos Berjeaout Ltda. A adoção da palavra “Natura” foi feita poucos meses depois, quando a utilização de ativos vegetais foi definida como uma das estratégias do produto.

Começava, então, a história de uma empresa inovadora, ousada e, acima de tudo, muito bem gerida. O resultado dessa combinação pode ser visto no mercado até hoje, dia após dia, em números cada vez mais positivos.

Os principais sucessos de Seabra

Como já mencionamos, o sucesso é o produto de uma série de ações integradas. Não basta, por exemplo, conceber uma ideia e jamais colocá-la em prática. Da mesma forma, é inviável operacionalizar um negócio sem pensar em sua estratégia de mercado.

Não seria equivocado dizer, portanto, que um dos méritos de Seabra está justamente na sua capacidade de aliar competências e expertises, adicionando a elas boas doses de confiança, comprometimento e trabalho duro.

Em sua trajetória empreendedora à frente da Natura, uma convicção esteve sempre muito presente na gestão de Antônio: entender, de fato, a percepção de beleza e os desejos relacionados a esse ideal. De acordo com ele, o contato com o público foi fundamental para endereçar as demandas sociais e, assim, desenvolver estratégias capazes de prosperar.

O empresário inclusive declarou, em diversas entrevistas que concedeu, que o uso de produtos cosméticos nunca foi uma questão puramente estética; tratando-se, ao contrário, de um hábito cotidiano que resgata sentimentos ligados à autoestima, à satisfação pessoal e ao bem-estar.

Com uma visão ampla, centrada no consumidor, e uma proposta de valor diferenciada, optando por insumos naturais, a Natura desenvolveu seu modelo de negócios e intensificou sua abrangência.

As inovações, por outro lado, sempre foram uma característica da empresa. Seabra apostou, de início, no modelo de vendas diretas, recrutando pessoas comuns e transformando-as em consultoras de beleza para compor sua estratégia de penetração e propagação de marca.

Outro feito foi quando, ainda em 2007, a marca foi a primeira a oferecer refis de cosméticos no Brasil. Além disso, em função de sua preocupação com a sustentabilidade, foi pioneira em optar por produtos de carbono neutro — reduzindo e compensando a emissão de gases causadores do efeito estufa.

Já em 2015, a Natura foi contemplada com o prêmio Champions of the Earth, promovido pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), na categoria “Visão Empreendedora”, em reconhecimento aos seus esforços para destacar a sustentabilidade na condução dos negócios.

Muito embora não haja receita pronta para o sucesso, é inquestionável que a Natura, sob o comando de Seabra, trilhou um caminho próspero e de intensa ascensão. A combinação consistente de um modelo de negócios coeso com estratégias diferenciadas de produtos contribuiu para dar gás à operação.

Hoje, a empresa extrapolou as fronteiras brasileiras e mantém atividades também na Argentina, Colômbia, México, Peru, Venezuela e França — organizando, ainda, sua entrada no mercado norte-americano.

São cerca de 7.000 funcionários engajados nos processos internos e mais de um milhão e meio de consultores independentes. A grandeza da operação justifica o valor de mercado da marca: estima-se que a Natura valha, hoje, algo em torno de U$ 3,15 bilhões e lidera o ranking das mais valiosas da América Latina, de acordo com a Interbrand.

perfil-empreendedor
Faça já o teste e descubra se você tem Perfil Empreendedor

As maiores lições do empreendedor (e como aproveitá-la no seu negócio)

Como tivemos a oportunidade de conhecer, a trajetória profissional de Seabra foi marcada por muito trabalho, desafios e oportunidades. Antônio soube identificar e endereçar as demandas de mercado e, assim, criar produtos pertinentes aos desejos de consumo para a área de cosméticos.

Diante disso, é comum que outros empreendedores se questionem: “como posso me valer da experiência de Seabra para alavancar o meu próprio negócio?”. Veja algumas das principais lições do fundador da Natura e considere aplica-las sob a ótica da sua operação!

Amplie sua visão de negócios

As primeiras experiências de trabalho de Seabra (na área financeira ou na multinacional de tecnologia) não foram propriamente determinantes para seu desejo de empreender na área cosmética. Ainda assim, sua bagagem profissional foi enriquecida a cada contato com variados setores — e isso pode ser importante para construir uma visão ampla e coerente do mercado.

Encontre (e fortaleça) diferenciais competitivos

Ainda que não tenha sido a concepção inicial da Natura, o uso de ativos vegetais foi o que, de fato, proporcionou à marca um diferencial robusto. Por isso, certifique-se de construir, fortalecer e divulgar aquilo que destaca o seu negócio (produto ou serviço) dos demais concorrentes.

Aposte no seu modelo de negócios

A Natura apostou nas vendas diretas para alavancar sua abrangência e expandir sua operação. Atualmente, é possível perceber que a estratégia foi bastante acertada e proporcionou ganhos expressivos para a empresa. Vale a pena, portanto, revisar a estrutura do negócio e ajustar o que for passível de melhorias.

Antônio Luiz Seabra tem uma dessas histórias inspiradoras que costumam revigorar as energias do empreendedorismo. Aproveite as dicas e prepare-se para realizar seus sonhos — um por vez, todos os dias. Boa sorte!

O conteúdo despertou seu interesse e você deseja conhecer histórias semelhantes? Veja a trajetória de Paulo Lemann, um dos principais empreendedores brasileiros.

Histórias Inspiradoras: Paulo Lemann — sucesso no empreendedorismo

Uma história de sucesso é, com certeza, permeada de desafios, obstáculos e até mesmo tropeços. As maiores provas de resiliência — que, por si só, já é uma característica dos líderes obstinados — são fortalecer-se na dificuldade, sonhar grande e perseguir os objetivos com cada vez mais empenho. Paulo Lemann, atualmente o homem mais rico do Brasil, é um exemplo que reúne todas essas características!

Se você deseja conhecer e se inspirar na trajetória dele, encontrou o conteúdo perfeito. Neste post, você encontrará informações sobre a vida, as escolhas e as conquistas de Lemann, compreendendo como ele se tornou um ícone de sucesso.

Além disso, você também terá acesso a dicas preciosas para que consiga traçar seu próprio caminho, aproveitando as lições pessoais e profissionais do maior empreendedor do país. Preparado? Vamos em frente e boa leitura!

Paulo Lemann: infância e juventude

Embora seja natural do Rio de Janeiro, Paulo Lemann tem ascendência suíça: filho de mãe brasileira, seu pai emigrou da região de Emmental e se fixou na capital carioca antes de seu nascimento, em agosto de 1939.

Não seria exagerado dizer, também, que o tino empreendedor está no sangue: o pai de Lemann é o fundador da Leco (abreviação de Lemann & Company), fábrica de laticínios que tem expressividade em todo o território nacional e que foi recentemente incorporada à Vigor Alimentos.

No que diz respeito ao seu desenvolvimento, a educação básica de Paulo foi concluída na Escola Americana do Rio de Janeiro, ainda aos 17 anos. Para o ensino superior, sua escolha foi a Faculdade de Economia de Harvard, uma das mais renomadas instituições do mundo.

Na universidade, um episódio de rebeldia marcou a trajetória acadêmica de Lemann: ao participar de uma revolta estudantil, Paulo foi pego pelo reitor ao jogar bombinhas no pátio de Harvard, o que culminou em sua suspensão temporária. Ao retornar, Lemann concluiu o curso antes do previsto, em apenas três anos.

A trajetória do líder: como Paulo Lemann construiu seu império

Em 1961, já formado, Lemann mudou-se para Genebra, na Suíça, e estagiou no Credit Suisse, uma das maiores instituições financeiras do mundo. Não demorou, porém, a voltar para o Brasil, onde, em 1971, adquiriu seu primeiro negócio: a corretora Garantia.

Desde essa época, Lemann contou com a expertise de dois fiéis escudeiros: Marcel Telles e Beto Sicupira, seus sócios. Juntos, trabalharam para expandir e desenvolver o negócio, que posteriormente se tornou o Banco Garantia. Em paralelo, adquiriram as Lojas Americanas, importante rede varejista brasileira.

Quando, pouco antes do ano 2000, o Garantia foi vendido, os três continuaram juntos e fundaram a GP Investimentos, considerada a primeira empresa de private equity do país, perpetuando a injeção de capital e o investimento em negócios promissores, embora momentaneamente cambaleantes. O intuito era reestruturá-los e, em seguida, vendê-los por um preço superior ao da aquisição.

Mais uma vez, a empreitada se mostrou um sucesso. E, em reconhecimento ao bom trabalho de seus funcionários, Lemann entregou parte da companhia àqueles que o ajudaram a prosperar. A GP foi, então, parcialmente desfeita.

Era hora de Lemann, Telles e Sicupira estacionarem sua avidez pelo mercado? Certamente que não! O trio se lançou em mais um desafio e abriu, em 2004, a 3G Capital. A duplicidade de sedes — uma no Rio de Janeiro e outra em Nova York — já indicava que os planos eram ambiciosos. E o tempo apenas comprovou a tese.

O segmento de bebidas interessava a Lemann. Prova disso foi o surgimento da Ambev, com a aquisição da marca Brahma e sua associação com a cervejaria Antarctica, ainda em 1999.

Mais tarde, em 2004, a empresa também comprou a belga Interbrew, dando origem à InBev. E não parou por aí! A AB Inbev é resultado da incorporação da Anheuser-Busch, a maior cervejaria do mundo e detentora da marca Budweiser.

Em 2010, a 3G também incorporou a Restaurant Brands International a seu portfólio, passando a deter marcas globalmente fortes, como Burger King e Popeyes.

Dando continuidade à expansão da holding no segmento alimentício, a compra da gigante Heinz, líder no ramo de molhos e condimentos, foi também um marco na trajetória da 3G: Paulo, em parceria com o megainvestidor (e bilionário) Warren Buffett, a mente por trás da Berkshire Hathaway, passou a deter a Kraft Heinz.

Vale lembrar, por fim, que o trio à frente da 3G também gerencia a Gera Venture e a Innova Capital, aceleradoras destinadas a investir em empreendimentos com grande potencial de crescimento. Além disso, Lemann mantém iniciativas voltadas a estimular a educação de alta qualidade e a prática esportiva: a Fundação Estudar e o Instituto Tênis são ótimos exemplos.

perfil-empreendedor
Faça já o teste e descubra se você tem Perfil Empreendedor

As lições de Paulo Lemann: aprenda com o sucesso do empresário

Pessoas bem-sucedidas merecem nossa atenção. Afinal, sempre poderemos aprender algo com uma trajetória de êxitos (que nem por isso está isenta de percalços ou fracassos pontuais).

A carreira de Lemann não foi diferente. Os obstáculos enfrentados certamente geraram grandes aprendizados que, mais tarde, endossaram o sucesso do empreendedor.

Entre as lições que ele se dedica a propagar na missão de desenvolver os líderes e os negócios brasileiros, com certeza alguma (senão todas) também será útil para você! Confira algumas delas a seguir.

Aprenda com os erros

O primeiro empreendimento do qual Lemann fez parte (com apenas 2% das ações), a Invesco, foi à falência em 1966, quando ele tinha 27 anos. Apesar da decepção, Paulo não se acanhou e seguiu em frente com ainda mais vontade de fazer acontecer. E, claro, deu certo!

Por isso, Lemann faz questão de reforçar que erros são comuns e, ao mesmo tempo em que nos esforçamos para evitá-los, devemos aprender com cada tropeço.

Foque no essencial

Em um mundo de distrações, Lemann afirma que é preciso identificar o que é fundamental e, assim, focar naquilo que precisa ser feito e que efetivamente fará diferença.

Essa mentalidade formou-se ainda na universidade, quando Paulo estava decidido a terminar o curso no menor tempo possível. Essa ambição fez com que criasse uma metodologia de absorção para cada disciplina: dedicava-se a gravar as cinco coisas mais importantes de cada matéria.

O método deu tão certo que é aplicado até hoje nos empreendimentos de Lemann. Suas companhias e sua equipe, por exemplo, têm cinco metas essenciais.

Valorize as pessoas que trabalham com você

Por fim, embora não menos importante, cabe citar uma frase bastante emblemática, dita por Lemann em uma de suas entrevistas: “Nosso negócio não é cerveja, nem hambúrguer ou ketchup, é gente”.

Com essa mentalidade, o empreendedor reforça seu compromisso com aqueles que o auxiliam no cotidiano operacional e administrativo. Paulo Lemann destaca que investir na equipe, proporcionando um ambiente atrativo de bem-estar e aprendizado, é indispensável para que a empresa tenha sucesso.

Este conteúdo despertou seu interesse e motivou você a querer fazer mais (e melhor)? Então, aproveite para compartilhá-lo nas redes sociais e permita que seu círculo de amigos também tenha acesso às lições desse grande líder. Bons negócios e até a próxima!

8 livros indispensáveis para quem quer empreender

Ser um empreendedor de sucesso é algo que requer muito estudo e dedicação. Nesse sentido, existem vários livros para quem quer empreender disponíveis no mercado — e você não deve se esquecer de que manter a leitura em dia é primordial, certo?

Afinal, ser dono da própria empresa envolve dominar diversos assuntos, principalmente os que estão diretamente relacionados a gestão, finanças e negócios.

Pensando nisso, neste post, listamos 8 livros que vão trazer grandes inspirações, lições e dicas para que você empreenda e alcance o sucesso no universo corporativo. Vamos lá? Boa leitura!

1. Empreendedores Extraordinários (John Byrne)

Esse livro é bastante motivador, principalmente para quem está pensando em abrir seu negócio, mas tem medo de não conseguir enfrentar todos os desafios que essa empreitada oferece.

Para escrevê-lo, o autor entrevistou 25 empreendedores que passaram por grandes percalços até conquistarem um lugar de destaque no mercado — atualmente, eles são grandes nomes no mundo dos negócios. São histórias muito inspiradoras, que mostram como é possível vencer mesmo com perspectivas muito adversas.

Entre essas histórias está a de Howard Schultz, dono da Starbucks, que fundou a empresa, se afastou e depois retornou, reinventando tanto o negócio quanto a si mesmo. Tem também a história de Reed Hastings, cofundador da Netflix, que teve a ideia da empresa depois de pagar uma multa de $40 pelo atraso de uma locação de vídeo.

2. DNA do inovador (Clayton Christensen, Hal Gregersen e Jeffrey Dyer)

Os autores desse livro entrevistaram fundadores e CEOs de diversas empresas — como Apple, Amazon, Google e Skype — e identificaram 5 habilidades comuns a todos eles e que os diferenciavam como inovadores frente aos profissionais comuns.

De acordo com eles, um profissional com o DNA inovador tem as habilidades de associar, questionar, observar, trabalhar em rede e experimentar. Eles mostram como qualquer pessoa pode desenvolver essas habilidades para se tornar um profissional criativo, e o livro traz ainda um teste muito interessante que calcula o seu DNA inovador.

É o livro ideal para os empreendedores que buscam aprimorar sua capacidade de gerar novas ideias.

3. O jeito Disney de encantar os clientes (Disney Institute)

Quem já visitou algum dos parques da Disney pôde sentir na pele a excelência em atendimento de toda a equipe de colaboradores. O objetivo dos parques é tornar a experiência de cada visitante mágica e inesquecível.

Nesse livro, são contados os bastidores dos parques no que diz respeito a tudo que envolve o atendimento ao cliente. Ele dá excelentes exemplos que podem — e devem — ser seguidos por todos os empresários para aprimorar o relacionamento com seus clientes.

4. Franquia de A a Z (José Castro Schwartz)

Se você pretende entrar para o mundo das franquias, a leitura desse livro é praticamente obrigatória. Ele traz todos os termos utilizados por franqueados e franqueadores, além de dar um panorama sobre o assunto.

O livro, que funciona como um dicionário, também é muito útil para ter sempre por perto e tirar dúvidas do dia a dia. Seu conteúdo traz importantes direcionamentos e serve como um guia, tanto para quem está começando, quanto para quem já tem uma franquia.

 

5. Vamos juntos! (Renato Saraiva)

O livro conta a trajetória de sucesso de Renato Saraiva, fundador da rede de cursos online CERS, que está presente em vários estados do país. Renato foi concurseiro e viu na educação uma oportunidade de sucesso. Além de empresário, ele também é um autor consagrado na área do direito e procurador da Justiça do Trabalho.

Sua rede foi fundada em 2009 e atualmente conta com 150 mil alunos ativos cadastrados. O negócio teve um crescimento de mais de 50% entre 2012 e 2014, impulsionado pela melhoria do acesso à internet e pela ascensão da classe C, que é seu grande público.

No livro, Saraiva conta como foi essa caminhada e dá dicas de como aproveitar as boas oportunidades. De acordo com o empreendedor, “quando você divide as conquistas e responsabilidades, os benefícios e retornos se multiplicam e todos saem ganhando”.

6. 25 verbos para construir sua vida (Alberto Saraiva)

Nesse livro, Alberto Saraiva — fundador do Habib’s — conta a trajetória da sua vida profissional por meio de verbos como sonhar, conquistar, persistir, confiar, entre outros.

Quando criança, sonhava em ser médico, mas o assassinato do pai na porta da padaria da família mudou os rumos da sua vida. Naquele instante, ele precisou assumir o negócio do pai para ajudar no sustento da casa.

A cada verbo, Saraiva conta um trecho de sua vida e aproveita para dar conselhos diretos para o leitor sobre a vida pessoal, profissional e até mesmo espiritual. O livro também traz uma série de frases para o leitor refletir, tornando-se muito inspirador para quem está pensando em começar seu novo negócio.

7. Sinônimo de Sucesso (Vinícius Almeida Carneiro)

O livro conta a história surpreendente de duas pessoas que pegaram 3 mil reais emprestados e conseguiram montar 4 redes de franquias de sucesso. Vinícius Almeida Carneiro e Alexandre Loudrade são os personagens dessa história — que até parece fictícia, mas não é!

Os dois passaram por várias dificuldades e enfrentaram muitos desafios até alcançarem a marca de 350 franquias espalhadas por todo o Brasil.

É um livro que motiva principalmente aqueles que acham que não é possível começar um negócio com pouco dinheiro. Mesmo que o investimento inicial seja baixo, com trabalho e dedicação é possível transformar sonhos em realidade.

8. Salto (Matthew Syed)

O livro tem um subtítulo que já instiga: “a ciência explica Mozart, Federer, Picasso, Beckham entre outros sucessos”. O autor explica que o sucesso não depende de um talento nato, mas sim de muito estudo e dedicação.

Com isso, ele ressalta a importância de manter a empresa atualizada e buscar sempre aprimorar técnicas e processos, destacando a importância do espírito competitivo e da vontade de querer superar os próprios limites e melhorar as próprias marcas.

Manter a leitura em dia é imprescindível para ser um empresário bem-sucedido. Focar sua leitura em livros que agregarão conhecimentos práticos pode fazer toda a diferença para o sucesso de seu novo negócio. Além disso, esse pode ser o caminho para que você conquiste sua tão sonhada independência financeira.

Se você gostou de nossas sugestões de livros para quem quer empreender, curta nossa página no Facebook e fique sempre por dentro de todas as novidades da Jumper!

7 líderes que mudaram de carreira com sucesso

Mudar de profissão é sempre um desafio! Desse modo, não são raras as histórias de líderes que mudaram de carreira e se encontraram na nova vida. Algumas pessoas já sabem, desde crianças, a profissão que gostariam de seguir, muitas acabam seguindo uma tradição de família e outras levam mais tempo para encontrar a carreira ideal.

Nesse sentido, não importa a forma nem o tempo que levou para chegar onde chegou, mesmo pessoas que são profissionalmente bem-sucedidas podem não estar felizes com suas carreiras. Assim sendo, se está insatisfeito com a área em que trabalha atualmente e tem pensado em mudar de carreira, saiba que isso não acontece só com você!

Por isso, neste post, vamos apresentar sete histórias de líderes que mudaram de carreira de forma bem-sucedida, a fim de inspirá-lo. São pessoas que deixaram bons empregos para correr atrás de seus sonhos. Vamos às histórias?

1. Manuela Vilella

Manuela Vilella é do Rio de Janeiro, filha de dentista e começou sua carreira seguindo nessa profissão. Com 4 anos de formada, ela já era uma dentista bem-sucedida trabalhando na Marinha. Apesar de ganhar bem e ter chegado ao topo, em uma conversa com sua mãe, percebeu que não era feliz e que algo precisaria ser feito.

Com o casamento, mudou-se para São Paulo e aproveitou a oportunidade da mudança de cidade para mudar também sua carreira. Conversando com amigos, começou a enxergar novas possibilidades. Assim sendo, resolveu se enveredar pela área da Publicidade.

O período de transição foi marcado por medos e incertezas. Várias vezes ela se sentiu jogando vários anos de estudo e toda uma carreira promissora por água abaixo. Mas teve força e determinação para superar todos os desafios!

Atualmente, é gerente de parcerias no YouTube e está muito mais feliz! O conselho que ela dá para quem pretende fazer uma mudança como a dela é ter, além de foco, de determinação e de maturidade, um bom planejamento financeiro e resiliência durante o processo.

2. Claudia Sender

Claudia Sender é formada em Engenharia Química e começou sua carreira como estagiária na consultoria Brains & Company, na qual ficou por 7 anos. Fez um MBA em Harvard, nos Estados Unidos, e trabalhou por outros 7 anos na Whirpool Latin America, que é a empresa dona das marcas Consul e Brastemp.

Mesmo com toda essa experiência, decidiu mudar até que, em 2011, assumiu como vice-presidente comercial de marketing da TAM. Um ano após a fusão entre a TAM e a LAN, Claudia assumiu como presidente da companhia aérea, que hoje é a maior da América Latina.

3. Jeff Bezos

Jeff Bezos se formou em Engenharia Elétrica e Ciência da Computação em Princeton, uma das mais renomadas universidades norte-americanas. Depois de trabalhar em Wall Street e na Banker Trust, ele resolveu fazer uma viagem de carro atravessando o país, partindo de New York até Seatle.

Durante essa viagem, desenhou o plano de negócios da Amazon.com que, na época, parecia uma ideia absurda. No entanto, hoje em dia, a gigante do comércio eletrônico é uma empresa bilionária que trouxe inovação e mudou o mercado.

 

 

4. Thais Perez

Thais Perez se formou em Publicidade, trabalhou para grandes marcas como Rebook, Microsoft, Fox e Yahoo!, e por mais de 10 anos se manteve no mundo corporativo.

No entanto, eventualmente, acabou achando esse ambiente muito frio e sem propósito, com jornadas cansativas e sem benefícios satisfatórios. Foi então que descobriu a Equoterapia.

Seu grande desafio foi migrar para uma área completamente diferente da sua, na qual não tinha quase nenhum conhecimento. Por isso, ela fez cursos e trabalhou como voluntária para conhecer melhor a rotina da profissão.

Depois de bastante planejamento e estudo, ela montou sua própria estância no interior de São Paulo. Atualmente, oferece métodos terapêuticos e educacionais sobre cavalos com foco em crianças especiais.

5. Jorge Bassalo

Após mais de 25 anos atuando na área da Tecnologia da Informação, Jorge Bassalo fez uma pós-graduação em Comportamento Organizacional e se encontrou na área de Ciências Humanas.

Na época em que tomou sua decisão, sua maior dificuldade foi sair da área de Exatas por causa de seu cargo e de suas responsabilidades. Ele precisou de um período de 2 anos para concluir sua saída da antiga empresa.

Outro desafio foi ter que replanejar suas finanças para conseguir se sustentar até que a nova carreira se estabilizasse. Um ponto que ele destaca como importante nessa transição é fazer alianças (e não passar por tudo sozinho). Além disso, ele sabia bem o que queria e teve foco.

6. Juliane Marinho

Depois de atuar por 18 anos como advogada, chegando a ocupar cargos de diretoria na Odebrecht, Juliane Marinho pediu demissão e passou pelo período de 1 ano de descanso.

Ela se sentia insatisfeita em sua carreira, mas não sabia que rumo tomar. Depois de se envolver em diversas atividades ambientais e sociais, descobriu que tinha vocação para o universo das artes!

No início, ela teve dificuldades em traduzir sua ideia para as pessoas e “vender o seu peixe”, mas com coragem e firmeza montou o espaço colaborativo Petalusa.

Assim sendo, o espaço abriga cursos, workshops e eventos diversos, todos ligados às artes. Hoje em dia, além da administração do espaço, ela ainda ajuda outras pessoas que pretendem mudar suas carreiras.

7. Marcos Amaro

Marcos Amaro é filho do fundador da TAM, o comandante Rolim Amaro, e começou como trainee nessa empresa. Depois de algum tempo, se tornou sócio das Óticas Carol e ajudou a rede a se tornar uma das maiores do Brasil no setor.

Sempre gostou de desenhar, mas nunca tinha encarado isso como uma possível profissão. Teve que vencer suas resistências internas e ganhar coragem para abrir mão de seu sucesso com a rede de óticas.

Além disso, precisou de muita persistência, de determinação e de organização. Ele conta que teve que suportar o julgamento alheio e ser firme na defesa de sua autenticidade.

Como vimos, o sucesso profissional nem sempre significa um bom cargo com um bom salário. A satisfação na carreira vai muito além disso! No fim das contas, é muito mais gratificante trabalhar com aquilo que vai ao encontro dos seus valores e propósitos.

Então, gostou deste post sobre líderes que mudaram de carreira? Aproveite e siga-nos no Facebook, no Instagram, no LinkedIn, no Twitter ou no Google+ e fique por dentro de todas as nossas novidades!